Trips & Tips – Parceiros de estrada

Como definir a companhia ideal para uma longa viagem motociclística

Texto: Equipe Trips & Tips e Nenad Djordjevic
Fotos: Arquivo

Quando falamos em uma grande viagem de moto, a imagem que nos vêm à mente é a de uma aventura por lugares nunca vistos, compartilhando tudo com “amigos” de aventura, não é? Mas escolher as pessoas com quem dividir também é importante, pois facilmente o sonho pode se transformar em pesadelo.

Na ânsia de por o pé na estrada, desconsideramos elementos que gradativamente podem emergir e não permitir que a aventura possa ser chamada de “perfeita”. Para que isso não aconteça, leve em consideração as dicas a seguir, quando da escolha de quem vai lhe acompanhar.

Muitos dos elementos requerem similaridades, enquanto outros necessitam de diversidade – pessoas com mesmo temperamento que o seu não são necessariamente as melhores escolhas. Lembre-se: para alguém mandar, é preciso que haja alguém disposto a ser comandado.

O que será que aconteceria se pessoas teimosas se deparassem com uma escolha divergente? Muito provavelmente, haveria uma discussão, que dificilmente seria sanada em função dos temperamentos similares – já pessoas mais dóceis aceitariam com maior naturalidade a imposição de alguém mais enérgico.

Coletamos as principais fontes de discórdia entre vários grupos viajantes para que você possa deliberar melhor sobre a questão.

MOTOS

O ideal para uma viagem em grupo é que as motos sejam de categorias similares, bem como terem capacidade de produção parecida – motos muito distintas têm ritmos diferentes em estrada, o que acaba por cansar e irritar outros membros do grupo. Isso não quer dizer que motos distintas não possam viajar juntas, mas que é mais fácil aparecerem conflitos – especialmente se o tempo envolvido na viagem for longo.

EXPERIÊNCIA

Pilotos com diferentes tipos de experiência pessoal também tendem a destoar uns dos outros quando adotam ritmos incompatíveis com o deslocamento do grupo. O ideal é que as experiências sejam próximas, mas sem invalidar a possibilidade de pilotos inexperientes se juntarem a pilotos mais experientes para uma aventura – basta que haja esse entendimento por parte dos mais experientes, e a aceitação de que paciência será necessária.

QUANTIDADE DE PESSOAS

Quanto maior o grupo, maores as chances de conflitos – escolham um número de elementos que seja administrável pelo grupo, e que os participantes aceitem que as deliberações por voto sejam soberanas.

FAIXA ETÁRIA

Nada impede que grupos formados por diferentes faixas etárias se entrosem – apesar disso ser mais verdadeiro para grupos similares. O importante é que haja flexibilidade por parte de todos, acomodando os mais variados interesses, sempre que possível.

DURAÇÃO DA VIAGEM

É muito importante que todo o projeto seja claro para todos os envolvidos – a duração da viagem tem que ser acordada por todos com folga para imprevistos. E esses devem ser levantados para que haja um entendimento de tudo que possa lhes acontecer durante a aventura.

ORÇAMENTO

A questão financeira é sempre fator de discórdia entre grupos heterogênios. O ideal é que seja estabelecido um valor mínimo e máximo para seu projeto e que todos os participantes se adaptem a esses valores. Se alguém não puder cumprir, certamente haverá polêmica.

INTERESSES

Cada pessoa tem seus valores e interesses – encontrar pessoas com os mesmos interesses que os seus é sempre muito difícil, mas altamente recomendável. O mero interesse em Motociclismo não sobreviverá a uma longa distância percorrida com pessoas que têm valores diferentes dos seus. Considere sempre a flexibilidade, mesmo que não seja de seu temperamento natural – tenha, por meta, o bem-estar do grupo, não apenas o seu.

A franqueza é a chave para escolhermos bem as pessoas com quem dividimos nossas vidas – se externarmos tudo o que gostamos e o que não gostamos de maneira aberta, será mais fácil determinarmos (através de um comportamento similar) se é viável ou não esta aliança para uma viagem. Algumas aventuras motociclísticas geraram amizades que duraram por toda a vida, mas, infelizmente, outras encerraram amizades duradouras. Dê ao assunto a devida atenção. O importante é que todos se divirtam!

*Matéria publicada na edição #126 da revista Moto Adventure

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA