Viagem de moto para Iguape (SP) – Entre rios, mar e montanhas

­­­

No extremo sul do litoral paulista é possível percorrer caminhos on e off-road, cruzar trechos da reserva natural da Serra da Jureia e chegar à histórica Iguape

Texto: Celso Renato A. da Silva
Fotos: Ricardo Queiroga

Big Trip

Por maior que seja a região metropolitana de São Paulo, sempre é possível encontrar belos destinos para o moto turismo. E o melhor: lugares geralmente servidos por ótimas estradas. Assim, deixar a cidade para curtir um final de semana, ou apenas um dia de estrada, é sempre uma ótima pedida para sentir o vento no rosto, a natureza e deixar para trás o stress do dia a dia.

E quando o passeio oferece lugares de pouco trânsito, longe da “muvuca” e ao lado da natureza, a coisa fica melhor ainda. Pensando nisso montamos um roteiro para que você possa aproveitar isso tudo e descobrir lugares de grande beleza, finalizando seu passeio em uma cidade histórica.

RUMO AO LITORAL SUL

Chegar ao litoral sul paulista é muito tranquilo. Quem vem do sul do Brasil pilotará pela Rodovia Régis Bittencourt até Miracatu, onde pegará a rodovia SP-055 em direção a Peruíbe e Santos. Esse caminho também é possível para aqueles que saem da capital paulista e prefiram descer ao litoral pela Rodovia Régis Bittencourt. Quem prefere estradas em melhores condições de rodagem e mais seguras certamente irá optar pelo tradicional caminho que parte da capital paulista e vai rumo ao litoral sul pelas rodovias dos Imigrantes ou Anchieta e, ao final destas, acessar a rodovia SP-055 até Peruíbe, cidade referência para início desse tour.

Estrada de manutenção da Imigrantes

RESERVA ECOLÓGICA JUREIA-ITATINS

Antes de pegar a estrada é bom saber que a Estação Ecológica de Jureia-Itatins conta com uma área de mais de 92 mil hectares, que integra os municípios de Peruíbe, Itariri, Miracatu e Iguape e é uma Unidade de Conservação e Patrimônio Mundial da Unesco. A Jureia, como é popularmente conhecida, concentra quase 40% da vegetação primitiva da área de todas as unidades de conservação do estado de São Paulo. Isso a caracteriza como um dos pontos mais preservados do litoral paulista, com muitas espécies endêmicas, ou seja, que não são encontradas em nenhum outro lugar do planeta e utilizam a região, longe da intervenção humana, para reprodução, alimentação e descanso.

A diversidade de ecossistemas e as peculiaridades de cada um deles – areia das dunas, lodo do manguezal, solo com água salobra, árvores típicas de floresta de planície, matas de encosta e vegetais rasteiros das rochas – garante a variedade de espécies de flora e fauna locais, tornando a Jureia um verdadeiro paraíso ecológico.

A Estação Ecológica Jureia-Itatins faz parte do Mosaico de Unidades de Conservação da Jureia-Itatins, uma área com mais de 110 mil hectares que abriga outras três unidades de conservação de proteção integral – Parque Estadual do Itinguçu, Parque Estadual do Prelado e Refúgio de Vida Silvestre, além de duas Reservas de Desenvolvimento Sustentável, da Barra do Una e do Despraiado. Este cenário indescritível reúne praias, rios, cachoeiras e trilhas. A estação tem uma considerável importância histórica, pois o primeiro acesso à região se deu ainda na época de Martim Afonso de Souza, que pretendia interligar a Capitania de São Vicente a Iguape e Cananeia. Mais tarde, o imperador Dom Pedro I ordenou a construção do Caminho do Imperador, na área por onde transitava o Correio del Rei – mensageiros que traziam notícias sobre a Guerra do Paraguai. E, anos mais tarde, o Marechal Rondon instalou pontes de ferro que ligavam o Rio de Janeiro ao sul do país, além de uma linha telegráfica.

A população local é conhecida como caiçara, formada da fusão de portugueses, índios e negros, em sua maioria pescadores, mateiros, caçadores e palmiteiros, que mantêm ainda hoje algumas tradições locais, como danças, artesanato e crenças religiosas.

Estrada do Despraiado

ROTEIRO

Este tour tem início descendo a Serra do Mar pela Rodovia dos Imigrantes, que corta a serra com seus belos túneis. Ao final destes pegue a primeira saída à direita sentido Mongaguá e Peruíbe. Siga então pela rodovia SP-055, a Padre Manuel da Nóbrega, até Peruíbe e dali continue rumo ao município de Pedro de Toledo. Nessa cidade, às margens da rodovia SP-055, você irá notar um posto de gasolina abandonado. Esse posto marca o acesso para a Estrada do Despraiado. Ele também irá marcar o início do trecho aventureiro deste tour, pois você irá pilotar pela Estrada do Despraiado, inicialmente em asfalto e depois por terra. Essa estrada acompanha o Rio do Peixe e, em alguns pontos, cruza esse rio por ponte ou por dentro da água.

Como choveu na noite que antecedeu a nossa aventura, ao longo de nosso percurso encontramos muitos trechos com barro e isso aumentou o desafio. A estrada também possui alguns trechos que passam por obras de drenagem e construção de pontes.

Essa estrada é emoldurada pela Mata Atlântica e o fluxo de veículos é bastante baixo, o que garante uma pilotagem tranquila e segura. Aproveite então para curtir cada quilômetro e fazer paradas para fotos e admirar a paisagem formada pelo leito do rio, com várias corredeiras. Caso tenha tempo, aproveite para explorar as trilhas e cachoeiras que surgem ao longo do caminho, em geral lugares com o acesso sinalizado na estrada por placas. Esse trecho terá aproximadamente 40 km e ao seu final você chegará ao asfalto da Rodovia Prefeito Casimiro Teixeira. Siga então à esquerda, sentido Iguape.

PRAIA DESERTA

Rumo a Iguape irá surgir um barracão que vende frutas e vale a pena fazer uma parada para descanso ali e trocar um dedo de prosa com os moradores locais. Depois continue rumo a Iguape e cruze a ponte do Rio Ribeira de Iguape, saia à esquerda sentido Jureia/Icapara, pela Estrada de Matias, e novamente por terra, depois de 11 km, você chegará ao trevo de Icapara. Novamente por asfalto siga sentido Balsa da Juréia mas, após 8 km, próximo à doca, pegue a saída à direita para a Praia do Leste. Esta praia, hoje deserta, já teve moradores, mas foi devastada pela maré que avançou sobre os quiosques e residências próximas da praia. Uma dica: caso você tenha tempo aproveite para atravessar a balsa e explore a Praia da Jureia, com único acesso por balsa. Depois retorne pelo mesmo caminho e vá até o trevo de Icapara e, a partir dele, siga por asfalto para Iguape.

Praia do Leste

IGUAPE

A cidade de Iguape é pequena, mas abriga interessantes e variadas atrações, além de uma rica história ligada ao nosso período colonial. Para a turma que não abre mão de uma boa praia, basta atravessar a ponte do Mar Pequeno para chegar à Ilha Comprida e seu cenário formado por dunas e piscinas naturais ou pegar a balsa para a Barra da Ribeira, ponto de partida para deserta praia da Jureia.

Para quem preferir descobrir os encantos de Iguape a dica é visitar a Basílica do Bom Jesus de Iguape, com uma imagem do santo esculpida no século 18. Já no Centro de Iguape, os passeios a pé revelam um belo casario formado por construções históricas dos séculos 18 e 19. Os adeptos do trekking poderão percorrer a trilha que leva ao Morro do Espia. São dois quilômetros de caminhada em meio à Mata Atlântica e muitas figueiras, embaúbas, bromélias e orquídeas. Do mirante da Pedra Lisa, a vista panorâmica descortina a paisagem formada por Iguape e Ilha Comprida.

Antes de voltar para casa vale conferir os sabores e as artes locais. Na culinária, os frutos do mar reinam absolutos em forma de caldeiradas, moquecas e receitas típicas – tainha recheada, bagre cozido com banana verde e bolinho de marisco branco. O artesanato tradicional é encontrado no antigo Mercado Municipal, com destaque para as esculturas em madeira e as panelas de barro.

A moto utilizada nessa viagem foi uma Kawasaki Versys 1000 TR 2016, excelente para viagens com extremo conforto e também condução em estradas de terra com segurança, permitindo este tipo de aventura com tranquilidade.

Este tour, em sua porção mais aventureira, possui alguns trechos que exigiram mais técnica para pilotagem off-road e pode ser feito por iniciantes. Nesse caso o ideal é que o piloto “novato” esteja acompanhado por piloto mais experiente. Com piso seco é possível fazer todo o percurso com pneus originais.

VEJA TAMBÉM: Big Trip – Pilotando pela Caverna do Diabo (SP): História, curvas e cavernas.

ONDE COMER

Restaurante Panela Velha (13) 3841-1869

Rua 15 Novembro, 190, Centro, Iguape (SP)

www.pagefree.net/restaurante-panela-velha

SERVIÇOS

Aventur (11) 99296 4677 – Fale com Celsinho, que organiza trips on e off-road Brasil afora (www.aventur.tur.br).

Apoio

Kawasaki – Alpinestars – Bell

*Matéria publicada na edição #195 da revista Moto Adventure.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA