Chapada dos Guimarães (MT) off-road

Chapada dos Guimarães (MT)

Simplesmente mágico: Chapada dos Guimarães (MT), onde paz e adrenalina caminham lado a lado

Texto e fotos Egon Jenckel

A pouco mais de 60 quilômetros de Cuiabá (MT) surge a Chapada dos Guimarães. Quem deixa a capital matogrossense para trás e segue pela rodovia MT-251começa a ter boas surpresas logo nos primeiros quilômetros, já que a estrada apresenta boa sinalização e asfalto bem conservado, apesar de o seu trajeto ser em pista simples. Mas, antes mesmo da chegada à Chapada dos Guimarães, enormes paredões de arenito mudam por completo o cenário e ali, praticamente debruçados sobre o asfalto, dão ideia da grandiosidade da natureza deste lugar. Um incrível corte mostra um rasgo da terra que surge na cor vermelho alaranjado, em contraste com o céu extremamente azul. Isso parece dar boas-vindas aos viajantes.

PARQUE

Treze quilômetros antes do centro da cidade, surge o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, criado em abril de 1989, com área total de 33 mil hectares, administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Com uma de suas portarias praticamente às margens da rodovia MT-251 é possível começar a conhecer um pouco deste local incrível antes mesmo de se chegar à cidade. Muna-se então do seu espírito de aventura, pegue água, protetor solar e prepare-se para conhecer um lugar que mescla cerrado, cachoeiras e cânions, além de pinturas rupestres e formações rochosas incríveis.

Geralmente um dos primeiros passeios por lá é uma visita à cachoeira Véu da Noiva. Para isso basta cruzar a portaria e seguir as placas indicativas, pois a trilha auto-guiada o levará até o mirante desta cachoeira. Serão aproximadamente 40 minutos de caminhada bem tranquila, porém sob forte calor. E se você gosta de quedas d’ água, continue seu tour pelo chamado “circuito das cachoeiras”, para conhecer outras quedas, como Andorinha, Hidromassagem, Prainha, Degrau, Pulo, dos Namorados e da Salgadeira.

No entanto, se você curte boas caminhadas, inclua no seu roteiro um trekking em direção ao Morro de São Gerônimo, o mais alto da região, com 836 metros de altitude. Serão cinco horas de caminhada e trinta minutos de escalada – só a ida. Mas o esforço vale a pena, levando-se em conta a paisagem panorâmica e as atrações ao longo do caminho, como as muitas formações rochosas curiosas, batizadas como Casa de Pedra, Jacaré de Pedra, Cogumelo de Pedra, Totem e Mesa do Sacrifício. E aqui fica uma dica: muitos desses passeios você pode fazer sozinho mas, em outros, principalmente os mais longos, o ideal é contratar guia especializado. Dessa forma você aproveitará melhor seus passeios pelo parque, terá mais informações, segurança e tranquilidade (veja indicações de guias e agências no final desta reportagem).

CHAPADA DOS GUIMARÃES

O tempo parece ser generoso com a simpática Chapada dos Guimarães. Por lá é possível circular com calma por ruas tranquilas. Assim que se chega ao centro da cidade, logo se vê a Igreja Nossa Senhora de Santana, que parece debruçar-se sobre a vila e lhe dar mais paz ainda. Simples, pintada de branco e azul, cercada por uma grande praça repleta de árvores, essa igreja é o ponto central da cidade e em seu entorno surgem sorveterias, bares, restaurantes e lojas de artesanato. Tudo isso junto dá uma cor especial à pequena Chapada dos Guimarães, principalmente ao anoitecer, quando as luzes desse comércio colorem todo lugar. Começa também a ser perceptível a música tocada ao vivo nos bares e restaurantes, as risadas das crianças que brincam pela praça e o vaivém de pessoas de todos os cantos do Brasil (mas principalmente de Cuiabá), que buscam então as delícias da culinária local ou simplesmente um banco na praça para se sentar e ver passar a vida tão bela que ali pulsa.

