“Liberdade, liberdade!” – Redenção da Serra (SP)

Igreja - Redenção da Serra (SP)

Com pouco mais de 4 mil habitantes, Redenção da Serra (SP) é uma ótima opção para um passeio de fim de semana

Texto: Bruna Scavacini
Fotos: Marcos Duarte / Divulgação

A 200 km da capital paulista, lá para as “bandas” do Vale do Paraíba, encontramos Redenção da Serra, que teve sua origem a partir de um bairro rural (Santa Cruz do Paiolinho), no período áureo do café, tornando-se vila em 1877 (e cidade em 1935). Pequeno e pacato, o município é um destino agradável para uma viagem de moto.

ABOLIÇÃO

Hoje, Redenção da Serra tem pouco mais de 4 mil habitantes. Seu nome deriva de eventos ocorridos a 10 de fevereiro de 1988. Três meses antes da abolição dos escravos (sancionada a 13 de maio de 1888), Paiolinho já havia libertado todos os seus cativos. Isto é lembrado já na entrada da cidade, onde uma imensa escultura de bronze atesta a vocação do município para a liberdade. A estátua mostra dois escravos libertando-se de seus grilhões.

INUNDAÇÃO

Apesar de ser o Berço da Liberdade Paulista, na década de 1970 iniciou-se a construção da Represa do Rio Paraitinga, em ligação com Paraibuna, o que levou ao quase desaparecimento de Redenção da Serra.

Embora não tenha sido totalmente tragada pelas águas, como a vizinha Natividade da Serra, ela precisou ser reconstruída em um morro próximo. No antigo local restaram, intactas, a esplendorosa Matriz, construída em 1882, a Prefeitura e a Câmara Municipal, além de algumas casas antigas. Mesmo assim, acham-se abandonadas no entorno da cidade.

As únicas lembranças daquele passado são antigas fotos carcomidas e algumas cenas de filmes do comediante Mazzaropi. Hoje, Redenção da Serra é uma cidade bonita e acolhedora. E a mesma represa que, anos atrás, trouxe dor e tristeza à região, agora colabora para seu potencial turístico.

ATRAÇÕES

Do “centro novo”, pode-se ver o “centro velho”, com sua antiga matriz. A organização, limpeza e segurança do município encantam os visitantes. Uma avenida marginal estende-se de lado a lado da cidade, exibindo a beleza das águas (propícias a esportes dos mais diversos). A noite não fica sem encantos, já que alguns lugares proporcionam diversão sadia aos moradores. Bem na parte alta está o Palco de Show, um espaço público inusitado. Limpo, organizado e conservado, ainda agrega uma espécie de museu ao ar-livre, com imagens históricas da cidade.

ESPORTES NÁUTICOS

É possível ver, ao lado da cidade, inúmeros barcos, caiaques e canoas amarradas a estacas, o que sugere um grande afluxo de pessoas pelas límpidas águas da represa.

Na verdade esta fica apinhada de veículos náuticos nos finais de semana de sol – e a “prainha” que circunda a cidade é um “point” de verão.

A Falcon 400i estava no lugar certo, ao lado da represa, em uma estradinha de terra batida que acompanha a margem por alguns quilômetros.

PESCA

Se os esportes náuticos têm grande aceitação local, a pesca não é menos popular. Em todas as épocas, a cidade recebe turistas adeptos desta prática. Barcos deixam constantemente o município em busca de refúgios “secretos” ao largo da represa, sempre repletos de peixes.

TERCEIRA IDADE

Em um passeio de moto pela cidade, fomos surpreendidos por um senhor muito falante, que fez questão de examinar detalhadamente a moto e convidar-nos para visitar sua casa. Na verdade, “casa” de outras pessoas, também, pois se trata de um Abrigo Vicentino.

Apesar da chuva, aceitamos o convite. A recepção foi calorosa, com todos os velhinhos querendo mostrar suas acomodações (lindas, por sinal) e contando “causos” antigos e relembrando parentes distantes. Momentaneamente, quebramos a solidão de nossos anfitriões com nossas gargalhadas e o ronco de nossas motocicletas. Uma visita atípica, mas que não será esquecida. Um cafezinho “pelando” (e muito saboroso) selou a nossa estadia.

INFRAESTRUTURA

Não são muitas as ofertas em hospedagem e alimentação na área urbana do município. Há poucos estabelecimentos, porém, estes servem bem ao turista. Logo à beira da represa, em um lugar bucólico, o “Quiosque do Marcos” alegra a clientela durante o dia e a noite, com música ao vivo. Marcos garante: “O melhor do cardápio é a vista!”

COMO CHEGAR

Redenção da Serra fica na Estrada SP-121, que sai da Rodovia Oswaldo Cruz (Taubaté – Ubatuba), Km 25

ONDE COMER

Quiosque do Marcos Machado – Ao lado da ponte de acesso à cidade

Restaurante Castelo – Situado na entrada da cidade, na rotatória

ONDE FICAR

Pousada do Lousada (12) 3633-3485

Estrada dos Leais, nº 2390. Bairro dos Leais

e-mail: donizetilousada@hotmail.com

*Matéria publicada na edição #151 da revista Moto Adventure.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA