Longas viagens – Mundo afora – Parte 8

O que você realmente precisa saber se estiver disposto a fazer longas viagens e passar muito tempo na estrada

Texto e Fotos: Marcelo Leite

Na seção “Mundo Afora”/longas viagens da última edição (155), começamos a falar sobre os melhores e piores países para se incluir (ou evitar) em sua próxima viagem de moto. Desta vez, abordaremos o continente africano, onde meus países prediletos são: Sudão, Tanzânia, Moçambique e África do Sul.

SUDÃO

Apesar da má fama, o Sudão é um lugar surpreendente. Rodar pelo deserto de Núbia, no meio da imensidão sem fim de areia fina amarelada, é uma sensação única. Nos minúsculos povoados, a receptividade é sempre especial – e as conversas são longas! Perto de Merowe, surgem, das areias, as pirâmides Núbias. Elas não têm o porte das Egípcias – mas, em compensação, não têm turistas, sujeira e os insuportáveis vendedores. Vale a descoberta!

TANZÂNIA

A Tanzânia oferece uma infinidade de atrativos. O Serengeti, o mais famoso parque natural do mundo, é imperdível. Toda a região norte, em torno do Kilimanjaro, tem boas estradinhas e vilarejos aconchegantes. Se você gosta de praias de cartão postal, não perca a ilha de Zanzibar. Mais ao sul, você ainda poderá rodar de moto pela reserva Mikumi. Esta é uma das raras reservas completamente abertas, sem nenhuma demarcação por cercas. Ali, a advertência “animais na pista” se refere a elefantes e girafas! Sem contar o povo acolhedor e as estradas deliciosas.

MOÇAMBIQUE

Moçambique é envolvente e apaixonante. Não só pelos laços comuns de nossos idiomas. O carinho das pessoas é notável e se faz presente no dia-a-dia, na estrada, nos vilarejos e nas praias. Antes de chegar a Moçambique, eu lera que o litoral do país é um dos mais belos do mundo – mas não imaginava o quanto. Oceano Índico – beleza de tirar o fôlego! Mar azul em várias tonalidades, alvos bancos de areia a perder de vista, golfinhos e corais. Ao norte do país, o litoral é quase intocado, mas muitas estradas são de terra ou têm pistas de areia. Quanto mais ao sul, mais infraestrutura e desenvolvimento há – mas a beleza e a receptividade estão sempre presentes.

ÁFRICA DO SUL

A África do Sul é bem desenvolvida e possui bolsões de riqueza impressionantes. As lojas de acessórios de motos são de deixar qualquer brasileiro de boca aberta. A infraestrutura é digna de países ricos. Há quem diga que rodar pela África do Sul não é rodar pela “verdadeira” África. Isto é um exagero – mas, de fato, um dos maiores atrativos do continente (o convívio caloroso com as pessoas) se perde um pouco na África do Sul. Em compensação, as atrações são muitas. As reservas na província de Limpopo, incluindo o famoso Kruger Park, são fantásticas. Rodar pelo deserto de Karoo, no centro do país, é muito gostoso e relativamente tranquilo. Apesar do nome “deserto”, não há areia, mas terra escura batida e vegetação rasteira. O litoral sul e a Cidade do Cabo têm um certo ar de Austrália e valem muito a pena.

Ainda no continente africano, há outros lugares que recomendo evitar (veja a seguir).

ETIÓPIA e ANGOLA

A Etiópia é culturalmente interessante, mas o convívio diário com a miséria é emocionalmente desgastante. Já Angola tem muitos parentescos com o Brasil, mas não tem a beleza dos países vizinhos. O país passa por um período de desenvolvimento acentuado e, com isto, os preços são altíssimos, sem oferecer a contraparte.

MARROCOS E EGITO

Marrocos e Egito são países muitos atrativos pela natureza e, principalmente, por suas histórias. Mas, por serem focos de turismo desenfreado, há muito tempo perderam completamente a espontaneidade dos demais países africanos. Ao invés das relações calorosas, o que se encontra nestes dois países são relações de puro interesse comercial. Assédio em tempo integral para pegar um pouco do seu dinheiro. Em alguns momentos, isto chega a ser insuportável! É claro que há muitos outros lugares bacanas no continente, como a Namíbia, Senegal e Lesoto.

INTENSIDADE

Costumo dizer que o maior risco de se rodar de moto pela África é você se apaixonar perdidamente pelo continente. De fato, ele oferece experiências e dias intensos, como nenhum outro. A riqueza está na diversidade cultural, no calor da população e na exuberância da natureza. É claro que existem desafios – mas as recompensas são muitas! Diferentemente do que muita gente imagina, a região é bem mais segura que a América Latina. Se tivesse que escolher apenas um continente para rodar, não teria dúvidas: África! Pense seriamente na possibilidade de encaixá-la em seu próximo roteiro. Você não vai se decepcionar. Na próxima edição, daremos continuidade às nossas recomendações dos melhores países para suas próximas viagens. Até lá!

Confira a Parte 123456 e 7 da sessão Longas Viagens.

*Matéria publicada na edição #156 da revista Moto Adventure.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA