Nas voltas finais, Maverick tomou a ponta e abriu vantagem suficiente para não ser mais alcançado

“Estamos de volta.” Essas foram as palavras empolgantes de Maverick Viañles (Monster Energy Yamaha MotoGP) logo após ter realizado o seu melhor desempenho na categoria rainha até agora, garantindo a vitória no Barwa Grand Prix do Catar de 2021. E ele não está errado.

O Circuito Internacional de Losail viu apenas um fabricante vencer lá nas últimas duas temporadas. Isso é, claro, a Ducati. À caminho da corrida de abertura de 2021, as motos italianas, nas mãos de Francesco Bagnaia, o companheiro de equipe na Ducati Lenovo Team Jack Miller e Johann Zarco (Pramac Racing) eram os favoritos para continuar a tendência. O que pouquíssimas pessoas esperavam era uma vitória de Viñales. Não porque ele não fosse capaz, mas porque a velocidade em linha reta das Ducati e a vantagem delas na arrancada pareciam um pouco demais para serem superadas pelas Yamahas, especialmente depois do que vimos em 2020. Porém estávamos errados.

Quando as luzes se apagaram, os monstros da Ducati rugiram na Curva 1 lado a lado, os quatro! Viñales e seu companheiro de equipe, Fabio Quartararo, foram “despejados” da primeira linha quando Bagnaia, Miller, Zarco e até Jorge Martin (Pramac Racing) – de 14º no grid – dispararam para a primeira curva em P1, P2, P3 e P4. Foi surreal de ver. Mas o que aconteceu à seguir provou que a Yamaha e Viñales não entregaram os pontos.

No primeiro setor, Viñales ficou na nona posição. A partir daí, parecia ser fim do jogo em termos de uma quantidade decente de pontos para a Yamaha, já que brigar em um pelotão de máquinas diferentes é algo que tem sido um grande ponto fraco nas últimas temporadas. Então, para Viñales ultrapassar cada piloto à sua frente, não parecer desconfortável ao fazê-lo e vencer a corrida de forma dominante, foi simplesmente espetacular.

O jogo da Yamaha nas vitórias que vimos de Viñales nos últimos anos tem sido sair na frente desde o início e correr sua própria corrida. A corrida da Malásia de 2019 foi o principal exemplo. É marca registrada da fábrica de Iwata há anos e, na maior parte do tempo, funciona. Mas, especialmente depois da última temporada, algo precisava mudar. E, aparentemente, algo mudou.

Viñales e Yamaha parecem mais afiados em 2021. Outra coisa interessante de ver foi o espanhol falando com muito orgulho, na conferência de imprensa pós corrida, sobre o quão feliz está com a vida em casa. Ele agora é um marido e um futuro pai. Um Viñales sem estresse é obviamente um Viñales muito, muito rápido.

Pode ter sido apenas a primeira rodada da temporada, mas aprendemos muito com a estreia do Qatar. Quando Viñales diz “estamos de volta”, parece que ele realmente está falando sério. O espanhol venceu uma corrida na temporada passada, mas foi um ano bastante decepcionante para ele e para a Yamaha em geral. Sim, eles ganharam sete das 14 corridas, mas as disputas pelo título de Viñales e Quartararo, nas máquinas da geração anterior, viraram fumaça. Exibir tal desempenho, que é praticamente o oposto do que vimos de Viñales e Yamaha nos últimos anos, é um sinal de que a combinação veio para ficar no topo do Campeonato, pelo menos por enquanto.

Desde que venceu sua primeira corrida com a Yamaha no Qatar no início da temporada de 2017, é justo dizer que Viñales não correu totalmente de acordo com o plano da marca. Três vitórias nas cinco primeiras corridas foi um início de sonho para a vida como piloto da Yamaha, mas cinco vitórias – incluindo o mais recente triunfo – desde o famoso encontro de Le Mans, não foram a cereja do bolo. Isso pode ser o começo do que todos nós esperávamos.

É preciso dizer que a Yamaha sempre teve um bom desempenho no deserto do Qatar: Viñales, Valentino Rossi e Jorge Lorenzo venceram em Losail. Mas isso não deve prejudicar o que testemunhamos no último domingo sob as luzes. Vamos reiterar: não é a vitória que impressiona, mas sim o estilo de vitória que causa espanto.

Claro, muitas coisas podem mudar muito rapidamente na MotoGP. Não há dúvida de que todos os pilotos serão mais fortes no Circuito Internacional de Losail no próximo fim de semana, mas Viñales reacendeu velhos sentimentos com sua YZR-M1. Vencer dessa forma dispara um aviso para o resto do campo, mas estamos apenas na primeira corrida da temporada.

Muita coisa pode mudar nos próximos meses. No entanto, Viñales voltou à ação com um estrondo poderoso. Isso veio para ficar? Só o tempo vai dizer.

Moto Adventure, a Revista dos Melhores Motociclistas

Deixe uma resposta