Empresário, leitor de Moto Adventure, está fazendo uma saga incrível: ao lado de amigos, ele sairá do Brasil e vai até Milwaukee, nos EUA, para participar da comemoração do aniversário de 115 anos da Harley-Davidson

TEXTO E FOTOS: DAVIDSON BOTELHO

Era um sonho de criança motivado por um planejamento frustrado de um pai que não conseguiu realizar uma viagem de Salvador a Milwuakee, nos Estados Unidos, na década de 1950. Roberto Bandeira, baiano, engenheiro, harleyro de longas datas e longas viagens, resolveu por em prática o sonho do seu pais e, em 2017, começou a rascunhar um planejamento de viagem para sair de Salvador e ir até a cidade americana a fim de participar da festa dos 115 anos da Harley-Davidson, mas, sobre tudo, o objetivo era honrar o sonho do pai.

Para isso, ele convidou o amigo de infância Moacyr Rabello, que não pensou duas vezes e aceitou participar da aventura. Em Salvador, Bandeira (como é conhecido), tentou conquistar novos adeptos, mas só convenceu o companheiro de marçonaria (e harleyro também) Ricardo Luzbel, que por problemas pessoais não pode se juntar à turma. Há poucos meses da viagem, o empresário e ex-concessionário da lendária marca na Bahia, Davidson Botelho, resolveu se engajar ao projeto e trouxe um sentido diferente, que até então não estava nos planos iniciais.

“Bandeira, isto é um feito gigantesco, um marco, algo que poucos conseguem planejar e realizar. Temos que buscar apoio e compartilhar não só com nossos amigos, mas também com o maior número possível de pessoas. Isso tem que virar notícia, conteúdo, para que mais pessoas se animem a fazer o que iremos realizar. Foi aí que os apoios começaram a surgir, quando a conceituada produtora baiana Malagueta Filmes abraçou o projeto e produziu um trailer. Em seguida veio o apoio do restaurante Veleiro do Yacht Club da Bahia, New Bahia Harley-Davidson , Flytour e Rcell Telecom”, disse Botelho.

Na mídia

A viagem, que até então era uma brincadeira começou a tomar proporções maiores com aspectos de conteúdo para TV, rádio e revista. Botelho não parou por aí e fez contato com o amigo Marcos Barros, da Revista Moto Adventure. Barros topou de imediato e aceitou fazer parte do projeto, divulgando a aventura no site e na versão impressa. “Vamos estampar as manchetes da maior revista do Brasil no segmento”, afirmou Davidson Botelho.

Com toda estrutura armada e o planejamento de viagem elaborado com muita competência por Bandeira, onde o esperado é rodar 25.000 km, sendo 45 dias de viagem, cruzando 10 países, marcou-se a data de partida: o dia escolhido foi 14/07/18, saindo da recém-inaugurada concessionária em Salvador. A loja encheu no seu primeiro café da manhã e 31 motos seguiram escoltando os dois aventureiros até Feira de Santana, e de lá, 7 amigos seguiram até Lençóis, cidade da primeira parada.

No dia seguinte, Botelho e Bandeira seguiram sós até Luis Eduardo, cidade ao Oeste da Bahia. Esta região é um oásis econômico na Bahia e modelo de competência do agronegócio para todo o mundo, onde podemos sentir a palpitação econômica e cheiro de progresso nas diversas fazendas de soja, café, algodão e gado. Até aí já tinham percorrido cerca de 950 km. O próximo destino seria Brasília, onde o terceiro amigo, Moacyr, se juntaria ao grupo. Foram mais 600 km de estradas boas e intenso tráfego de caminhões

Dois dias em Brasília foram suficientes para organizar tudo, revisar os últimos detalhes e, no dia seguinte, partir para Aragarças (GO), cidade que faz divisa com o Mato Grosso. Dormimos nessa agradável região, à beira do Rio Araguaia, patrimônio histórico e natural. Recomendamos a visita a estas duas cidades! Elas contam com uma orla de rio movimentada, com muitos bares e um prato famoso que é o Pintado na Brasa.

Rota 65

Estômago satisfeito, era hora de dormir para, no dia seguinte, tomar rumo até Cuiabá, onde tem a Rota 65 Harley-Davidson. Lá, fizemos a troca de óleo e filtro e Bandeira trocou o pneu traseiro. Cuiabá é uma grande cidade, com muitos hotéis de qualidade, bares e restaurantes lotados, destacando a Pizza Bar Santa Oliva, na Praça Popular, e o Bar Ditado Popular. A estrada BR-070 está em excelentes condições. Passamos por uma grande reserva indígena com mais de 10 tribos. O ponto negativo é a falta de acostamento numa BR de alto tráfego de caminhões e carros, criando situações de riscos aos usuários

Inicialmente iríamos pela Bolívia, mas problemas com abastecimento de combustível para estrangeiros neste país fizeram com que os planos fossem alterados e, agora, os 3 amigos irão até o Acre, e de lá entram por Assis Brasil diretamente no Peru, quando pegam a Transoceânica para Cusco, e depois Lima.

Já são 6 dias na estrada e já rodamos cerca de 2.500 km, ou seja, 10 % do planejado . Em seguida iremos rodar mais 670 km para chegarmos à cidade de Comodoro (MT). O Brasil é lindo, deve ser percorrido e conhecido por todos, só não esqueçam que de moto é muito melhor!

ACOMPANHE O VÍDEO QUE O LEITOR ENVIOU ESPECIALMENTE PARA NÓS:

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here