No dia seguinte a vida recomeça cedo e os viajantes seguem em busca de novas aventuras, como um passeio até a caverna Aroe Jari, uma gigantesca gruta de arenito, com 1.500 metros de extensão, com inscrições rupestres. Seu conjunto inclui ainda a Lagoa Azul, de águas transparentes. Muitos seguem para a Cidade de Pedra, emoldurada por rochas pontiagudas que se assemelham a castelos medievais, cujas formações espalham-se por cânions que chegam a 350 metros de altura em meio a escarpas frequentadas por araras-vermelhas. Outros seguem para mergulhos em balneários, rios e cachoeiras ao lado da Chapada dos Guimarães.

EM BUSCA DE ADRENALINA

No entanto, parece que quem mais se diverte por lá é a turma do off-road, já que eles podem curtir isso tudo e ainda acelerar por inúmeras trilhas e pequenas estradas de terra que cortam a região. E o off-road por ali é dos bons, sendo que a Chapada dos Guimarães é palco para grandes rallys e enduros, como para trilhas de fim de semana. Evidentemente que tudo levando em consideração os limites e locais permitidos para tal, pois é notória a preocupação dos trilheiros que frequentam a região em relação a preservação ambiental, das propriedades e respeito aos moradores. Sabendo disso, e sempre em busca de adrenalina, uma galera amante dos quadriciclos reuniu-se na Chapada dos Guimarães e partiu rumo às trilhas da região. A reunião da turma começou logo cedo e, logo após um belo café da manhã, aconteceu um brieffing no qual foi explicado o circuito, tipo de terrenos a serem enfrentados e, por fim, dicas de pilotagem e de uso correto dos equipamentos de segurança.

Pouco depois, amigos, casais, pais e filhos já estavam em suas máquinas acelerando pelos caminhos da Chapada. Um dos primeiros desafios veio em meio a uma plantação de eucaliptos e um piso em areia branca e solta permitiu a todos acelerarem um pouco mais. A seguir veio uma trilha mais estreita, em terra vermelha, repleta de pequenos morros em sequência.

E, como havia chovido no dia anteiror, a lama logo se fez presente, para alegria de todos. Trechos alagados e lamaçais começaram a surgir em meio ao cerrado. Era hora, então, de pilotar de forma mais técnica, usar a tração das máquinas e se enlamear. Depois foi a vez de um trecho mais longo por estrada de terra, no qual foi possível acelerar mais forte novamente. Dessa forma, as horas pareceram voar e ao entardecer o grupo retornou para Chapada dos Guimarães e “desfilou” pelo centro.  A cidade literalmente parou para ver as máquinas passarem vagarosamente. Por fim, todos retornaram para o sítio que serviu de base para o passeio, onde uma galinhada especialmente preparada aguardava a todos. Muita conversa, risadas, novas amizades foram então formadas e novas aventuras combinadas.

SERVIÇOS

MT Powersports (65) 3634-4744

Concessionária Can-Am em Cuiabá (MT)

Rod. Emanuel Pinheiro (MT-020), km 2

Agência de Turismo Chapada Off Road (65) 3301-2441 / 8137-6199

www.chapadaoffroad.com.br

Trilhas Brasil (065) 8119-9324 / 9906-7058

E-mail: centraldeguias@yahoo.com.br

Fora de Estrada Eco Tour (65) 9953-3778 / 9246-6795

E-mail: foradeestradatour@gmail.com

ONDE FICAR

Hotel Turismo (65) 3301-1176

www.hotelturismo.com.br

Pousada Portal da Chapada (65) 3301-1060 / 9289-2204

www.portaldachapadamt.com.br

Pousada Villaggio (65) 3301-1611 / 9928-2009

www.pousadavillaggiochapada.com.br

*Matéria publicada na edição #173 da revista Moto Adventure.

DEIXE UMA RESPOSTA