Honda CB 650F e CBR 650F: Naked Street Fighter

Versão 2018, renovada na técnica e na estética, exalta a magia dos tetracilindros da Honda CB 650F e CBR 650F

Texto: Da Redação
Fotos: Divulgação

Honda CB 650F e CBR 650F

A Honda amplia seu portfólio com duas novidades: a CB 650F e a CBR 650F. Desde sua introdução no mercado brasileiro, há cerca de três anos, a naked Honda CB 650F e a esportiva CBR 650F se tornaram cada vez mais tecnológicas e confortáveis no segmento de alta cilindrada. Produzidas na fábrica da Honda em Manaus , as motocicletas se transformaram em objetos do desejo e admiração dos motociclistas. A motocicleta foi apresentada aos jornalistas na pista de Curvelo, em Minas Gerais, e Moto Adventure estala lá!

Motor robusto

A versão do tetracilíndrico Honda de 649 cm3, que equipa tanto a CB 650F como a esportiva CBR 650F, preserva o DNA dos “quatro em linha” da marca, com o típico urro de escape aliado à performance, economia de exercício e confiabilidade. A bancada dos cilindros inclinada 30º à frente, o câmbio verticalizado e o compacto motor de arranque situado atrás da bancada propiciou ao motor dimensões longitudinais contidas, favorecendo um posicionamento ideal no chassi.

Arrefecido a líquido, nesta versão 2018 a potência máxima cresceu dos 87 cv a 11.000 rpm para 88,5 cv ao mesmo regime. O torque permaneceu de 6,22kgf.m a 8.000 rpm, enquanto o câmbio, sempre de 6 velocidades, recebeu relações mais curtas na 2ª, 3ª e 4º marchas, privilegiando as acelerações e retomadas de velocidade em qualquer condição de uso.

Chassi e ciclística

O chassi de aço conta com a arquitetura Diamond, comum à CB 650F e CBR 650F. Realizada em alumínio fundido sob pressão, a balança traseira está ligada diretamente a um conjunto mola-amortecedor regulável na pré-carga da mola em sete posições. Na suspensão dianteira a grande novidade é a adoção do garfo Showa Dual BendingValve (SDBV) com tubos de 41 mm de diâmetro. A tecnololgia SDBV melhora a resposta às solicitações, seja na compressão como na extensão, garantindo um funcionamento mais suave e preciso em diferentes pisos, cujo reflexo favorece maneabilidade e estabilidade.

No âmbito dos freios, tanto CB 650F como CBR 650F estão equipadas com um sistema ABS de dois canais que atuam no duplo disco tipo wave na dianteira, com 320 mm de diâmetro, associados a pinças Nissin de duplo pistão. Na traseira, o disco simples também tem 240 mm de diâmetro e pinça de pistão simples. As rodas de 6 raios duplos são fabricadas com alumínio fundido sob pressão e calçadas com pneus esportivos medidas 120/70-ZR17 e 180/55-ZR17, com válvulas de ar em formato de “L”, o que facilita a operação de controle da pressão.

Design agressivo

A naked CB 650F tem um estilo que valoriza os detalhes, como as aletas nas laterais do tanque, que acentuam a agressividade que faz parte do caráter de uma genuína streetfighter. A rabeta compacta, o pequeno para-lama dianteiro e o farol emoldurado por uma essencial carenagem exalta o caráter agressivo da CB 650F. Completam as inovações a iluminação por LED, o painel completamente digital e uma ligeira alteração na posição de pilotagem, conseguida através do sutil avanço do guidão e estreitamento da zona central do assento.

A esportiva CBR 650F conta com uma nova carenagem, que não apenas acentua o estilo esportivo como favorece a captação de ar para o sistema de alimentação e proteção ao piloto. A beleza do motor foi valorizada e por conta disso ele é elemento importante na. Rabeta afilada e o posicionamento avançado do condutor exaltam a pegada racing do modelo. Como na irmã naked, a CBR 650F conta com painel digital e iluminação por LED.

A CB 650F e CBR 650F estarão disponíveis nas cores vermelho e azul perolizado. Os preços públicos são: CB 650F (R$ 33.900,00) e CBR 650F (R$ 35.500,00), base estado de São Paulo, sem despesas com frete e seguro. Os modelos têm garantia de 3 anos + Honda Assistance, sem limite de quilometragem.

“O motor de 4 cilindros trabalha muito bem e torna a pilotagem mais harmônica. Os dois modelos funcionam muito bem na pista, com ótima ergonomia e acerto em todo o conjunto ciclístico. Parabéns à Honda por mais essa evolução!”, diz o jornalista Marcos Barros.

VEJA TAMBÉM: Honda NXR 160 Bros 2018: Ligada nos 160.

DEIXE UMA RESPOSTA