Em passeio realizado com a nova BMW G 310 GS, podemos testar, de fato, toda a potência e tecnologia embarcada nessa trail. Motor, freios ABS e, principalmente, a autonomia, são os destaques da máquina

TEXTO: ROSA FREITAG
FOTOS: FERNANDO ESPOSITO

Seguindo a tendência mundial de lançamentos de baixa cilindrada, com motores de alto desempenho e refinamentos típicos de motos maiores, a BMW apresentou uma GS monocilíndrica com 310cc, 34 CV e refrigeração líquida. Com design inspirado na R1200 GS, as carenagens frontais e a altura do solo(maior que a G650 GS Sertão) dão à G310 GS um porte avantajado. Com “G310” discretamente “entalhado” na carenagem, os curiosos ficam surpresos com a cilindrada, pensando ser uma moto maior. E surgem outras perguntas…

Para respondê-las, testamos a moto em várias condições, começando na hora do rush. O assento tem altura de 83,5 cm (há opcionais do tipo Rebaixado/82 cm e Conforto/85 cm), e tivemos dificuldade para subir o apoio lateral, pois, por ser largo, encurta o alcance do pé (lembrando que autora tem 1,62m). E aí entendemos que não se trata de uma moto “trail”, e nem “urbana”, no sentido de ser leve e ágil,mas sim de uma “pequena big trail”, com ergonomia parecida com a da 1200. Com o tanque de 11 litros cheio, sentimos os 169,5 kg ao manobrar para estacionar. O painel indicou “Range”(autonomia) de 300 km e no trânsito intenso a ventoinha acionou aos 104°C. Outras funções do computador de bordo incluem consumo instantâneo (em km/L), indicador de marcha (são 6) e relógio.

Motor à prova

Na Rodovia Ayrton Senna, o motor “gritou” entre os 70 e 110 km/h, mas aceleramos com fé e aos 110-120 km/h esse ruído vai embora, a vibração diminui e dá para manter cruzeiro nessa faixa. Na descida chegou aos 140, com a frente firme. Anoiteceu e segui viagem até Campos do Jordão, segura com a eficiência do farol e dos freios: os discos parecem superdimensionados, como de uma super motard, e em conjunto com as pinças ByBre (divisão da Brembo) são excelentes e foram postos à prova quando freamos bruscamente para não atropelar um esquilo!

No dia seguinte, rodamos uns 40 km por estradas de terra em um roteiro cênico pela Serra da Mantiqueira até Wenceslau Braz (MG), e adoramos poder desligar ou reativar o ABS a qualquer momento com a moto em movimento. A suspensão dianteira, invertida, tem muita qualidade, copiando bem o terreno e mantendo a direção desejada, sem transmitir trancos aos punhos, e você até esquece que o aro dianteiro é de 19” e as rodas são de liga. Achamos boa a escolha desse tipo de roda, pois é fácil consertar um pneu furado sem câmara usando “macarrão”. Os pneus Metzeler Tourance – o traseiro com largura 150 -vão bem na rodovia, fazendo um pouco de ruído em alta velocidade. E no off “light” vão bem em solo seco com algum cascalho. Mantivemos a calibragem do asfalto, sem sustos. Gostamos do motor monocilíndrico no off road, pois oferece a segurança do freio motor em descidas íngremes e bom torque nas subidas.

Autonomia de respeito

Na BR-459 – Estrada Real, lindíssima nessa região, a luz da reserva acendeu – paramos uns 25 km adiante para abastecer.Havíamos rodado 222 km e a autonomia restante era de 66 km. Completamos com 8,38 L, portando a média de consumo em rodovia, trânsito urbano e passeio off road foi de 26,5 km/l, e a autonomia de um tanque ficou, de fato, próxima dos 300 km. Na serra de Piquete, mais um “offzinho” para posar na rampa de voo livre no Pico do Ataque.

Atravessamos a Dutra rumo à Serra da Bocaina, pela deslumbrante Serra dos Macacos até a Fazenda Ares da Bocaina, produtora de azeite de oliva em Silveiras (SP). O chef Pino Rossi preparou uma feijoada à italiana para os amigos do grupo MTA – Moto Turismo de Aventura, e os proprietários Halle e Sandra nos guiaram pelos pomares de oliveiras e campos de lavanda. O terreno mais íngreme e acidentado causou dificuldades para as big trails, mas a pequena GS foi bem até o topo para contemplarmos o pôr do sol!

Voltamos para São Paulo acompanhando os amigos de big trail na velocidade limite da rodovia numa boa, e o consenso foi de que a motocicleta oferece um ótimo custo-benefício pelo que entrega em desempenho, refinamento, inovações e beleza!

Rosa Freitag comanda a Roots MotoAventura, com locação de motos trail, passeios on/off road guiados e pousada em Campos do Jordão – SP (12) 99666-1818

Serviço: Ares da Bocaina – Silveiras-SP – Sandra (12) 99664-7907

Apoio: Alpinestars (conjunto Stella Andes II)

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here