Muito antes da marca se apossar da categoria mundial de motos elétricas em 2023, ela já mostrou como o modelo de competição será

Nós já dissemos aqui que a Ducati será a fornecedora exclusiva de motos da MotoE em 2023, não é? Então, essa é a moto que irá competir na categoria à partir do ano mencionado. Ao contrário da atual Enérgica Ego, essa Ducati não foi desenvolvida para uso na rua e depois adaptada para correr, já nasceu para as pistas e provavelmente influenciará as motos de rua da marca.

Diferente do que temos visto nos protótipos da MotoGP, a nova Ducati elétrica não tem asas, dixando o design mais limpo. Talvez porque a distribuição de peso impedirá que a roda dianteira saia tanto do chão? Ainda é muito cedo para dizer, mas as motos elétricas ainda precisam carregar muito mais peso que as à combustão por conta das grandes baterias necessárias para aguentar os 40 e tantos minutos de cada prova.

Para contornar o excesso de peso das baterias, notamos que a fibra de carbono foi utilizada em praticamente todos os componentes possíveis. Carenagens, balança traseira, rodas e até mesmo o quadro parecem ser de fibra de carbono!

Olhando ela de frente, os grandes radiadores dão a impressão de ser uma moto à combustão, porém a ausência de escapamento logo desmente o pensamento. Afinal, algumas baterias também precisam de um refresco quando trabalham constantemente no limite.

Por hora, não podemos dizer muito mais sobre o modelo, além de que ele parece ser realmente muito veloz! Quem sabe 2023 seja o ano em que os tempos de volta das motos elétricas irá superar o das motos à combustão? Resta esperar para ver!

Moto Adventure, a Revista dos Melhores Motociclistas

Let’s Go Together! 

Deixe uma resposta