Para lavar a alma – Serra da Macaca

Cachoeiras, panoramas incríveis e belas estradas: no próximo fim de semana, vá conhecer a Serra da Macaca

Texto: Egon Jenckel
Fotos: Trinity Ronzella

A Serra da Macaca, no interior paulista, só pelo nome já aguça a curiosidade dos viajantes. Para a coisa ficar mais interessante, vale a pena consultar um bom mapa: há muitas possibilidades para um roteiro repleto de atrativos nas proximidades da serra. Por lá, surgem vinícolas, cachoeiras, cavernas, um Parque Estadual e pequenas cidades, sem contar a singularidade do trajeto. A dica é reservar dois dias e, tranquilamente, rodar cerca de 650 km (sendo que, neste tour, adicionamos 30 km através de uma estrada de terra com alguns pontos de cascalho).

ROTEIRO

Partindo de São Paulo (SP), siga pela Rodovia Régis Bittencourt, sentido Curitiba (PR). Neste trecho, além do cuidado natural devido ao grande movimento de caminhões, tenha cautela no trecho de serra, por ser mão-dupla e onde é proibido ultrapassar. Siga pela rodovia até a cidade de Jacupiranga (SP), a aproximadamente 190 km da capital paulista. A partir daí, siga as placas para Eldorado (SP) e rode mais 35 km – faça o plano de viagem e calcule sua chegada a Eldorado na hora do almoço. Use a cidade como base para o passeio e reserve um hotel na região.  Na entrada de Eldorado, surge um belo portal e, em seguida, um posto de informações turísticas. Pare ali e pegue mais informações. Depois, siga para o centro, vá almoçar e deixe suas bagagens no hotel. Assim você seguirá mais “leve” para conhecer dois locais bacanas: A cachoeira “Queda do Meu Deus”, no Vale das Ostras, e a Caverna do Diabo.

AVENTURA

Prepare-se: a diversão é garantida e já começa no caminho entre Eldorado e a Caverna do Diabo. Ali surge a Rodovia Benedito Pascoal de França cheia de curvas e margeando o Rio Ribeira. O visual é belíssimo, mesclando rio e bananais. A estrada não é muito movimentada, mas requer bastante cuidado, pois, frequentemente, ali surgem ciclistas, crianças e pequenos animais. Após rodar aproximadamente 36 km por esta estrada, à sua esquerda surgirá a entrada para o Vale das Ostras, onde uma trilha o levará a uma bela cachoeira. Quem estiver de moto on/off-road poderá ir com ela até a entrada da trilha. Se não for o caso, estacione logo na entrada e siga 2,5 km caminhando até a trilha. Deste ponto até a cachoeira, serão mais 15 minutos de caminhada, com alguns locais ótimos para um banho em água cristalina. A trilha cruza o rio algumas vezes – por isso, molhar o pé será inevitável. A dificuldade da trilha é média, mas, com calma, a diversão é garantida. E até quem está meio “enferrujado” poderá encarar o caminho numa boa. No fim da trilha, você encontrará uma queda com mais de 50 metros e, automaticamente, exclamará “Meu Deus!” Entendeu a razão do nome da cachoeira?

O local é muito preservado, de beleza exuberante, e é difícil ficar pouco tempo por ali. Assim, reserve duas horas para aproveitar o local. Se dispuser de mais tempo, aproveite outras trilhas locais e explore mais cachoeiras mata adentro.

CAVERNA DO DIABO

Saindo da cachoeira e voltando à Rodovia Benedito Pascoal de França, você  verá placas indicando (à esquerda) o caminho para a Caverna do Diabo. Na entrada do “Núcleo Caverna do Diabo” há uma lanchonete, restaurante, banheiros e loja de souvenires. Compre o ingresso para conhecer o interior da caverna e você curtirá um agradável passeio (monitorado) com aproximadamente uma hora de duração. A caverna é bem interessante e repleta de formações geológicas, como estalactites, estalagmites e cortinas. O passeio segue um caminho artificial, com corrimão e escadas, sem grandes dificuldades.

Concluída a visita à caverna, é possível tomar mais um banho de rio ali mesmo, ou retornar para Eldorado. À noite, depois do jantar, dê uma volta a pé pelo centro e admire a igreja Matriz, toda iluminada.

MAIS AVENTURAS

Saindo de Eldorado, encha o tanque e siga no sentido de Jacupiranga (SP). Aproximadamente 2 km após o portal da cidade, entre à esquerda, sentido Sete Barras (SP), e siga direto. Serão aproximadamente 34 km de pista simples até surgir a Rodovia SP-139. Siga para Sete Barras e continue rumo a São Miguel Arcanjo (SP), atravessando o Parque Estadual Carlos Botelho. Naquele trecho, você encontrará 30 km de estrada de terra cercados por muito verde. A estrada tem pontos de chão batido e cascalho, algumas pontes e veículos circulando em ambos os sentidos. Durante o percurso, dentro do Parque, há vários pontos de paradas com quiosques, bicas, riachos e mata exuberante. Depois de sair do Parque, você tornará a avistar o asfalto. Estará no alto da serra e será brindado com uma vista incrível, com parreiras, araucárias, uma estrada sinuosa e vinícolas. Por um segundo, você pensará que está ao sul do Brasil, tamanha é a mudança da paisagem. Continue a viagem e, aos poucos, tudo mudará novamente. Surgirão mais carros, menos curvas e caminhões. Este trecho também será bacana: você passará por São Miguel Arcanjo, Pilar do Sul, Salto de Pirapora e Sorocaba. De Sorocaba, é só seguir até a Rodovia Castelo Branco e retornar à capital paulista.

ONDE FICAR

Pirâmide Hotel (13) 3871-1426

Fica no centro de Eldorado. É um hotel simples,

com preço razoável.

www.piramidehotel.com.br

ONDE COMER

Restaurante Para-ty (13) 3871-1361

Centro de Eldorado. Serve uma boa e honesta comida

“self-service”.

PASSEIOS

Caverna do Diabo (13) 3871-1242/3871-1241

O ingresso para caverna custa R$ 15,00.

www.cavernadodiabo.com.br

DICAS

Quando for passear pelas cachoeiras de Eldorado, leve uma mochila com roupa de banho, toalha, roupa para caminhada e um tênis (para fazer a trilha). Leve, também, água e frutas. Ao sair de Eldorado, não esqueça de abastecer a moto. Quem não quiser pegar o trecho de terra deste roteiro poderá, a partir de Sete Barras, seguir pela rodovia SP-165 até Juquiá (SP) e, de lá, seguir pela SP-079 para Tapiraí (SP) e, depois, Sorocaba-SP.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA