As novas motos da BMW Motorrad já chegaram: a F 750 GS e a F 850 GS estão disponíveis nas concessionárias, prontas para serem testadas por seus futuros proprietários. Saiba mais detalhes sobre os lançamentos da marca alemã!

TEXTO: TRINITY RONZELLA

FOTOS: DIVULGAÇÃO

O engenheiro Laszio Peres saiu do departamento de testes da BMW com sua GS 800, em 1977, para colocar um “norte” na futura produção dos modelos G/S (Gelände und Strasse, que, em alemão, significa “Terra e Asfalto”). Em setembro de 1980, a BMW lançou a R 80 G/S, com motor de 800 cm³ e 50cv, apta a enfrentar com maestria o asfalto e as estradas de terra.

Em 1981, a lendária R 80 GS, de Hubert Auriol, venceu o Rally Paris-Dakar, o que confirmou a vocação do modelo para o off-road e viagens longas. Mesmo os motores boxer sendo considerados “conservadores”, vieram acompanhados de um braço oscilante na suspensão traseira, apenas do lado direito. Uma maravilha! Restava saber se os boxers teriam a esportividade que o off-road exigia, e se o tamanho da moto não causaria dúvidas aos consumidores. Pois bem: 37 anos se passaram e Moto Adventure foi convidada para testar as novas GS 750 e 850, da consagrada linha alemã, em um roteiro bem diversificado, apenas como “tira-gosto” do que vem pela frente.

O ROTEIRO

Saímos do bairro de Pinheiros, em São Paulo (SP), com destino à Rodovia Castelo Branco, enfrentando ruas estreitas, asfalto bastante irregular e trânsito – muito trânsito! –, algo comum no dia-a-dia dos paulistanos. Depois de pegarmos a Marginal Pinheiros e entrarmos na Castelo Branco, a experiência já mudou: conseguimos relaxar um pouco e aproveitar mais o que as motocicletas têm a oferecer. Foram aproximadamente 40 km de pista dupla, nos quais sentimos as máquinas acelerando forte! A diferença em relação aos modelos anteriores é nítida. São motos completamente novas – tudo mudou!

Pouco antes de Araçariguama (SP), entramos à direita no sentido de Pirapora do Bom Jesus (SP) para senti-las em estradas cheias de curvas. Roteiro já conhecido da imprensa especializada, essa região permite experimentar o comportamento das motocicletas em curvas, frenagens e ultrapassagens. Seguimos até Cabreúva (SP), onde passamos pela cidade e entramos à direita, para chegarmos à Rodovia SP-300, que liga Jundiaí (SP) a Itu (SP). Pista dupla novamente no sentido de Jundiaí, entramos para o bairro do Jacaré, onde tivemos acesso à bela Fazenda Guaxinduva. Ali, experimentaríamos as motos em estradas de terra e faríamos algumas fotos.

O DNA aventureiro está mais presente na F 850 GS, como já era de se esperar, mas a F 750 GS também encara uma “terrinha” numa boa, só exigindo mais atenção devido à altura do solo reduzida e menor curso de suspensão. O tempo não ajudou muito – estava nublado e chovia um pouco. O ponto positivo é que não havia formação de poeira (em um comboio de 12 motos, isto judiaria de quem estivesse atrás). Fotos feitas, era hora de trocar de motocicleta com o colega e seguir para o almoço. O local do “rango” era bem próximo: o Portal Japi Golf Clube, onde, após um delicioso banquete e bate-papo com os envolvidos neste pequeno teste, foram apresentadas as informações das duas motos. Até então, estávamos só “caçando” o que estava diferente em relação às 700 e 800. Após todas as informações serem passadas, fizemos mais uma sessão de fotos. Depois, seguimos para a Rodovia dos Bandeirantes e retornamos para São Paulo, já no final do dia.

AS MOTOS

Elas compartilham muita coisa! Com o mesmo quadro, motor e visual, as diferenças se concentram na potência, nas rodas, nas suspensões e em mais alguns detalhes que revelaremos quando fizermos os testes completos dos modelos. Chamaram a atenção os para-brisas das duas máquinas: mais baixos que os das antecessoras, o da 750 é menor que o da 850. Outro ponto de destaque são as rodas raiadas da 850, que permitem utilizar pneu sem câmara aro 21 na dianteira e 17 na traseira. A suspensão invertida mostra um lado mais preocupado com o uso no ambiente off-road.

Já na 750, os aros 19 e 17 são de liga leve e a suspensão é convencional, também com curso menor, mostrando uma atenção maior para o uso urbano, onde o alcance dos pés no chão fazem diferença para muita gente. Mais um aspecto marcante é a posição do tanque de combustível. Anteriormente embaixo do banco, passou para a posição tradicional nos dois modelos.

Os motores de 853cm³, bicilindricos, quatro tempos e oito válvulas, são robustos e eficientes, e foram motivo de grande surpresa:  A F750 GS tem 77cv a 6.250 rpm e torque de 86 Nm a 6.250 rpm. A F850 GS vem com 80cv a 6.250 rpm e torque de 90Nm a 6.250 rpm. Sim, a cavalaria baixou, mas… durante nosso roteiro, a impressão que a moto passou foi exatamente a contrária. Os motores estão mais elásticos e com retomadas mais eficientes.

ESTRUTURA E VISUAL

Um quadro novo e um visual mais atual, com faróis em LED, mudaram a “cara” da moto. Os dois modelos vêm com os pacotes Sport e Premium, deixando apenas a 850 com a opção de um Premium +, sendo mais completa e exclusiva e com o novo painel em TFT.

Os equipamentos de série são vários: A F 750 GS vem com painel analógico/digital, acelerador eletrônico (Ride by Wire), controle automático de estabilidade (ASC), ajustes de pré-carga e retorno do amortecedor traseiro. Ajuste dos manetes de freio e embreagem, ABS, computador de bordo, descanso lateral com inibidor de partida, disco de freio duplo dianteiro, rodas de liga leve, lanternas traseiras em LED e modos de pilotagem ROAD e RAIN.

No Pacote Sport, a carenagem vem nas cores amarela ou branca e com acréscimo de farol em LED. No modelo PREMIUM, além de carenagens apenas na cor cinza, há manoplas aquecidas, luz de posição diurna, setas em LED, banco Confort e protetores de mãos. Ainda há a opção de banco com perfil mais baixo e o kit de rebaixamento – para motos com ajuste eletrônico de suspensão (Dynamic ESA).

A F 850 GS vem com controle de tração dinâmico (DTC), farol em LED, luz diurna, modos de pilotagem Pro, setas em LED, freios ABS Pro, suspensão dianteira invertida, rodas raiadas e pneus sem câmara. O pacote Sport vem com farol em LED, manoplas aquecidas e protetores de mãos, com o kit de rebaixamento sendo opcional. A versão Premium + (PLUS) traz partida sem chave (Keyless Ride), monitoramento da pressão dos pneus, piloto automático, suporte de malas laterais e bagageiro, além de conectividade no painel TFT de 6,5 polegadas. As cores são: vermelha, branca e verde Pollux.

CONCLUSÕES

A F 750 GS tem todos os atributos almejados por quem busca uma moto para uso mais urbano e viagens, principalmente devido à sua altura, e garante a diversão em estradas de terra. Já a F 850 GS tem características mais aventureiras, ou seja, não escolhe o tipo de terreno por onde vai andar; para um uso urbano, está um pouco mais baixa que sua antecessora, o que já pode fazer diferença para muita gente. As primeiras impressões foram ótimas – mas, em breve, testaremos as duas motocicletas com mais rigor e tempo. Aguardem!

VALORES

F 750 GS: a partir de R$ 40.950,00

F 850 GS: a partir de R$ 50.950,00

O Consórcio BMW disponibiliza cotas para a aquisição de 32 a 92 meses para os modelos BMW F750 GS Premium (R$ 44.950,00) e BMW F850 GS Premium com TFT (R$ 50.950,00).

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here