Roteiro: Botucatu (SP) oferece tranquilidade e grandes aventuras

Palco de famosos rallys, Botucatu (SP) oferece atrativos tanto para quem quer muita tranquilidade quanto grandes aventuras

Texto: Celso Renato A. da Silva
Fotos: Luís Fernando Gama

Distante 240 quilômetros da capital paulista, Botucatu está localizada na região centro-sul do estado. A cidade tem um papel significativo no ensino superior, com dois campi da Universidade Estadual Paulista, incluindo a Faculdade de Medicina de Botucatu, Instituto de Biociências de Botucatu, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Faculdade de Ciências Agronômicas e um campus da Faculdade de Ensino Tecnológico (FATEC), citando apenas as instituições públicas, além de vários campi de instituições particulares.

BONS ARES

Botucatu, em tupi-guarani, significa “bons ares”. E essa referência não acontece à toa, pois a cidade é famosa pelo clima, que, aliado a antigas fazendas do ciclo do café e cachoeiras, deixam tudo mais agradável por lá. Vale dizer que esse cenário inspirou a composição de uma das mais célebres canções regionais brasileiras, “A Tristeza do Jeca”, de Angelino de Oliveira, imortalizada nas vozes de Tonico e Tinoco. E o porquê disso é fácil entender já que, ao rodar por ali, as fazendas seculares, praças tranquilas e o clima ameno do interior parecem aflorar a cada curva.

Mas, para quem curte adrenalina ligada aos esportes, surgem boas novas. Botucatu, nos últimos anos, vem descobrindo nos esportes de aventura uma ótima opção para atrair mais turistas e a estes serem oferecidas atividades como trekking, cascading e mountain bike, entre outras.

SURPRESAS

Além de bons bares e restaurantes na região central, Botucatu reserva uma grande surpresa em sua área rural, com dezenas de cachoeiras, além de uma belíssima encosta, denominada “Cuesta”, que possibilita trilhas, caminhadas, escaladas, ciclismo e atrai aventureiros de várias partes do país. Um dos pontos mais famosos é o Mirante do Gigante. Para conhecê-lo é necessário seguir por uma estrada de terra que levará o viajante a uma parte mais elevada, rodeada por pastos e de onde é possível observar uma grande formação que lembra a figura de um homem deitado. É o “Gigante Adormecido”, e chegar até lá é uma das tarefas preferidas dos aventureiros. E não é só: esse roteiro, que passa pela região das encostas, é também palco de uma das competições esportivas mais importantes da região, o Enduro da Cuesta, que tem suas provas válidas para os Campeonatos Paulista e Brasileiro dessa modalidade esportiva, é considerada uma das mais atraentes do país justamente por causa da paisagem e das condições topográficas, com muitas curvas, estrada com uma vista belíssima, travessia de riachos e pastos.

UM POUCO MAIS

O termo “Cuesta” refere-se a um planalto ligeiramente inclinado, constituído por apenas duas superfícies: uma encosta abrupta e outra mais suave. Na região encontramos essas formações rochosas em clima agradável com lindas paisagens e fauna e flora exuberantes. Esse nome, oriundo da língua espanhola, se deve também ao fato de a região ser semelhante a outra existente na Espanha. Daí a origem de seu nome. Além disso, dizem que parte dos “Caminhos do Peabiru” cruza as paragens da região.

Registros históricos datados a partir de 1528 dão conta dessa trilha milenar que saía da Capitania de São Vicente, no litoral do Atlântico, em direção a Cuzco e Machu Picchu, no Peru, de lá chegando a Arequipa, no litoral do Oceano Pacífico, atravessando quatro países: Brasil, Paraguai, Bolívia e Peru, com distância total de aproximadamente 5.000 km, dos quais 1.200 km em território brasileiro.

NA TERRA

Em busca desses atrativos, formamos um grupo de sete aventureiros em suas Big Trails e partirmos da capital paulista, via rodovia Castelo Branco (SP-280), até as rodovias João Hipólito Martins e Marechal Rondon (SP-300) até Botucatu. Na cidade seguimos para o Hotel Primar, local escolhido como base e hospedagem para descobrimos o encanto da região. Vale citar que esse hotel sempre acolhe muito bem os motociclistas que viajam para os encontros de motos da região ou competições. Depois do check-in e descarga da bagagem das motos iniciamos nossa aventura guiados por Henrique Arena, morador da cidade, piloto experiente e um dos principais organizadores de provas de Baja, Rally e Enduros do país.

Nosso primeiro destino foi a rampa de voo na Base da Nuvem, a menos de cinco quilômetros do centro da cidade, com acesso por terra pela rodovia vicinal Geraldo Biral, na Serra de Botucatu, na Fazenda Indiana. A subida para a rampa tem piso escorregadio, e no dia desse levantamento havia algumas poças, que exigiam técnica e habilidade para atingirmos o topo com as Big Trails, principalmente as que estavam com pneus originais. Mas o esforço foi recompensado pela visão deslumbrante.

Após muita contemplação e fotos retomamos a nossa viagem e seguimos em direção à Serra da Bocaina, pela Estrada Municipal Pará Piapara, descemos pelo mesmo caminho e retomamos a Geraldo Biral. Mas logo nos deparamos com mais um desafio: cruzar um riacho que, apesar de raso, seu fundo pedregoso exigiu muita atenção e habilidade dos pilotos. Travessia concluída sem sustos seguimos pelas estradas de servidão da Fazenda Santa Fé (Eucatex), produtora de eucalipto. Ali as estradinhas e trilhas são predominantemente em areia. Seguimos então rumo ao Povoado de Piapara e na sequência pegamos a estrada Geraldo Biral até a rodovia Marechal Rondon, sempre por estradas de terra. Depois, já em rodovia asfaltada, subimos a serra sentido Botucatu e no final da serra chegamos a um posto de gasolina. Após nos hidratarmos e abastecimento da moto de nosso guia cruzamos a rodovia e pegamos uma estrada municipal sentido a Pardinho.

Seguimos até uma estrada de terra à nossa esquerda, onde foi possível seguir as placas amarelas até o nosso destino: o Restaurante Cantina da Figueira, onde dona Neusa, proprietária do lugar, nos aguardava com uma deliciosa comida caipira. Saciados pela excelente refeição, prosa e descanso retomamos ao nosso roteiro seguindo para Botucatu, inicialmente pela terra e chegando ao trecho urbano da cidade por asfalto até o hotel. Após rodarmos por aproximadamente 140 km desta aventura estávamos cansados, mas extasiados pelo belíssimo e divertido dia.

A moto utilizada nessa viagem foi uma Ducati Multistrada 2015, moto excelente para viagens longas com extremo conforto e apta a trafegar em estradas de terra. A moto vem equipada com os pneus Pirelli Scorpion Trail, que garantem a segurança em pisos secos.

Esta rota é indicada para motociclistas experientes, devido aos trechos escorregadios, pedras e areia. Também é recomendado o uso de pneus off- road.

O roteiro é de difícil execução sem guia, devido ao grande número de alternativas de trajeto, e falta de mapeamento disponível.

Contei com a excelente companhia dos aventureiros: Lenilton, Magalhães, Fernando, Ronald, Hiram e seu filho Thiago.

ONDE FICAR

Primar Plaza Hotel (14) 3815-3177.

Rua José Freire Villas Boas, 468, Botucatu (SP)

www.primarhotel.com.br

ONDE COMER

Cantina e Pousada da Figueira (14) 9612-0150

Estrada das Três Pedras, Bofete (SP)

SERVIÇOS

Trail Trip (11) 99296-4677

Fale com Celsinho, que organiza trips on e off -road Brasil afora.

*Matéria publicada na edição #182 da revista Moto Adventure

DEIXE UMA RESPOSTA