Brasília Capital Moto Week 2018 reúne cerca de 700 mil pessoas e 310 mil motosem 10 dias de festa. A cada edição os organizadores melhoram o encontro, que já é o 2º maior do mundo. Moto Adventure marcou presença e traz todos os detalhes

POR GUILHERME DERRICO

FOTOS: MARCOS BARROS / DIVULGAÇÃO

Entre os dias 19 e 28 de julho, Brasília foi a capital do motociclismo nacional. Como de costume, a organização do Brasília Capital Moto Week não hesitou em usar e abusar da grandeza. As atrações foram preparadas para agradar a todos. As mulheres se “empoderaram” dessa edição e fizeram um espaço só delas, o Lady Bikers, que contou com salão de beleza, lojas de roupas e acessórios, farmácia, espaço zen e tatoo.

Ao todo foram 250.000 m2 de área montada, que recebeu aproximadamente 700 mil pessoas ao longo dos 10 dias de evento. Cerca de 42 mil motos participaram do passeio,de acordo com informações do Detran e do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar. Circularam pelo complexocerca de310 mil motocicletas. Os participantes puderam aproveitar os 56 shows musicais, com destaque para as bandas U2 One Cover, Scalene, Raimundos, Titãs e Capital Inicial. Estandes de 150 expositores ajudaram a engrandecer a festa, além de ter por perto as principais marcas do setor, como Honda, Ducati, Kawasaki, BMW, Michelin, Petrobras, Budweiser, X11, Nestlé Waters, entre outras.

Como tudo começou

Uma multidão acelerando em direção ao mesmo destino. No palco, os ídolos de várias gerações de roqueiros. Pedestres, motociclistas e suas famílias dividindo as garupas, compartilhando sensações em uma viagem de 10 dias. Quem olha para o Brasília Capital Moto Week, hoje, só consegue ver o maior encontro motociclístico da América Latina, e agora o segundo maior do mundo. Mas o baú está cheio de memórias,afinal, são 15 anos de história, que continua sendo escrita no coração da Capital do Brasil.

O evento começou despretensiosamente, com um grupo de amigos que se reunia semanalmente para dividir a paixão pelo motociclismo.A primeira edição foi em 2004, no estacionamento do antigo Estádio Mané Garrincha. Nesses primeiros dias, tudo ainda era modesto. Do estádio, os convidados migraram para a orla do Lago Paranoá, um dos cartões postais de Brasília. Não demorou muito e os três dias de programação viraram cinco. De repente, começou a chegar gente de todo lugar. De Goiás a Minas, passando por São Paulo, Bahia, e até de Estados Unidos e Europa. A notícia se espalhava. O evento era uma convocação para todos os que amavam o motociclismo. Começou com 150 mil metros de área útil. Hoje, são 250 mil. O resto é só história, e de sucesso!

“Eu quis fazer um evento ao qual eu gostaria de ir. Que tivesse boa cerveja, um “globo da morte”, todo tipo de atração para motociclistas, além de várias bandas, com bom rock n’roll. Quando a gente começou, não sabia que seria assim. Agora, vejo que vamos até mais longe”, diz Marco Portinho, um dos organizadores.

A vez dos pequenos

Acriançada também teve sua vez no Brasília Capital Moto Week. O festival teve atrações especiais e,enquanto os pais aproveitavam o complexo, os pequenos tinham atividades como oficina de massinha, pintura, hortinha, reciclagem, momento cientista, psicomotricidade e parkour.

Para todos os gostos

Quem caminhou pelo evento se surpreendeu com as inúmeras opções de lazer, entre elas galeria de arte, bares temáticos, saloon, exibições do globo da morte, bungee jump, luta livre e até cinema ao ar livre. Sem falar na diversidade gastronômica e casamentos, que já estavam com hora marcada para ocorrer.

“Sempre participo do Brasília Capital Moto Week. É um evento a que faço questão de ir, pela diversidade do público presente e das atrações, que a cada ano ficam mais legais. Moto de todas as marcas e modelos desfilam pelos arredores do encontro, que agora é o 2º maior do mundo. Parabéns aos organizadores, e que venha o primeiro lugar”, diz Marcos Barros, que representou a Moto Adventure no evento.

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here