Viajando de moto pela Serra da Bocaina

Entre São Paulo e Rio de Janeiro, a Serra da Bocaina é um parque de diversões a céu aberto para quem curte caminhos fora de estrada

Texto: Egon Jenckel/Celso Renato A. da Silva
Fotos: Celso Renato A. da Silva

A Serra da Bocaina, palavra que significa depressão entre elevações dos terrenos, está situada entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Ela nasce próxima ao mar da baía de Angra dos Reis e estende-se até o Vale do Paraíba. Quem gosta de caminhos off-road certamente já ouviu falar da região, que oferece infindáveis opções para trilhas em motos off, trails e big trails.

O motociclista pode escolhar caminhos no trecho fluminense ou paulista, ou então mesclar os dois. Seja qual for a escolha, a diversão é garantida. No entanto, quem quiser desbravar a região e contar com mais infraestrutura, conforto e tranquilidade a dica é começar a explorar a região a partir do Hotel Porto da Bocaina, localizado em São José do Barreiro (SP), em uma região conhecida como Vale Histórico.

BELAS TRILHAS
Situado a 250 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro e a 270 da capital paulista, o viajante alcança o Porto da Bocaina através da rodovia BR-116 (Presidente Dutra), entrando em Queluz (SP) e indo em direção a São José do Barreiro (SP). A região é dotada de grande altitude, com uma grande diversidade de flora e fauna (até mesmo onças surgem por lá), muitas cachoeiras e riachos, com águas límpidas e principalmente belas trilhas da época das tropas de burros. Estes caminhos levavam café e ouro de Minas Gerais para o porto de Paraty. A cidade de São Jose de Barreiro (ponto de partida desta aventura) possui construções centenárias e bem conservadas. Lá você encontrará atividades culturais e também as mais radicais, como cannoying, moutain bike, trekking e voo livre. Estas atrações poderão garantir a diversão dos seus familiares enquanto você curte as trilhas.

Para conhecer um pouco desses caminhos off-road iniciamos essa aventura rumo à cidade de Areias (SP). Após quatro quilômetros de deslocamento em asfalto entramos em estradinhas de piçarra bem sinuosas até o início da trilha. Surgiram então vários riachos, porteiras e mata-burros. A subida da serra exigiu atenção, pois estávamos sempre beirando um penhasco. Além disso, a partir dos 1.000 metros de altitude a inclinação aumenta significativamente e, para dar mais emoção, o piso é de pedras soltas, sem chance de se encontrar terreno firme. E isso exige bastante técnica e resistência. Já no alto da Bocaina, a quase 1.900 metros de altitude, além das pedras surgem trechos erodidos.

Mas como aventura boa é sinônimo de desafios, ao final desta subida surge ainda um rio para atravessarmos. Outra coisa bacana: dependendo das condições climáticas, é bem provável que, em determinados momentos, você se dê conta e note algo diferente: é que nas partes mais altas da Serra da Bocaina, muitas vezes você estará “acima das nuvens”. Isso mesmo, as nuves estarão em altitude mais baixa que a sua.

CRUZE O RIO E SIGA VIAGEM

Este rio tem seu fundo pedregoso e escorregadio, com água límpida e cristalina. Cruzá-lo é bem divertido, mas requer técnica e concentração. Após vencer esse desafio, o caminho prossegue pelo topo da Serra da Bocaina, desta vez rumo à pequena  Silveiras (SP). Novamente muita pedra solta surgirá pela frente. Para compensar, esse é um trecho de trilhas velozes e logo mais outra boa surpresa irá surgir: é que, ao iniciar a descida rumo ao bairro dos Macacos (em Silveiras), surge o Sítio Pinhal, onde dona Marina gerencia um restaurante e uma pousada. Faça ali uma parada estratégica e prove o delicioso almoço que é servido por lá. Aliás, ali quase tudo que é servido é cultivado e criado por ela mesma e preparado em um fogão à lenha. E para finalizar com chave de ouro esse almoço, você poderá desfrutar de nove tipos de doces caseiros, acompanhados de café coado em saco de pano.

ABASTEÇA NO AÇOUGUE

Depois de curtir as delícias preparadas pela dona Marina volte para a trilha. E nesse ponto da viagem, caso você necessite reabastecer sua moto, siga até o açouge do Bairro dos Macacos. Isso mesmo, o açougue local também vende gasolina. E vale citar que o combustível não fica junto à carne.

Deixando Silveiras para trás será hora de retornar para São Jose do Barreiro e subir novamente ao topo da Serra da Bocaina, sempre com deslocamentos por estradinhas e trilhas até a portaria do Parque Nacional da Serra da Bocaina, onde se inicia uma descida da serra por uma estradinha bem sinuosa com bastantes pedras. Para finalizar esse tour bastará cruzar a cidade de São José do Barreiro e dali seguir de volta rumo ao Hotel Porto da Bocaina.

UM POUCO MAIS

Equidistante entre Rio de Janeiro e São Paulo, o Parque Nacional da Serra da Bocaina abrange uma área de aproximadamente 100 mil hectares. Nele concentra-se uma das maiores biodiversidades do planeta e o parque tem a maior área preservada de Mata Atlântica original do país. É uma região montanhosa, a 1.500 metros de altitude, em média, coberta por uma infinidade de orquídeas e bromélias, repleta de pássaros e refúgio de diversas espécies de animais em extinção. A Serra da Bocaina impressiona a todos pela exuberância de suas florestas e pela paz e tranquilidade encontrados a qualquer época do ano.

QUANDO IR

A melhor época para visitar a região é de março a novembro, no período de seca da região. No inverno o frio das nas montanhas pede um vinho em frente à lareira. Já a estação das chuvas (de novembro a março) é uma ótima dica para quem quer fugir do calor do verão e aproveitar as cachoeiras com águas mais quentes e cheias.

A região dispõe de pousadas para todos os gostos e preços. Nos restaurantes são servidos pratos à base de trutas e delícias caseiras feitas no fogão a lenha. Algumas das pousadas não têm luz elétrica e é preciso agendar o transporte com antecedência. Dentro do Parque não existe qualquer tipo de comércio. É recomendável levar o básico para seu bem estar pessoal, como remédios, filtro solar, hidratantes etc.

ONDE FICAR

Hotel Porto da Bocaina (12) 3117-1221

Rodovia dos Tropeiros, Km 260, São José do Barreiro (SP)

www.hotelportodabocaina.com.br

Refúgio Ecológico Vale dos Veados (12) 3117-1192

Fica dentro do Parque Nacional da Serra da Bocaina. Para chegar lá é necessário chegar ao Hotel Porto da Bocaina e solicitar autorização do IBAMA. Apenas motos off e veículos 4X4 chegam ao Refúgio. É possível contratar serviço de transporte junto ao hotel.

www.hoteisdabocaina.com.br

Pousada do Conde (12) 3144-3868 / 997187392

Fica em Areias, Consulte sobre transporte.

https://sites.google.com/site/pousadadoconde/

ONDE COMER

Sitio Pinhal – Pousada Rural (12) 3102-7179 / 9600-6836

Restaurante com comida caipira feita no fogão à lenha

Estrada dos Macacos, Km 18, Silveiras (SP).

E-mail: sitiopinhal@caminhosdacorte.com.br

SERVIÇOS

Ao viajar para a região procure o Marcelo no Hotel Porto da Bocaina. Ele é  grande conhecedor da região e pode ser contratado como guia.

Trail Trip Off-Road (11) 99296-4677

Fale com Celsinho, que organiza uma série de trips off-road pela Bocaina e Brasil afora.

DEIXE UMA RESPOSTA