Guto Simião, piloto MXF Motors, dá 10 dicas para quem quer iniciar uma aventura off-road

Realizar trilhas em grupo é garantia de diversão, velocidade e muito desafio, mas é necessário alguns cuidados

Texto: Redação
Fotos: Divulgação/MXF Motors

É cada vez mais comum encontrar pessoas com as mesmas afinidades e que integram grupos de trilheiros como o Trail Clube de Curitiba, criado há 35 anos por apaixonados pelo off-road. Eles abrem trilhas por Curitiba e região e organizam eventos mensais, que reúnem mais de 200 paricipantes.

A ideia ganha adeptos por todos os cantos do Paraná. Em Mandirituba (RMC-PR), por exemplo, trilheiros criaram há 3 anos um grupo com cerca de 70 integrantes, os Skollrrregados, que se reúnem constantemente desfrutarem de toda a adrenalina que este esporte oferece.

“São percursos que variam de 50 a 100 quilômetros que contemplam belas paisagens, riachos e muito barro. A emoção toma conta e você esquece todos os problemas. Como os encontros acontecem aos finais de semana, esta é uma ótima prática contra o stress do dia a dia”, conta Guto Simião, piloto de Enduro há 15 anos.

A paixão foi tanta, que Guto transformou a brincadeira nascida na infância em profissão. Foi piloto profissional de Enduro de Regularidade e ganhou diversos campeonatos paranaenses e catarinenses. O patrocínio de empresas como a MXF Motors do Brasil, montadora de motos com sede em Curitiba, garantiu sua permanência no meio.

Profissional ou amador, o motociclismo off-road garante diversão, velocidade e muito desafio, mas é necessário alguns cuidados. Confira abaixo 10 dicas do piloto Guto Simião para quem quer iniciar no esporte. 

1 – O primeiro ponto é ter uma motocicleta. Segundo Guto, a MXF Motors oferece várias linhas de motos e motores que podem ser uma boa porta de entrada para o mundo off road, como a MXF250R.

2 – Antes de ligar o motor, priorize a segurança. Não podem faltar: bota, joelheira, calça, cinta, camisa, cotoveleira, luva, colete, capacete, óculos, mochila de hidratação.

3 – Jamais faça trilha sozinho, pois caso ocorra algum acidente ou sua moto quebre, terá dificuldades no socorro ou até mesmo para retornar.

4 – No início, procure andar logo atrás do piloto mais técnico e observar a forma dele conduzir a moto (o mais técnico não é o que corre mais e sim aquele que transpõe os obstáculos com mais facilidade e segurança).

5 – Persista! não ache que você não aguenta, que é muito cansativo ou que não leva jeito. No início você se cansará mais que os outros, por dois motivos: seu corpo não está acostumado a fazer este tipo de exercício e por falta de técnicas e experiência.

6 – Às vezes, não conseguimos prestar atenção na pilotagem dos outros, por estarmos tensos e muito presos aos obstáculos. Quando isso acontecer e você perceber que está tendo dificuldades, pergunte a outro trilheiro, de preferência o mais experiente, o que ele faz na situação que está tendo dificuldade.

7 – Quando chegar a um obstáculo e não sentir segurança em passar, espere alguém passar, para que possa analisar melhor.

8 – É muito importante beber água. A falta de hidratação pode trazer diversos problemas ao organismo como tonturas, problemas na visão, mal estar. No caso de esportes que exige muito esforço por períodos prolongados e expostos ao sol, torna-se ainda mais importante.

9 – Ainda sobre hidratação, um detalhe: independente do tipo de mochila que escolha é bom enchê-la de gelo quanto estiver saindo de casa e só completar com água quando estiver saindo para trilha. Nunca coloque o recipiente da mochila no congelador, pois certamente irá rasgar quando for retirá-lo.

10 – Leve algo para comer (uma fruta, barra de cereal, chocolate), pois ficar horas fazendo esforço sem comer nada também poderá causar problemas no organismo. Deve-se evitar alimentos que possuem dificuldades de digestão.

DEIXE UMA RESPOSTA