Entrevistamos Fábio Campos e Ronaldo Lorenzo, diretores da Factory Powersports, empresa que assumiu a gestão comercial da KTM a partir deste mês

TEXTO: GUILHERME DERRICO

FOTOS: LAERTES TORRENS FILHO / DIVULGAÇÃO

Visando alcançar mais entusiastas, a KTM do Brasil está realizando movimentações em seu negócio. Para isso, a partir deste mês, a Factory Powersports assume a gestão da parte comercial no Brasil. Entrevistamos, com exclusividade, os diretores da empresa, que nos contaram detalhes da sua participação e do trabalho a ser realizado em território nacional.

MOTO ADVENTURE: Quais serão os primeiros passos da Factory  Powersports no Brasil em relação à KTM?

FACTORY POWERSPORTES: Primeiramente, vamos dar uma atenção maior às concessionárias. Viemos para suprir esta necessidade, conhecer melhor o mercado e estar mais íntimos da operação, com foco em fortalecer a rede de concessionários. Iremos montar uma estrutura diferenciada para que este comerciante seja totalmente atendido e, desta forma, o consumidor final também. Queremos a cadeia toda muito bem atendida, concessionário e clientes satisfeitos e empolgados com os produtos KTM.

MA: De onde vem o capital financeiro para as movimentações que a empresa deseja?

FP: Estamos investindo capital próprio. Sabemos do potencial do negócio e, como empresários que acreditam no Brasil, vamos dar nosso máximo para alcançar os objetivos planejados, que é a satisfação de nossos clientes.

MA: Vocês pretendem ampliar a rede de concessionárias?

FP: Nosso primeiro objetivo é fortalecer a rede existente. Em seguida, vamos dar uma atenção às praças não atendidas, tais como Rio de Janeiro, Mato Grosso e interior de São Paulo, entre outras. Com o novo investimento no projeto, novos produtos devem desembarcar por aqui em breve, o que também irá viabilizar nossa operação em áreas que hoje não temos capacidade de atender.

MA: Qual será o diferencial de vocês neste trabalho de alavancar ainda mais a identidade da KTM em território brasileiro?

FP: Vamos melhorar a oferta de produtos, aumentar a disponibilidade e o line-up de motocicletas KTM no Brasil. Esse é um dos nossos compromissos, ou seja, trazer os modelos mais recentes da marca para cá. Nossa intenção é viabilizar, em breve, de três a cinco modelos novos para melhor atendermos a demanda nos segmentos street e off-road. Também vamos investir no mercado de reposição de peças, acessórios e boutique, onde a KTM possui uma gama muito grande de produtos, com excelente qualidade. Queremos que o fã da marca KTM tenha sempre à sua disposição os melhores produtos.

MA: Poderia adiantar os próximos lançamentos para o Brasil?

FP: Para se ter uma ideia, no Salão EICMA/Milão, que será realizado em novembro deste ano, a KTM irá lançar novos modelos street e off-road. Já estamos trabalhando para viabilizar seus lançamentos no Brasil a partir de 2020. A KTM quer investir a longo prazo no país, construir uma base sólida. Para isso, estaremos investindo e melhorando gradativamente nossa participação no mercado, com planejamento e crescimento sustentável. Colocaremos a KTM em posição de destaque, como merece uma marca Premium de alta performance.

MA: Fabio é sócio da empresa Sacramento, reconhecida pela excelência no ramo de boutique para o motociclista. Recentemente, também abriu o ramo para concessionária de motos KTM. A Sacramento pretende expandir nesse ramo de motos?

FP: Não, a Sacramento ficará especializada em boutique de acessórios para motos e, em pouco tempo, não irá mais comercializar motos, nem mesmo da marca KTM. Quando decidimos entrar na distribuição de motos KTM, estrategicamente também entendemos que Fabio deveria sair da operação de concessionárias. Totalmente separado da Sacramento, teremos uma única operação em São Paulo, a fim de ser nossa base operacional para treinamentos da rede nas mais diversas áreas, modelo operacional, suporte à mídia especializada e que terá, como meta fundamental, dar total apoio às necessidades de nossos concessionários.

MA: Vocês têm alguma projeção em relação às vendas?

FP: Ainda é cedo para tocarmos neste ponto, porém, o objetivo global da KTM é alcançar vendas anuais de 400 mil unidades até 2022, e o Brasil têm sua participação nesta empreitada. Para se ter uma ideia, países como Chile, Argentina, Bolívia e Colômbia vendem relativamente mais motos KTM do que o Brasil. Vamos trabalhar para mudar este quadro. Vale salientar que a Dafra Motos permanece como importadora e montadora da marca em seu complexo industrial em Manaus (AM), reconhecido pela excelência de sua operação.

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também