Campanha do Detran.SP e do Movimento Paulista reforça cuidados no Dia do Pedestre

Dia do Pedestre
Dia do Pedestre

Pedágio educativo da ação #FocaNoTrânsito será realizado em parceria com o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito. Atropelamentos são a segunda maior causa de morte no trânsito

Texto: Redação
Foto: Divulgação

Dia do Pedestre

Em parceria com o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) realiza nesta terça-feira (8/8), Dia do Pedestre, pedágios educativos da campanha #FocaNoTrânsito na capital. As ações, no entorno da estação Jabaquara e também nas proximidades da estação Brás, contam também com apoio de CPTM, EMTU e Metrô.

As focas da campanha vão orientar os pedestres sobre a importância da atenção ao atravessar ruas e avenidas, entre outras recomendações. “De forma criativa e bem-humorada, queremos passar a mensagem de que 94% dos acidentes fatais ocorrem por falha humana. Todos devem fazer a sua parte para um trânsito mais seguro”, afirma Maxwell Vieira, diretor-presidente do Detran.SP.

#FocaNoTrânsito
Campanha Foca no Trânsito em Ribeirão

Levantamento do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, programa do Governo de São Paulo que visa reduzir em 50% o número de óbitos por acidentes no Estado, mostra que acidentes com pedestres respondem por 28,4% das fatalidades, ficando atrás somente dos motociclistas (33,5%). Uma em cada três vítimas é idosa com mais de 60 anos de idade.

Apesar da redução de 3,8% de óbitos por acidente de trânsito no primeiro semestre, no Estado, os índices de fatalidades com pedestres permanecem em alta. Segundo o Infosiga SP (banco de dados do Movimento), em 2016, foram registradas 729 ocorrências de janeiro a junho, ante 782 neste ano.

Mais da metade (56,9%) dos acidentes aconteceram em vias municipais, o que reforça a necessidade de atuação nas áreas urbanas. Idosos com mais de 60 anos correspondem a 34% das fatalidades entre pedestres. Já o período da noite concentra 57% dos acidentes. “Os pedestres são o grupo mais frágil do trânsito e merecem cuidado especial por parte dos motoristas. No caso dos idosos, temos incentivado ações específicas para este grupo por parte dos municípios, dada a alta proporção de acidentes que envolvem esta faixa etária”, explica a coordenadora do Movimento Paulista, Silvia Lisboa.

Os números de acidentes com pedestres podem ser reduzidos com cuidados e atitudes simples, de acordo com especialistas. Veja a seguir:

  • Não utilize telefone celular ou fones de ouvido enquanto estiver atravessando a rua, pois eles podem dificultar que você ouça carros se aproximando, por exemplo;
  • Atravesse sempre na faixa e somente quando o sinal de pedestres estiver verde;
  • Não atravesse entre os carros parados, mesmo que o sinal esteja fechado;
  • Quando for atravessar a via com criança, sempre a segure pelo pulso; e quando for atravessar a via com animais ou objetos volumosos, como sacolas, segure-os com firmeza para que os objetos não caiam ou o animal não fuja durante a travessia;
  • Preste bastante atenção ao atravessar a via em faixas exclusivas para ônibus; e, ao atravessar em um ciclofaixa, verifique se não há ciclistas por perto;
  • Ao cruzar as ruas durante a noite, procure sempre faixas de pedestres com iluminação; em rodovias, sempre use uma passarela;
  • Ao descer do ônibus, espere na calçada. Não é seguro atravessar nem por trás nem pela frente do veículo. Deixe que ele siga, para que você tenha uma boa visão da rua. Outra dica: jamais desça fora do ponto.

Por um trânsito mais seguro

Por meio do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, o governo do Estado de São Paulo tem investido em ações para reduzir o número de acidentes e mortes no trânsito, como campanhas educativas e parcerias com prefeituras.

Só com verbas provenientes de multas aplicadas pelo Detran.SP, serão repassados R$ 100 milhões ao longo de 2017 para 52 municípios para melhorias em engenharia de tráfego, fiscalização, sinalização e educação para o trânsito.

VEJA TAMBÉM: Trips & Tips – Dicas de Pilotagem: motos de baixa cilindrada.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA