Agora com três dias de disputa, Rally Baja Jalapão amplia o desafio para os competidores e se consolida como uma das provas mais difíceis do Campeonato Brasileiro de Rally

Texto: Doni Castilho
Fotos: Claudiney Sandro/DFotos, Gustavo Epifanio/DFotos e Luciano Santos/DFotos

O Baja Jalapão é conhecido como uma das mais difíceis e técnicas provas do calendário brasileiro de rally. E esse ano teve um dia a mais de disputas. A prova, que começou em 2015 com apenas um dia e percurso de 500km, cresceu e agora dura três dias em meio à região do Jalapão, norte do estado do Tocantins.O rally, esse ano, teve 1.118 quilômetros, dos quais 780 quilômetros de especiais cronometradas.Ou seja, apenas 13% foram de deslocamentos, o restante foi de cronômetro aberto.

Disputado entre os dias 07 e 10 de junho, o rally contou com 59 inscritos entre motos, quadriciclos e UTV’s. O trajeto da prova foi marcado, como não podia deixar de ser, por trechos de areia, muita areia. Aquela areia pesada sobre um piso duro! Quem já andou nessas condições sabe como é prazeroso… e desgastante. Por isso, nessa prova, mais do que nunca, foi preciso administrar a resistência física e dos equipamentos.Refresco mesmo, só nos momentos em que a disputa cortava os pequenos riachos que serpenteiam a região.

O rally começou em Palmas, capital do Tocantins, e seguiu para Ponte Alta, com 242 km de prova. No segundo dia, entre Palmas e São Felix do Jalapão foram mais 356 km, e, para finalizar, o último e decisivo, com 255 km de especial toda disputada na região de São Felix, para depois encararem 180km de deslocamento até Palmas, destino final dessa incrível jornada.

Ao fim dos três dias, vitória do catarinense Ricardo Martins, que bateu o esquadrão Honda e conquistou seu terceiro título da prova entre as motos. Antes havia vencido em 2015 e 2017. “Estou muito feliz com essa vitória. Foi uma prova espetacular, o Henrique Arena e toda organização estão de parabéns, show de bola! Esse ano, o evento deu uma mesclada no terreno, muito parecida com o Sertões,o qual todo mundo teme”, comemorou o piloto da Yamaha YZ450.

Jean Azevedo, da equipe Honda, ficou em segundo lugar e, com esse resultado, assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country. “Vou continuar focado e empenhado em fazer boas etapas nas próximas provas, sempre pontuando bem para tentar chegar ao final do ano com meu 11⁰ título do Brasileiro. O campeonato é muito longo e cada dia de prova é uma etapa separada. Então, manter essa regularidade é muito importante” declarou Jean. Em terceiro ficou Gregorio Caselani, também da equipe Honda.

Geison Belmont é o tricampeão do Rally Baja Jalapão entre os quadriciclos e disse que a prova foi de superação. “Foi um rali muito duro, um dos mais difíceis de todas as edições. Eu tive que me superar dia a dia, cada chegada era uma missão e conseguir a colocação em que chegamos é um feito muito grande para a equipe Meikon Rally Team. Foi mais uma experiência enriquecedora”, disse, emocionado, o piloto carioca.

Deni Nacimento e Idali Bosse (#101) repetiram o feito de 2017 e levaram o título nos UTV’s. “A prova estava maravilhosa, tenho que agradecer toda a organização.A equipe foi perfeita e o carro estava excelente todos os dias, o Idali foi um ótimo navegador, pois somos um conjunto e não se faz nada sozinho”, festejou o piloto de Brusque (SC). “Fizemos um grande rali. O Maverick X3 correspondeu bem, ele é algo que veio para revolucionar o mercado, é um presente da Can-Am e, é um carro ideal para fazer rali”, completou o navegador Idali Bosse, de Corupá (SC).  Marcelo Gastaldi e Claudio Rieser ficaram em segundo.

O 4º Rally Baja Jalapão é uma realização de Arena Promoções e Eventos, tem patrocínio da Can-Am e do Divino Fogão, apoio do Hotel Girassol Plaza, do Capim Dourado Shopping, da Prefeitura Municipal de São Félix do Jalapão, Prefeitura Municipal de Palmas e do Governo de Tocantins.

Classificação geral:

MOTOS

1) 3 Ricardo Martins, Yamaha YZ450, (1)SPD, 10h34min48seg

2) 1 Jean Azevedo, Honda, (2)SPD, 10h41min27seg

3) 2 Gregório Caselani, Honda, (3)SPD, 10h52min47seg

4) 8 Tulio Borges Malta, KLX 450R, (1)MAR, 11h34min57seg

5) 16 Júlio César Zavatti, CRF 230, (1)RBR, 11h42min25seg

QUADRICICLOS

1) 39 Geison Pinheiro Belmont, BRP Renegade 1000, 17h40min36seg

2) 41 Marcelo Nascimento Medeiros, Yamaha 700 Raptor, 26h15min14seg

UTV’s

1) 101 Deni do Nascimento/Idali Bosse, Can-Am X3, (1)UTPT, 11h21min58seg

2) 110 Marcelo Gastaldi/Claudio Rieser, Can-Am X3, (2)UTPT, 11h39min56seg

3) 103 Euclides Benvenuti Junior/Fernando Torquatto, UTV, (4)UTPT, 12h03min36seg

4) 112 Adriano Benvenutti/Ricardo Roch, Can-Am X3, (1)UO45, 12h42min34seg

5) 117 Luciano Reis/Joel Kravtchenko, Can-Am X3, (1)UO45, 14h49min03seg

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

 

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here