On The Road – Suécia – Dias de glória

Suécia

Casal de viajantes fez um “tour” incrível pilotando motos dos anos 1970 e 1980

Texto: Wilson Fruchtengarten
Fotos: Diva Felisberto

Os motociclistas Wilson Fruchtengarten e Diva Felisberto fizeram um “tour” pela Suécia. Além de conhecerem lugares belíssimos, tiveram a oportunidade de pilotar motocicletas clássicas. Confira o relato de Wilson.

RUMO AO VELHO MUNDO!

Nosso roteiro pela Europa começava e terminava por Copenhagen (Dinamarca). Conseguimos, na última hora, mais cinco dias de férias e chegamos ao destino com antecedência, o que nos permitiu fazer um passeio até a Noruega de navio. Foi sensacional, mas minha expectativa era a de logo estar em cima de uma moto rodando pelas estradas. Isto seria feito por intermédio dos irmãos Ulf, Mats e David Eriksson, três aficionados por motocicletas clássicas dos anos 1970 e 1980. O trio transformou esta paixão em “ganha-pão” ao montar uma agência de turismo com excursões pelo sul da Suécia, sempre feitas com motos italianas Ducati, Moto Guzzi e Laverda: a “Scania Classic Bike Tours”.

Na data combinada, Ulf Eriksson foi nos buscar no hotel, de carro, e cruzamos a ponte que separa a Dinamarca do sul da Suécia. Instalamo-nos em Lund, em um hotel bem central e com acesso fácil a todas as comodidades.  Esta região foi sede religiosa de toda a Escandinávia na Era Medieval e preserva uma catedral imponente, entre outras construções antigas. Já a vida noturna do centro universitário é agitada mesmo nas férias de verão.

Na manhã do dia seguinte, conhecermos o galpão onde ficam guardadas as motos, que carinhosamente chamei de “Caverna do Batman”.  Fomos apresentados às máquinas da coleção dos Eriksson, disponíveis para os passeios, e pudemos experimentar cada uma. Algumas não ficaram prontas a tempo para o “tour” deste ano, mas pudemos ver uma rara Laverda 750 e duas BSA que me fizeram pensar em outra visita à região, assim que possível.

As motos, em sua maioria, estão em perfeitas condições de uso.

LUGARES INCRÍVEIS

A receptividade e o carinho dos irmãos para conosco é digna de ser destacada. Além disso, Ulf passa boa parte do ano trabalhando no Brasil e sua esposa é daqui. Nossos roteiros diários eram, em média, de 150 km, majoritariamente por estradas vicinais com visuais deslumbrantes. Campos cultivados de trigo, mostarda e beterraba resplandeciam com um colorido especial. O verão, ao sul da Suécia, nos surpreendeu pela temperatura (em torno de 26°) e por um céu sem nuvens. Nesta época, a claridade do dia se mantém até as 22h00.

Tivemos a oportunidade de visitar castelos, cidades portuárias e pontos turísticos com belíssima arquitetura típica. Nas estradas, fizemos deliciosas paradas em docerias e cafés.

VILAREJO VIKING

Um ponto alto da viagem foi nossa visita a um vilarejo viking, cujos moradores vivem como se ainda estivessem no século XI.  Eles caçam, pescam e produzem artesanatos. Conferimos o interior das casas e interagimos com os habitantes. Foi uma experiência incrível!

Na volta de um desses passeios, conheci um galpão de restauração de motos com loja de peças originais dos anos 1940 e 1950, onde são comercializadas motos Triumph antigas (reconstruídas com novas peças). Na qualidade de restaurador de motos e apreciador de um trabalho bem feito, não queria mais sair de lá!

“BANHO DE CIVILIZAÇÃO”

Também fiquei positivamente impressionado com um museu que sintetizava toda a era industrial, com exemplares significativos de cada especialidade. Nos deliciamos contemplando carros, máquinas fotográficas, telefones, carrinhos de bebê, roupas, bicicletas, automóveis e motos (que iam de 1911 a 1950).

Fomos, também, a um encontro de veículos antigos (carros, motos e aviões) que acontece todas as terças-feiras em uma grande área aberta. São notáveis a quantidade e a qualidade de veículos expostos, assim como um detalhe desconhecido por aqui: não há bebida alcoólica à venda (e ninguém reclama disso). A incluir nesse “banho de civilização” a informação de que, em um local com mais de 500 pessoas, pudemos deixar tranquilamente nossos capacetes, luvas e casacos em cima das motos enquanto fazíamos fotos do evento. Quando voltamos, estava tudo ali, intocado. Um dos muitos aspectos que fizeram desta uma viagem memorável para nós.

Para saber mais sobre os irmãos Eriksson e a Scania Classic Bike Tours: www.scaniaclassicbiketours.com

*Matéria publicada na edição #143 da Moto Adventure.

DEIXE UMA RESPOSTA