Kawasaki apresenta versões 2018 da Ninja 650 ABS e Ninja 1000

Kawasaki Ninja Estrada
Kawasaki Ninja Estrada

Marca japonesa atualiza linha esportiva e apresenta versões 2018 da Ninja 650 ABS e da Ninja 1000

Texto: Redação
Fotos: Kawasaki EU

 

Kawasaki

A Kawasaki do Brasil acaba de disponibilizar ao mercado nacional dois novos lançamentos que passam a integrar a linha Sport 2018 da marca japonesa. A Ninja 650 ABS retorna às concessionárias com diversas atualizações. O novo modelo ficou mais leve, econômico e, principalmente, priorizou o desempenho nas médias e baixas rotações. Outra novidade é a reformulação da Ninja 1000. O modelo de alta cilindrada chega à terceira geração com um visual ainda mais esportivo e com a eletrônica totalmente renovada.

Logo em uma primeira análise visual, os consumidores da Kawasaki já poderão perceber as novidades da nova Ninja 650 ABS 2018. Os desenvolvedores japoneses optaram por deixá-la com um aspecto mais agressivo e inspirada nas versões SuperSport da marca. Para isso, o lançamento recebeu nova carenagem frontal, uma rabeta ainda mais compacta e lançada para cima e uma modificação no formato do farol. Já a lanterna traseira ganhou lâmpadas de LED que formam a letra X e dão um aspecto bastante esportivo à motocicleta.

VEJA TAMBÉM: Kawasaki apresenta a Z650 ABS e aumenta o line up da marca.

Kawasaki Ninja
Kawasaki Ninja

Pacote eletrônico avançado

Ao girar a chave no contato, o usuário irá perceber um painel de instrumentos moderno com display em LCD, velocímetro e indicador de marchas digitais. E além das funções tradicionais, como hodômetros total e parcial, média do consumo de combustível, temperatura do líquido de arrefecimento e relógio, a nova Ninja 650 ABS traz também uma luz que sugere o momento mais indicado para a realização da troca das marchas baseado na rotação do motor.

E por falar em motorização, o modelo bicilíndrico de 649cc ganhou ainda mais performance nas médias e baixas rotações. O intuito da Kawasaki foi priorizar a pilotagem no dia a dia. Assim, a Ninja 650 ABS 2018 entrega uma potência suave abaixo das 3.000 rotações (rpm), fato que permite ao piloto ter maior confiança para explorar o acelerador nas rotações mais altas.

Outro grande destaque da nova Ninja 650 ABS é a relação entre peso e economia. O modelo enxugou 15 quilos em relação à versão anterior e com isso baixou, em média, 6,8% seu consumo de combustível. Diversos fatores contribuíram para isso, entre eles estão a utilização de novas tecnologias, como cilindros do tipo open-deck e mudanças no design da balança traseira e do quadro, que ficaram mais leves.

VEJA TAMBÉM: Entre o céu e a terra: Viagem de moto pelos caminhos do sul de Minas.

Kawasaki Ninja
Kawasaki Ninja

A Ninja 650 ABS 2018 traz ainda uma porção de novidades. Destaque para a nova alavanca de câmbio do tipo Link, a tecnologia de embreagem Assistida & Deslizante – desenvolvida especialmente para as pistas pela equipe Kawasaki Racing Team – e os freios no formato margarida com diâmetro de 300 mm na frente e 220 mm na traseira.

Mil motivos para sonhar

Já o segundo lançamento da Kawasaki – há algum tempo esperado – é a Ninja 1000 ABS 2018. A motocicleta de 1.043 cm³ de cilindrada chega ao mercado brasileiro com um visual renovado e com a parte eletrônica totalmente modernizada. A superesportiva de quatro cilindros e potência máxima de 142 CV recebeu a última versão do software de modelagem avançada da Kawasaki para o desenvolvimento de um quadro com curvas suaves e um mínimo de soldas, garantindo um nível de tensões extremamente baixo. O KCMF (Kawasaki Cornering Management Function) gerencia os diversos parâmetros de motor e chassi e ajusta a intensidade de frenagem, através do KIBS e a potência ideal (Controle de tração KTRC), para uma transição suave entre aceleração e retomada ao percorrer curvas.

Tratando-se exclusivamente dos freios, a Ninja 1000 ABS 2018 está equipada com um sistema de gerenciamento de alta precisão. O KIBS – Kawasaki Intelligent anti-lock Brake System – assegura uma frenagem praticamente perfeita com um mínimo de interferência durante a pilotagem esportiva. Através de sensores de velocidade nas duas rodas, o sistema monitora a pressão hidráulica da pinça dianteira e coleta diversas informações da ECU (Unidade de Controle Eletrônico) do motor. Com isso, o KIBS evita uma possível perda de performance nos momentos de frenagem.

VEJA TAMBÉM: Tour off-road – Viagem de moto pelo interior paulista.

Kawasaki Ninja
Kawasaki Ninja

Design inovador

Já em relação à aparência, a superesportiva ganhou um design bem mais agressivo. O lançamento traz novas linhas e uma carenagem frontal semelhante às utilizadas nas motociclistas de competição. Assim como nos lançamentos mais recentes da Kawasaki, a Ninja 1000 ABS 2018 traz ainda iluminação em LED em seu farol duplo, o que aumenta a intensidade e o alcance da luz.

E para maior conforto, o para-brisa com bolha dupla da motocicleta foi modificado e agora está 15mm mais alto no centro, o que ajuda evitar turbulências e reduz o impacto do vento. O equipamento ainda traz três regulagens de altura. Por fim, o painel de instrumentos recebeu um novo layout. Entre as novidades estão uma tela de LCD com velocímetro digital, indicador de posição de marchas e de temperatura externa.

Além da versão Standard na cor preta, a Ninja 1000 estará disponível na versão Tourer na tradicional cor verde, com um completo pacote de acessórios de série como slider, protetor de motor, tank pad e knee pad.  Outros diferenciais da versão Tourer são a bolha fumê, que confere à motocicleta um visual ainda mais atraente, e uma tomada de 12V para maior comodidade.

VEJA TAMBÉM: Customização: Bendita Escopeta! – Kawasaki Z300 customizada.

VALORES:

Ninja 650 ABS SE – Lime Green KRT Edition

Preço Público Sugerido: R$ 34.990,00

Ninja 650 ABS – Metallic Spark Black

Preço Público Sugerido: R$ 33.990,00

Ninja 1000 ABS – Metallic Spark Black

Preço Público Sugerido: R$ 56.990,00

Ninja 1000 Tourer ABS – Candy Lime Green

Preço Público Sugerido: R$ 59.990,00

Disponíveis na rede autorizada Kawasaki: a partir de julho de 2017.

Saiba mais no site.

VEJA TAMBÉM: Do litoral ao sertão, os desafios do RN 1500.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA