Longas viagens – Mundo afora – Parte 5

O que você realmente precisa saber se estiver disposto a fazer longas viagens e passar muito tempo na estrada

Texto e Fotos: Marcelo Leite

Na seção “Mundo Afora” da última edição (152), tratamos de Bagagem e Navegação GPS para uma grande expedição. Ainda como parte dos temas de Planejamento e Preparação, nesta edição, trataremos da preparação da moto.

Nestes anos de viagens e expedições, já fiquei parado na estrada várias vezes e passei por muitos perrengues. Por isso, quero dizer que vale muito a pena investir na preparação da moto antes de sair para a estrada.

Claro que é impossível evitar que a moto apresente algum tipo de problema, mas você pode minimizar a probabilidade disto ocorrer. Este é o objetivo!

Lembramos, também, que não há nenhum interesse em obtermos ganhos de performance. Ao contrário, queremos, aqui, aumentar a confiabilidade e a robustez. Um bom preparo começa com uma cuidadosa revisão geral da moto. Se você ainda não se sente capaz de fazer tudo por sua própria conta, peça para acompanhar passo a passo os trabalhos de um mecânico de sua confiança. Não economize nas perguntas! É um excelente exercício para sua preparação.

PARAFUSOS

Procure desmontar ao máximo os grandes conjuntos. Encontrar parafusos ou porcas engripados é sempre um transtorno. Imagine esta situação no meio do nada! Então, sempre que puder, coloque parafusos novos. Prefira os tipos Allen ou Torx.

ELÉTRICA & ELETRÔNICOS

Evite colocar acessórios que podem ser fontes adicionais de problemas (por exemplo: alarme). Verifique todos os conectores elétricos e sensores. Remova eventuais oxidações com produto específico para isto. Sempre que puder, reforce a vedação e o isolamento. Fita isolante e silicone costumam resolver. Lembre-se que você talvez passe por rios e muita areia. Em média, a vida útil de uma bateria não passa de três anos. Mesmo que em aparente bom estado, considere colocar uma nova.

CABOS

Uma ótima idéia é deixar pré-instalado um cabo de acelerador adicional. O objetivo é deixá-lo pronto para, em uma eventualidade, engatá-lo só nas pontas, sem ter o trabalho de fazer toda a passagem por debaixo do tanque. O mesmo vale para o cabo de embreagem.

FILTRO DE AR

Em busca de um pequeno ganho de potência, algumas pessoas colocam filtros de ar que aumentam o fluxo de ar. Só há uma maneira de aumentar o fluxo, filtrando menos! Portanto, não faça isso! Há regiões com areia tão fina quanto farinha de trigo. Se não tiver um filtro eficiente, como, geralmente, são os originais de fabrica (de papel), é certo que, uma hora, o motor será danificado.

COMBUSTÍVEL

Como já falamos nesta seção, autonomia é fundamental. Pense, então, em adotar um tanque de grande capacidade. Em alguns modelos, vale à pena rever, também, os filtros e a bomba de combustível (exemplo: Honda África Twin).

RODAS

Faça uma verificação caprichada do estado da roda, raios, válvulas e balanceamento. Se usar câmeras, não economize: coloque um novo par.

PNEUS

Os dois principais critérios na escolha dos pneus devem ser durabilidade e adaptação aos principais terrenos que você for enfrentar. Esqueça aderência e performance. Dependendo da situação, uso bastante modelos como: Metzeler Tourance e Continental TKC80.

CORRENTE E RELAÇÃO

Pegue a estrada com relação e corrente novas e de primeira qualidade. Algumas pessoas colocam pequenos kits de lubrificação. Um pedaço de mangueira, um tubo fino e um dosador bem conectado podem facilitar a vida na estrada.

BANCO

Seu banco é adequado em termos de altura e de conforto? Você pode trocar ou modificar seu banco. Pode, ainda, usar almofadas de ar ou até as excelentes peles de carneiro. Depois de muitas horas e por muitos dias, você não se arrependerá de ter investido nesses itens.

ESCAPAMENTO

Apesar de contrariar as normas antipoluição, muitos retiram o catalisador. O uso prolongado de gasolina com chumbo, ainda encontrado em alguns países, pode, de fato, danificar este componente. Pense bem antes de se decidir por algo assim.

Muitos investem em escapamentos de titânio. Apesar do valor alto, há basicamente dois ganhos: diminuição de peso (exemplo: em uma GS1200 se ganha 4 kg) e aumento do ruído. O ruído mais alto é defendido como um elemento adicional de segurança, já que ajuda o piloto a se fazer notar em zonas urbanas.

PROTEÇÃO

Pense seriamente em adotar protetores em geral, manetes e pedais articulados. Protetores de disco e de suspensão também ajudam.

PESO

O dimensionamento de “carga média” utilizado pela maioria das fábricas é de aproximadamente 100 kg. Rodar muito tempo acima desta média demandará muito esforço da suspensão e do quadro. Se você estiver levando garupa ou muita carga, avalie a possibilidade de adaptar (ou, em alguns casos, apenas calibrar) a suspensão para valores maiores. Pense, também, em reforços simples no quadro.

Uma dica final: quando pensamos na preparação, nossa cabeça deve se concentrar em coisas ruins que podem nos acontecer. Isto pode parecer até desanimador para alguns. Na verdade temos que passar por esta etapa para obtermos o máximo de prazer durante a viagem.

Pode ter certeza de que, ao voltar para casa, você será uma pessoa diferente, muito mais realizada e feliz. É provável que comece, então, a planejar e a preparar sua nova expedição. E são coisas assim que fazem a diferença entre viver ou apenas existir. Até a próxima edição!

Confira a Parte 123 e 4 da sessão Longas Viagens.

*Matéria publicada na edição #153 da revista Moto Adventure.

DEIXE UMA RESPOSTA