O “pega” ocorreu na Argentina e mais uma vez teve muita emoção

POR REDAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

O Grande Prêmio do Qatar da categoria Moto2, realizado no dia 10/03, foi o primeiro com os motores Triumph de 765 cc. Foram mais de 3.000 quilômetros percorridos pelos pilotos, dando início a uma nova era nessa importante categoria do motociclismo mundial. A corrida inaugural foi cheia de ação, com a participação de 32 motocicletas. A segunda etapa da categoria Moto2, na Argentina, foi outra corrida emocionante, com novos recordes de volta. A disputa aconteceu no último domingo (31 de março) no autódromo de Termas de Rio Hondo, localizado na província de Santiago del Estero. O grande vitorioso, que já havia vencido no mês passado o GP do Qatar, foi o italiano Lorenzo Baldassarri. Ele finalizou a prova com um tempo 51,5 segundos mais rápido do que o vencedor da mesma prova em 2018.

Na sessão de qualificação, os tempos foram muito próximos, com os quatro primeiros colocados batendo o recorde de volta de todos os tempos, estabelecido por Johann Zarco, em 2015. Além disso, os 22 primeiros colocados ficaram separados por menos de um segundo. Esse ritmo de forte disputa e muita emoção foi repetido durante a corrida de domingo, na qual especialmente os 19 primeiros colocados foram mais rápidos que o vencedor do ano passado em condições semelhantes.

BATENDO RECORDES

O novo recorde de pole position foi do piloto espanhol Xavi Vierg, com um tempo de 1m42,726. Já a melhor volta foi do alemão Marcel Schrotter, com 1m42,693. O atual líder do campeonato, Lorenzo Baldassarri, largou na oitava posição no grid, e ainda na primeira volta chegou à quarta colocação. A disputa entre os competidores era tão intensa e todos corriam tão próximos que apenas na 19ª volta Baldassarri ultrapassou o australiano Remy Gardner, que estava na liderança e fez a volta mais rápida da corrida. Gardner liderou por 14 das 23 voltas, com Marcel Schrotter também tendo sua vez em outras cinco voltas. Mas foi Baldassarri quem liderou as últimas quatro voltas e recebeu a bandeirada final.

“Nós não poderíamos ter esperado mais das duas primeiras etapas da temporada deste ano da Moto2. Novamente, no último final de semana, vimos algumas disputas incrivelmente próximas e performances notáveis, estabelecendo novos recordes para o circuito da Argentina. Estamos muito orgulhosos do desempenho de nossos motores. O fato dos 19 primeiros colocados terem sido mais rápidos do que o vencedor do ano passado na Argentina demonstra o quanto nosso motor oferece de desempenho adicional aos pilotos neste ano”, explica Steve Sargent, chefe de Produto da Triumph.

O motor de corrida da Triumph, de 765 cc, é um desenvolvimento da motocicleta de rua Street Triple RS 765 cc (disponível no mercado brasileiro), que produz 140 cv de potência. A terceira etapa da Moto2 será realizada no Texas, nos Estados Unidos, no próximo dia 14 de abril.

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here