Evento que dá vida às super máquinas do passado, o PNT-TT, com muita paixão e emoção, foi realizado em uma grande festa que reuniu amigos e familiares no interior de São Paulo

POR CLÁUDIA TERRA
FOTOS: VINICIUS CAIRES E PNT
VÍDEO: VINICIUS CAIRES E GASOLINE BROTHERHOOD

O evento TT (Tira Teima de Motos Históricas) de motocicletas vintage reuniu cerca de 220 motos inscritas para exposição e 130 motos inscritas para a corrida, além de várias motocicletas destinadas à venda, e também de uma feira com peças antigas. “Algumas motocicletas se encaixam em mais de uma categoria, por exemplo, tenho uma Jawa que corre na Pós-Vintage até 350cc, pode correr na acima de 350cc, além das disputas de Turismo I e Turismo II, que são provas de regularidade, onde se tem um tempo de volta pré-definido e ganha aquele que completar o número de voltas pré-definido, mantendo a maior proximidade com o tempo de prova, sendo que se perde ponto ao passar adiantado ou atrasado a cada volta. Neste embate o piloto pode contar com um responsável pela cronometria, que lhe dita a necessidade de acelerar ou diminuir a velocidade de modo a cravar o tempo de volta”,  explica Vinicius Caires, um dos organizadores  do  PNT-TT.

Nas corridas do TT as mulheres sempre marcam presença em uma categoria exclusiva. Na edição deste ano, 13 mulheres estiveram na pista. “Isso, além de valorizar a presença feminina, promove a integração da família ao evento, que até então era exclusivamente masculino. Hoje, alguns maridos, pais, amigos ou namorados ajudam a preparar a motocicleta e vão juntos prestar assistência às pilotos”, lembra Vinicius.

Estrutura completa

A cada edição, o evento homenageia uma marca. “A ideia de homenagear uma marca surgiu no PNT TT de 2014, onde a HRD foi homenageada. Em 2015 não houve eleição de uma marca em si. Em 2016 foi a vez da Indian, em 2017 a Zundapp e, em 2018, a Norton foi homenageada. A cada ano, os exemplares da marca homenageada ganham local de destaque e premiação própria no evento, explica o organizador.

O evento aconteceu entre os dias 13 e 15 de julho, em Barra Bonita, pequena cidade do interior paulista. “Esta cidade foi escolhida a dedo e se destacou pelo conforto oferecido aos visitantes, pela estrutura, que é perfeita para o evento, com área de três galpões enormes, os quais abrigam a feira de motocicletas e peças cuja fabricação já se encerrou há mais de 100 anos; uma oficina aberta aos participantes, onde se vê desde a montagem de motos levadas nos porta-malas dos carros aos ajustes finíssimos realizados por mecânicos vindos dos 4 cantos do país, além de lojas de vestuário, barbearias, choperias, alimentação e a maior exposição de motocicletas fabricadas até 1984 já vista na história do  Brasil”, diz Vinicius.

Além dos galpões, a estrutura é composta por uma pista de kart, onde são realizadas as provas de velocidade e regularidade, divididas em diversas categorias, que atendem aos pilotos amadores, profissionais e para alguns proprietários que preferem desfrutar de provas que não impliquem em altos riscos para eles e suas máquinas.

Um pouco de história

A primeira edição do PNT-TT foi realizada em 2014 em Barra Bonita, porém, de acordo com Vinicius, em 2013, no PNT, alguns poucos entusiastas motociclistas e suas lendas vintages estiveram presentes no evento, e somente um determinado piloto e sua máquina alinhou-se ao grid, ao lado dos enormes carros, também de muitas décadas passadas.  Ele surpreendeu e venceu a prova. O bravo piloto em questão foi o carioca Rodrigo Aragão, colecionador de motos antigas e um dos organizadores do PNT-TT e sua Gilera Saturno 1947, com 500cc.

O TT surgiu de um “desafio” entre um dos organizadores e Vinicius Caires, que na época acabara de conhecer pessoalmente o Thiago Songa, um dos idealizadores do PNT (Pé na Tábua) com as corridas de Calhambeques e Komkis. Questionado por Vinicius sobre a ausência das motos vintages após o evento, ele disse que desconhecia proprietários de motos antigas, porém o mesmo disse ao Vinicius que se ele conseguisse levar para o grid uma moto do ano anterior a 1950, que ele incluiria as motos antigas nas corridas. Desafio aceito e com sucesso, daí nasce aversão do PNT só para as motos, o TT, que já é um sucesso e cresce em qualidade e número de participantes a cada edição.

O PNT surgiu em 2011 como um evento para carros, mas diferentemente de tudo que existia e existe com encontros, exposições estáticas dos veículos, onde o publico caminha entre eles, este decidiu levar os veteranos motorizados paras as pistas, com veículos fabricados até 1936. Além disso, em qualquer um dos eventos PNT, os visitantes também são torcedores e podem ficar acomodados onde acharem melhor, pois a atração, os veículos antigos, “irão” até os visitantes, afinal, é uma corrida. O PNT-TT tem as seguintes categorias: Vintage, Pós-Vintage, The Fifties, 4 Tempos, 2 Tempos, Turismo, Categoria Baton, Scooters (cigarretes e charutinhos) e o Concurso de elegância. O regulamento e maiores detalhes de cada categoria e inscrições no site: http://www.penatabua.com/novo/tt/categorias

Desvendando as regras

O Pé na Tábua organiza três modalidades de evento, sendo eles: O PNT-CC – Corrida de Calhambeques, que deu início ao PNT. O encontro com os calhambeques nasceu em janeiro de 2011 na cidade paulista de Franca, e desde então, passou a ser uma referência para quem gosta de unir diversão, lazer e carros antigos em movimento. O PNT-TT (Tira Teima de Motos Históricas) vem sendo realizado desde 2014 na cidade paulista de Barra Bonita e já é considerado o maior evento de motos antigas do Brasil. As corridas de motos existem desde quando elas surgiram. Assim nasceu o “Troféu Turismo”, na Ilha de Man, há mais de 100 anos. Com a fama conquistada, a abreviação de Troféu Turismo para “TT” foi logo no início.

No Brasil, o TT também trazia o apelido carinhoso de “Tira-Teima”. Nos dias de hoje, o País quase não realiza eventos com motocicletas antigas. O PNT-TT reúne pilotos veteranos e novos com motos vintage, colecionadores de motos antigas do Brasil em um evento onde todos podem confraternizar e rodar com suas máquinas na pista e se divertir; e por fim, temos o PNT-Kombis. Esse foi o veículo da Volkswagen que mais tempo fabricou-se no Brasil, e igualmente tão querido e popular como o foi e ainda é o Fusca, que também concentra muitos exemplares rodando no Brasil e por vez protagoniza alguns eventos exclusivos aqui e em muitos outros países.

Realizado pela primeira vez em 2016, o PNT-Komkis (King Bomki) também acontece em Barra Bonita. Um evento exclusivamente destinado às Kombis, com exposições, gincanas, área de alimentação exclusiva para empresas que utilizam Kombis, estandes de profissionais que atuam no mercado de restauração e acessórios, acampamento e muito mais.

Evento multicultural

Mas é não só corrida e exposição que compõe o PNT-TT. Nas palavras de Vinicius, “O evento é multifacetado, envolvendo oficina, rodas de bate-papo, concurso de elegância, corridas, negócios, feiras de ‘pulgas’, público, curiosidades, ex-pilotos, restaurações voltadas ao evento, por vezes concluídas em cima da hora ou mesmo durante o evento. A feira de venda de peças é um grande atrativo. Apesar de haver a possibilidade de se acessar mercados já maduros no processo de réplica de peças de reposição, como a Europa, mesmo estes não dão acesso a itens pertencentes a modelos mais raros, ou existentes em menor número, o que faz das feiras de ‘pulgas’, como são conhecidas as feiras de peças para motos antigas, o grande atrativo para um expressivo número de colecionadores e restauradores. Assim, a chegada a um evento quase sempre leva o colecionador imediatamente à feira, pois, assim como ele, outro pode estar necessitando justamente daquela peça que pode ali estar, e, como são itens encontrados ao acaso, as oportunidades de encontrá-los são, por vezes, únicas”.

Os organizadores do PNT, que tem à frente o Thiago Songa, auxiliado diretamente pelo irmão Lucas Trança, além do suporte de um “Conselho” composto 7 pessoas, são:  Rodrigo Aragão, colecionador carioca, que além de inaugurar as corridas com moto, por diversos anos forneceu toda a estrutura da oficina e ajudou a colocar em prática o concurso de elegância; pelo Rodrigo Valdívia, que é um colecionador inteiramente dedicado às motocicletas da marca Harley-Davidson, sendo referência nacional no assunto sob a alcunha Jurassic Machines; Erick Fernandes e sua esposa Katia Kioko, ambos colecionadores de motocicletas especialmente da marca Indian, sendo que a Katia é a piloto oficial da família nas corridas e cujo entusiasmo e carisma fez surgir a categoria Batom (prova exclusiva para mulheres); Jairo Portilho, com uma larga bagagem e vivência em meio ao universo das motocicletas fabricadas após 1960,  e o Bira Martins, diretor de pista, membro da velha guarda do motociclismo nacional.

O Lucas e o Thiago provêm do universo dos carros antigos, já os demais, embora alguns possuam carros antigos, todos pertencem ao universo das motocicletas antigas, com efetivo envolvimento no meio. O idealizador do PNT-TT, Vinicius Caires, é colecionador e possui diversas motocicletas de várias marcas, tais como: Ducati, Express, Negrini, Jawa, Alcyon, Matchless, Horex, Harley-Davidson, Norton, Royal Enfield, etc. “Minha moto preferida, e que levei quase 10 anos para concluir, é uma Norton 1936, modelo M30, fabricada para competições. Sou um amante das competições, e no meio dos colecionadores, sou conhecido por me dedicar à pesquisa sobre marcas, modelos e tudo o que cerca a motocicleta antiga e sua história, assim, após anos de vivência com essas raridades, elegi como moto dos sonhos justamente a motocicleta Norton, modelo M30 Factory Race, sendo que consegui uma de 1936, a qual levei para o evento deste ano, onde, então, comemoramos os 120 anos da marca. Mas não posso dizer que o sonho se completou, pois não pude por a moto na pista e competir com a mesma. Posso dizer que já tenho a moto dos sonhos, mas ainda não realizei o sonho por completo. Nunca percorri grandes distâncias, mas tenho um projeto para uma moto fabricada em 1908 com a qual pretendo participar de um rally de regularidade, infelizmente para carros, mas que seguramente, com a chegada de uma motocicleta, irá ceder espaço, como nos cedeu o PNT ”, diz Vinicius.

Os prazeres da vida

Ele também lembra que um dos maiores prazeres desse universo vintage é a amizade e o contato com pessoas que sabem muito sobre cada moto. “O que mais me atrai é o prazer em recompor, resgatar algo, pois, paralelamente a este resgate, existe a convivência, as amizades, bem como o aprendizado, já que lido com gente que já viveu muito e tem muitos tesouros a compartilhar. Escutar os mais velhos sempre me encantou e me enriqueceu, e por trás de cada moto ou peça sempre tem um indivíduo, uma história”, lembra Vinicius com entusiasmo.

Paralelamente se juntam ao suporte uma gama de familiares e amigos que nos dias dos eventos se somam e não medem esforços para que o encontro prospere, inclusive alguns fornecendo até mesmo patrocínio. O PNT conta com parceiros já antigos, a exemplo da MOTUL e CRAL baterias, mas a cada ano se agregam novos interessados, em regra, dentro do segmento de atuação empresarial que atinge cada um dos PNT’s.

Mas, nos dias do PNT-TT, a aprazível Barra Bonita fica mais alegre com a chegada dos motociclistas que lotam a praça e fazem um encontro paralelo extraoficial de motocicletas para prestigiar esta grande festa vintage, que já está se tornando uma tradição na cidade, que, com muita antecedência, já tem sua rede de hospedagens lotadas, não só na própria região como nas cidades vizinhas. “O evento é aberto ao público, que tem acesso gratuito, fazendo parte do interesse maior da prefeitura em fomentar o turismo e o entretenimento local”, diz Vinicius.

O PNT-TT acontece sempre em maio ou junho. E não são só as bikes que ganham vida, os pilotos também reativam suas alegrias do passado neste super evento. “Infelizmente, até o primeiro TT nunca houve um evento nacional de motocicletas onde ex-pilotos fossem apresentados ao público, mas agora vários ex-pilotos vêm prestigiando o encontro. “Este ano, por exemplo, um campeão de motociclismo dos anos 50 cuidou do restauro e preparo de uma moto e, com esta, formou grid, trazendo nos olhos o brilho dos tempos das competições. E na condução do veículo na pista deu uma lição para os mais jovens. Esse veterano foi o Sr. Danilo Julio Afornali, de 83 anos, com uma CZ 150cc de 1951, que ao fim das 10 voltas da prova chegou em quarto lugar na geral e segundo em sua categoria”, conta o organziador.

Seguramente, o PNT-TT foi e vem sendo pioneiro na reunião de uma grande número de motocicletas verdadeiramente ressuscitadas, restauradas e que ganham vida a cada edição nas corridas PNT. Uma evento que surgiu de uma paixão por essas lendas de duas rodas e seus aficionados entusiastas, que têm no TT uma grande oportunidade para darem vida à história e se divertirem com todos os entusiastas de mesmo espírito nesta grande festa com motos e bikers de todos os tempos.

A edição 2018 do PNT Calhambeques acontecerá de 15 a18 de novembro, na fazenda DIMEP, em Itatinga (SP).

As motocicletas clássicas voltam à pista com PNT-TT em 2019.

Até lá!

 

LINKS:

http://www.penatabua.com

https://www.facebook.com/corridapenatabua/

https://www.facebook.com/gasolinebrotherhood/

https://www.facebook.com/EntusiastaAdventure/

 

CONFIRA TAMBÉM OUTRAS MATÉRIAS DA CLÁUDIA TERRA NO SEU BLOG. PARA ACESSÁ-LO, CLIQUE NO LINK ABAIXO.

https://entusiastaadventure.blogspot.com/

 

*Cláudia Terra é jornalista, motociclista e amante do universo Harley-Davidson.

 

VEJA MAIS INFORMAÇÕES NO VÍDEO A SEGUIR:

 

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here