Viagem de moto para Toscana, Pirineus e sul da França – Parte 1

Curtindo cada momento, casal de motociclistas desbravou as paisagens inspiradoras da Toscana, dos Pirineus e do sul da França

Texto: Sérgio Taníbata
Fotos: Adriana Fuzzo/Sérgio Taníbata

Quando reformou sua casa de campo, o casal Sérgio Taníbata e Adriana Fuzzo se inspirou na região da Toscana (Itália). Com as reformas em andamento, ambos olharam diversas fotos e sites e optaram por conhecer melhor a região, partindo, então, para o planejamento da viagem. Em pouco tempo, eles desembarcavam na Itália. Saiba mais no relato de Sérgio, transcrito a seguir.

TOSCANA

Pense na Toscana e sua mente será “inundada” por imagens de vinhedos em panoramas esplendorosos, ou, talvez, pela arquitetura renascentista e a arte de Firenze, Siena ou Pisa; ou, ainda, apenas um bom copo de Chianti! A Toscana deu origem à língua italiana e é considerada o centro do Renascimento. Firenze – e a Toscana, em geral – foi muito influente no desenvolvimento artístico, cultural e comercial da Europa e, por extensão, do resto do mundo. Também marcou a literatura universal, por meio de Dante Aligheri, Giovanni Boccaccio e Francesco Petrarca. Se é cultura o que você busca, será difícil encontrar outra região (em qualquer lugar do mundo) que possua uma variedade arquitetônica e uma beleza artística tão rica, especialmente, nos centros históricos de Firenze e Siena. Há muitas belas cidades na Toscana que um turista não pode deixar de visitar. Uma delas é Pisa, amplamente conhecida por sua torre inclinada, nada menos que uma das maravilhas do mundo moderno. Localizada na Piazza dei Miracoli, a Torre Inclinada de Pisa, juntamente com o Duomo, o Batistério e o Camposanto, é um cartão-postal da cidade. Florença, Siena e San Gimignano são igualmente apaixonantes.

MUSEU DA DUCATI

Como autênticos motociclistas, começamos nossa viagem visitando o Museu da Ducati e realizando um Factory Tour. Localizado na sede da fábrica da Ducati, o museu (inaugurado em 1998) tem aproximadamente 1.000 metros quadrados e preserva o histórico de corridas da marca, assim como a trajetória da empresa (mesmo antes de produzir motocicletas), fundada pelos irmãos Ducati, em 1926. Em seguida, fomos à Factory Store, que fica ao lado da fábrica, e pegamos uma Multistrada 1200 ST, para nossa aventura pela Toscana. A moto seria a nossa companheira pelos próximos seis dias.

MARANELLO

O próximo destino foi Maranello, a casa da Ferrari. Tivemos oportunidade de visitar o Museu da Ferrari, entrar na sala redonda (com os carros de F1 em posições ligeiramente inclinadas) e prestigiar um dos maiores ícones da indústria automobilística mundial. Passamos, também, pelo Museu Casa Enzo Ferrari, que fica em Modena. Mas, antes de sairmos de Maranello, não resistimos e demos uma voltinha de Ferrari. Pena que o circuito seja pequeno. Mas deu para sentir o prazer de acelerar este clássico e escutar seu potente ronco de motor. De lá, partimos rumo a Firenze.

FIRENZE

O centro histórico de Firenze foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO, em 1982. É o lar de alguns dos mais belos monumentos, igrejas e museus do mundo e atrai milhões de turistas, todos os anos. A cidade histórica encontra-se dentro de muralhas medievais construídas no século XIV. Alguns de seus pontos turísticos mais importantes incluem o Duomo, o Museu Uffizi, a Galleria dell’Accademia, onde está a estátua de Davi, e a Ponte Vecchio. A Maria del Fiore, também conhecida como Duomo di Firenze, é um marco histórico e um símbolo da cidade. É, também, a terceira maior catedral do mundo, depois da Basílica de São Pedro, em Roma, e de St. Paul, em Londres. Foi construída no tempo dos romanos.

MOTOGP

Por sorte, justamente no fim de semana em que ficamos hospedados em Firenze, aconteceu o MotoGP D’Italia, em Mugello. Assim, no domingo pela manhã, seguimos rumo ao Autódromo de Mugello. Fomos recepcionados no estacionamento VIP da Ducati, com direito a kits para assistirmos à corrida e a um guarda-objetos para capacetes e jaquetas. Quanta comodidade!

BELEZA SURREAL

Era hora de conhecermos melhor a Toscana. Saímos do autódromo e seguimos para outro hotel, em Certaldo, próximo a San Gemigniano. Na ocasião, ajustamos o nosso GPS, para não pegarmos auto-estradas. Com isso, só percorremos pistas secundárias.

No caminho para Certaldo, paramos em uma cidade onde acontecia uma festa do vinho. Houve uma demonstração sobre a história da região de Chianti, o período da guerra e a rotina dos moradores daquela região. Deste ponto, estrategicamente situado na região de Chianti, visitamos Pisa, Lucca, Siena e a bela San Gimigniano. Depois de rodarmos 1.350 km pelas belas paisagens da Toscana a bordo da Ducati Multistrada 1200, seguimos com destino aos Pirineus, aonde chegamos de avião.

Confira a Parte 2 do roteiro.

*Matéria publicada na edição #159 da revista Moto Adventure.

DEIXE UMA RESPOSTA