Novas Honda CRF 1000L AfricaTwin e Honda CRF 1000L AfricaTwin Adventure Sports chegam ao mercado remodeladas. Torque, potência e conforto são os destaques das motocicletas

TEXTO: GUILHERME DERRICO

FOTOS: CAIO MATTOS / DIVULGAÇÃO

Por meio de um evento realizado pela Honda, pudemos conhecer e avaliar a nova CRF 1000L AfricaTwin, que chega ao mercado nacional em duas versões: o modelo de entrada e a opção Adventure Sports. Renovadas, as máquinas ganharam itens como o acelerador eletrônico Throttle By Wire, quatro Riding Modes, freio motor e o HSTC – Honda Selectable Torque Control. Os preços variam entre R$ 57.990,00 e R$ 69.990,00. O equilíbrio entre peso e potência é a aposta de sucesso da moto.

A versão Twin Adventure Sports se destaca pelas suspensões de curso estendido e detalhes como o kit de malas laterais e o cavalete central. “Nossa CRF 1000L AfricaTwin provou ser uma genuína herdeira do modelo consagrado no final dos anos 1980, da qual herdou o nome. Do momento em que a CRF 1000L AfricaTwin chegou ao mercado internacional até agora se passaram três anos, milhões de quilômetros foram percorridos e o resumo das experiências de nossos clientes neste período resultou nos aperfeiçoamentos introduzidos nestas versões, tais como: uma melhor resposta do motor, redução de peso e a possibilidade de optar por diferentes entregas da potência, adaptando-a a múltiplas condições de uso. A versão Adventure Sports traz toda esta evolução técnica aliada a componentes que atendem a necessidades específicas de clientes que almejam percorrer grandes distâncias”, diz K. Morita, líder de projeto da Honda.

DETALHES

As versões 2020 da AfricaTwin receberam modificações na caixa do filtro de ar para melhor resposta do motor em média rotação. O mesmo vale para o sistema de escapamento, alterado para uma melhora na emissão de potência, mudança que resultou em sonoridade mais agressiva. A introdução do sistema de acelerador eletrônico TBW – Throtlle By Wire é outra novidade, equipamento que trouxe consigo os três “Riding Modes”, ampliando também as capacidades do sistema de controle de tração HSTC – Honda Selectable Traction Control.

O chassi tipo berço semi-duplo de aço é comum às duas versões da AfricaTwin e proporciona mais estabilidade em alta velocidade. São seis os pontos de fixação do motor ao quadro, o que ajuda a reduzir vibrações. Outro aperfeiçoamento nas versões 2020 da AfricaTwin é a bateria de lítio-íon, que contribuiu para uma redução de peso de cerca 2,3 kg. As suspensões – dianteira Showa tipo invertido com tubos de 45 mm de diâmetro e conjunto mola-amortecedor traseiro são reguláveis. A versão Adventure Sports se caracteriza por curso ampliado em 20 mm em ambas as suspensões. As rodas aro 21 polegadas na dianteira e 18 polegadas na traseira tem aros de alumínio e raios de aço inoxidável. A frenagem, com sistema ABS, é entregue a um par de discos flutuantes tipo “wave” de 310 mm na dianteira, com cálipers Nissin de quatro pistões montados radialmente. Na traseira, o disco tipo “wave” de 256 mm é servido por cáliper de pistão simples. Os pneus têm medidas 90-90 na dianteira e 150/70 na traseira.

Outra novidade é o painel de instrumentos, que foi redesenhado e agora conta com uma tela retangular LCD tipo “blackout”, que permite melhor leitura das informações. Quanto à iluminação, o farol duplo em LED permanece nas duas versões.

MOTORIZAÇÃO

O motor bicilíndrico paralelo SOHC de 999,1cc e oito válvulas teve a caixa de filtro de ar redesenhada, o que resultou em uma melhoria nas respostas. O mesmo pode ser dito sobre o sistema de escapamento 2 em 1, agora com dois catalisadores e ponteira de menores dimensões. Essas alterações ajudaram a subir a potência de 90,2 cv para 94,6cv a 7.500 rpm, e o torque máximo de 9,3 kgf.m para 9,7 kgf.m a 6.000 rpm. O cabeçote de quatro válvulas por cilindro utiliza o sistema Unicam, comando de válvulas simples (SOHC). Outra mudança foi a opção pelo sistema de lubrificação tipo cárter semi-seco, no qual o reservatório do óleo está incorporado ao cárter, que consequentemente tem dimensões reduzidas. A alimentação é feita pelo sistema de injeção eletrônica PGM-FI.

Quanto ao sistema de transmissão, a embreagem deslizante em alumínio facilita o acionamento da alavanca. O câmbio de seis marchas é mais leve do que sistemas equivalentes, graças à adoção de seletores aliviados para a primeira, segunda, terceira e quarta marchas. A alavanca oferece engates precisos e fáceis, mesmo em condições de utilização extremas. A utilização do sistema de acelerador eletrônico TBW – Throttle By Wire – permitiu expandir as capacidades do HSTC – Honda Slectable Torque Control – para sete níveis além da posição “Off”: do nível 1, direcionado para uma pilotagem mais agressiva no off-road, além de maior sensibilidade em pisos escorregadios. É possível ajustar os parâmetros do controle de tração de acordo com a necessidade do piloto, ou mesmo desativá-lo.

As cores disponíveis são o vermelho e preto fosco para a CRF 1000L AfricaTwin, e branco perolizado para a CRF 1000L AfricaTwin Adventure Sports. A garantia é de três anos, sem limite de quilometragem.

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também