Testamos o scooter Dafra Citycom S 300i ABS, uma moto versátil, que permite ir ao supermercado ou à praia sem sofrimento! Colocamos a máquina em condições diversas: no trânsito caótico, em estradas diversas, e o resultado do teste você confere em Moto Adventure

TEXTO E FOTOS: TRINITY RONZELLA

A Dafra Citycom S 300i sempre me despertou curiosidade por seu porte e visual. Costumo me deslocar bastante na cidade e algumas vezes preciso percorrer um roteiro de estrada, por isso gostaria de saber como seria o comportamento dela nessas situações. Tive a oportunidade de rodar bastante com a nova Citycom S 300i ABS, na cidade e na estrada, sozinho e com garupa, com e sem bagagem, e fiquei muito satisfeito!

Visual

A boa impressão começa já pelo visial. Encorpada, bancos largos, painel com todas as informações necessárias (conta-giro, temperatura, velocidade, nível de combustível, hodômetro parcial e total e relógio), para-brisa, faróis duplos, enfim, é um scooter que não passa despercebido, e agrada no visual.

Uso urbano

No trânsito pesado de São Paulo, os deslocamentos foram tranquilos. A moto mede 2.210 mm de comprimento, 785 mm de largura e o banco está a 800 mm do solo. Não notei maiores dificuldades durante os percursos. Pelo contrário, o conforto do banco e a força do motor ajudam bem. Com garupa, ela me surpreendeu, principalmente pelo desempenho, pois o motor, ao ser acionado, responde rapidamente. Quem andou na garupa adorou e comentou: “Nossa, parece que estou num sofá!”.

Os freios ABS são bastante eficientes e precisos, passando bastante segurança para enfrentar as surpresas do trânsito urbano. Os aros 16” enfrentam as irregularidades do piso das cidades com mais facilidade e, para ajudar, há a suspensão telescópica de 117 mm na dianteira. Na parte de trás, a suspensão é bi-amortecida por garfos de alumínio de 91 mm.

Na estrada

Estava curioso para ver como seria o desempenho da Citycom S 300i na rodovia, e fiquei impressionado. A moto permite manter uma velocidade de cruzeiro segura para uma rodovia de 120 km/h, e vai além! Se acelerar, ela entrega tanto, ou mais, do que  as motos de mesma cilindrada. Mesmo andando a mais de 100 km/h, o scooter estava firme e passando segurança. O para-brisa ajuda bastante na aerodinâmica e, juntamente com a carenagem, protege o condutor com eficiência do vento e da chuva. Com um tanque de combustível de 10 litros, ela pode chegar a 250 km de autonomia tranquilamente, pois chegou a fazer 30 km/litro de gasolina. O conjunto óptico também vale ser ressaltado, devido a sua amplitude e capacidade (é uma tranquilidade a mais).

Carga

A moto conta com compartimento de carga sob o banco, com bastante espaço, que pode acomodar um capacete (depende de tamanho e modelo) e outras coisas. Para o dia a dia, possui um gancho abaixo do painel que ajuda bem. Aceita sacola de supermercado, mochila pequena ou algo semelhante, o que facilita bastante! No painel frontal há uma tomada 12V dentro do porta-luvas e, fora dele,  uma chave de segurança que impossibilita a partida. Bem bolado! Para viajar, aceita uma mochila fixa com elásticos na garupa. Os pontos de fixação poderiam ser melhores, mas a proposta principal não é essa.

Motorização

Um motor monocilíndrico 4 tempos refrigerado a água é o responsável pelo desempenho desse scooter. O motor  de 278,33 cm cúbicos, com cilindro disposto horizontalmente, transmissão automática (CVT) por correia e partida elétrica, pesa 171 kg. Comparado ao modelo anterior, a máquina nitidamente ganhou força: o torque máximo passou de 2,4 kgf.m a 5.500 rpm para 2,8 kgf.m, mas a 6.500 giros, sem aumentar o consumo.

Em resumo, trata-se de um scooter que dá possibilidades de ir além do uso urbano com tranquilidade. Muito bom! Disponível em três cores: branco, preto fosco e preto brilhante. O preço sugerido é de R$ 21.290,00.

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here