POR REDAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

O SuperBike Brasil revisou suas regras e procedimentos como forma de prevenir os riscos inerentes às suas competições. Trata-se de um esforço da equipe do SBK Brasil em prol da segurança do esporte, realizado em parceria com a Comissão de Segurança da Motovelocidade (CSM), com a Associação dos Pilotos de Motovelocidade (APM) e com especialistas de diversas áreas do conhecimento, incluindo pilotos, médicos, psicólogos, engenheiros e técnicos em aviação.

As melhorias estão divididas em três frentes, sendo:

• Pilotos

• Processos-Chave

• Autódromos

Em relação aos pilotos, teremos:

• Critério de elegibilidade por idade mínima e máxima por categoria. Implementação imediata.

• Exigência, para pilotos estreantes, de aprovação em curso de pilotagem esportiva em uma das escolas credenciadas pala APM. Implementação imediata.

• Critérios para concessão de licença, incluindo nível de experiência, histórico de conduta em competições, performance e exigências distintas em relação a aptidões e condicionamento físico. A partir de agosto.

• Especificações rígidas para equipamentos de proteção, alinhadas com o Campeonato Mundial de Superbike. A partir de agosto.

• Realização de testes teóricos, de regulamento, pilotagem e segurança, e teste prático, de habilidades de pilotagem. A partir de agosto.

• Atestado médico cobrindo ampla extensão de áreas, ainda mais completo do que se exige no Campeonato Mundial de Superbike. A partir de agosto.

• Exame psicológico anual e exame clínico em toda etapa, incluindo teste de bafômetro. Implementação imediata.

Em relação aos processos-chave, teremos:

• Orientação e educação: além dos briefings, passa a ser obrigatória a participação de todos os pilotos em palestras de renomados profissionais de múltiplas áreas, convidados pelo SBK Brasil, sobre temas de alta relevância para a saúde, performance e segurança dos pilotos, como nutrição, condicionamento físico e psicologia do esporte. E um treinamento especial sobre startle effect, com metodologia vinda da aviação comercial sobre como agir frente ao efeito surpresa de situações inesperadas e de alto risco típicas da motovelocidade. Implementação imediata.

• Certificação de mecânico: o campeonato passa a instituir o Programa de Atualização e Credenciamento de Mecânicos, em parceria com o SENAI, visando mitigar falhas oriundas de preparação e manuseio incorreto da moto por parte dos mecânicos. A partir de janeiro de 2020.

• Vistorias: as vistorias de motocicletas, equipamentos e boxes, sempre realizadas de maneira ampla e detalhada, passa a ter também registro fotográfico. Implementação imediata.

• Posicionamento do Medical Car em local estratégico, com o médico e motor acionados, durante todas as provas, para agilizar ao máximo sua possível entrada em pista. Implementação imediata.

• Além do teste de bafômetro, que já é realizado em todas as etapas em todos os pilotos, o campeonato passará a realizar teste antidoping de forma amostral e aleatória em todas as etapas. A partir de setembro.

• Auditoria: todas as iniciativas serão periodicamente checadas por auditoria externa, para garantir um acompanhamento transparente e isento da sua execução. A partir de setembro.

Em relação aos autódromos, teremos:

• Proteções adicionais: para cada autódromo onde realiza corridas, o campeonato passa a definir os locais e quantidades exatas de proteções adicionais, bem como o tipo de proteção utilizada, baseada em análise minuciosa realizada com apoio de especialistas nacionais e internacionais. Implementação imediata.

Todas essas iniciativas estão definidas em documento específico, com todos os detalhes referentes à racional de cada mudança, seu objetivo, sua mecânica de implementação e acompanhamento e os prazos para conclusão.

O SuperBike Brasil, que completa 10 anos de enorme sucesso, consolidou-se como referência no setor, sendo hoje o maior campeonato de motovelocidade das Américas, e está entre os cinco maiores do mundo. A partir das medidas descritas nesse documento, o SBK Brasil estará dando um grande salto nos processos relacionados à segurança, atingindo padrão de qualidade compatível com os melhores campeonatos mundiais da modalidade. O cumprimento destas medidas é um marco que contribui enormemente para este esporte e para a mudança de paradigma dos organizadores, pilotos e profissionais envolvidos, que passam a ser exigidos em um novo patamar esportivo e técnico.

O SBK Brasil, em conjunto com a Associação dos Pilotos de Motovelocidade e a Comissão de Segurança da Motovelocidade, seguirá ativo e atuante, na busca constante de atualizações nas regras e nos processos-chave, tomando vantagem dos avanços no conhecimento adquirido e nas tecnologias que se disponibilizam ao longo do tempo para o motociclismo esportivo.

Veja Também