Viagem de moto pelo norte da Austrália – Parte 2

New Scuba Grand Reef

Tour de moto pela Oceania explora o norte da Austrália, de Cairns a Cape Tribulation

Texto e fotos: Leonardo Hasenclever

CROCODILOS E MAIS CROCODILOS

Seguindo para Cape Trib, passa-se por algumas pontes de madeira para um só veículo que atravessam córregos e rios de água cristalina, que inspiram banhos refrescantes, pois por lá o calor é forte! Porém, mais uma vez, a natureza impera e todos os rios são vedados aos banhistas e pescadores, pois crocodilos de água salgada e de água doce (este menores, mas não menos agressivos) frequentam aquelas águas. Impressionante. Passa-se a ter uma melhor ideia de como as paisagens que frequentamos na maior parte de nossa vida já estão muito transformadas pelo homem. Ali não. Ainda pouco alteradas as paragens surpreendem por não permitirem hábitos tão arraigados dentro de nós, como parar e tomar um banho de rio para refrescar… Ainda mais num calor litorâneo!

Neste trecho a floresta é simplesmente a mais bonita que já conheci na vida. Existem estruturas de auto-visitação que permitem ao turista adentrar e conhecer inúmeros elementos da paisagem. Tudo muito bem cuidado, apesar de não se ver viv’alma por aí. Eu mesmo tomei a passarela e fiquei cerca de uma hora e meia embrenhado no mato sem ver uma pessoa; nem lá dentro, nem entrando, nem saindo! A passarela leva-nos, através de uma floresta de mangue exuberante, até a foz do rio.

CAPE TRIB A PORT DOUGLAS

Cape Trib é um vilarejo pitoresco, em meio a uma floresta densa e com algumas poucas opções de hospedagem. A localidade é famosa pela beleza natural das praias, em frente à maior barreira de corais do mundo (The Great Barrier Reef). Mergulhos, caiaques, passeios de barco, caminhadas pelas trilhas e mirantes locais são formas de se ter diferentes ângulos de tanta beleza. Difícil descrever. Eu remei um caiaque de manhã bem cedo e pude, em cerca de uma hora, ver tartarugas, arraias e filhotes de tubarão se alimentando nos arrecifes logo abaixo de mim, a cerca de meio ou um metro de profundidade. O visual desde o caiaque para o continente impressiona mais uma vez pela cobertura florestal intacta, sem desmatamento.

Depois, na hora de partir, decidi retornar pelo interior. De Cape Trib a Port Douglas a mesma estrada, pois é a única e, de tão bonita, para falar a verdade, dá vontade de passar muitas vezes. Daí em diante sobe-se a serra para o interior a passa-se a viajar por belíssimas paisagens de fazendas, vilarejos e, como não poderia deixar de ser, várias estruturas de autovisitação para paradas rápidas, um pequeno descanso e observação de diferentes e singulares paisagens.

A última parada foi para observar a violenta queda d’água próximo à cidade de Mareeba. Uma estrutura impecável de visitação permite que, em menos de uma hora, tenha-se uma experiência chocante diante das dimensões bíblicas da cachoeira. Vale a pena!

Uma descida de serra supersinuosa e divertidíssima leva de volta a Cairns. Descanso, recomposição para as mais de 24 horas de viagem de volta, e uma vontade sem fim de continuar.

Confira a Parte 1 da aventura.

*Matéria publicada na edição #173 da revista Moto Adventure.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA