Tudo pronto para a volta ao mundo da Ducati

A viagem terá duração de 145 dias e quase 30 mil quilômetros percorridos

Texto: Redação
Fotos: Divulgação/Ducati

A largada foi dada esta semana, no dia 04 de julho, data da fundação da Ducati, em Borgo Panigale, na cidade de Bologna (Itália). A viagem ao redor do mundo tem como trajeto seguir para o leste, cruzando a Europa em direção à lendária rota Transiberiana. O roteiro inclui a passagem por países como Rússia, Mongólia, China e Japão, antes de cruzar o oceano rumo aos EUA. O retorno à Itália, com data prevista para 15 de dezembro de 2016, será via Europa Ocidental.

A motocicleta eleita para o desafio é a nova Ducati Multistrada 1200 Enduro, que deve desembarcar no Brasil em outubro deste ano. Uma escolha perfeita para protagonizar o projeto Globetrotter 90, pois carrega em seu DNA alta tecnologia, conforto e durabilidade extrema. A Ducati idealizou na Multistrada 1200 Enduro um modelo de motocicleta apto a enfrentar qualquer distância e terreno, com desempenho e conforto, numa aventura sem limites.

A viagem será dividida em sete partes que serão concluídas por sete pilotos diferentes. Os globetrotters da Ducati foram escolhidos pela experiência em viagens e expedições e por seu gosto pela aventura. O time de embaixadores da paixão pela Ducati viajando pelas estradas do mundo é composto pelos seguintes pilotos: Vir Nakai, piloto indiano, fará o trajeto inicial partindo de Borgo Panigale a Moscou. O australiano Steve Fraser seguirá de Moscou para Fushiki. A única mulher da equipe é a belga Jessica Leyne, pilotando de Fushiki a San Francisco. O piloto brasileiro Eduardo Generali pilotará a Ducati Multistrada 1200 Enduro de San Francisco para Indianápolis. Samuel Bendall, dos Estados Unidos, seguirá de Indianápolis a Summit. Na sequência o piloto inglês Hugo Wilson parte de Summit para Ilha de Mann, e Timo Schaefer, da Alemanha, fará o trajeto final da Ilha de Mann de volta a Bolonha.

Eduardo Generali carrega no sangue o espírito aventureiro. Piloto brasileiro nascido na cidade de Itu (SP) Generali herdou do pai e em parceria com o irmão mantém a paixão pelo mundo das duas rodas. Aos 28 anos já é dono de um currículo invejável. Viajou para mais de 30 países e morou em três continentes. A experiência em aventuras internacionais foi moldada em desafios como quatro expedições para a Patagônia, sete para o Deserto do Atacama (Chile) e a mais recente na qual percorreu 30.000 km até o Alasca (EUA). Acumula enorme know how em cursos de pilotagem on e off road realizados no Brasil e no exterior, além de ministrar cursos de pilotagem segura para motociclistas.

Foram mais de 3000 candidatos inscritos. Apenas 14 finalistas participaram do grande desafio promovido pela Ducati na cidade de Nipozzano, sob as colinas da Toscana. Neste teste de aptidão foram selecionados os de maior habilidade de pilotagem, os motociclistas mais competentes, com grande vontade de viajar e bom nível de Inglês. Outra qualidade essencial destacada na escolha foi o dom natural para contar histórias escritas e a partir de registro fotográfico. Tudo sob a supervisão de uma equipe de profissionais da Ducati e pelo ex-piloto Paris-Dakar Beppe Gualini.

Tocha 90 – símbolo da viagem

Projetada pelo Ducati Design Center em colaboração com o Gabinete de Estudos e Desenvolvimento, a “Tocha 90” será o símbolo desta aventura. Sua criação foi inspirada nas características do quadro em treliça da Ducati. Já o exterior da tocha, feito em titânio, ganhou inspiração na carenagem e na mecânica das motos Ducati. A tocha também vai contar a história da viagem de cada globetrotter por meio de uma câmera fotográfica embutida e uma câmera de vídeo, que serão usados para registrar fotos e vídeos desta incrível aventura.

DEIXE UMA RESPOSTA