A missão era fácil: explorar o Litoral Norte de São Paulo a bordo de uma motocicleta. Para isso, contamos com a recém-lançada Yamaha MT-07!

POR: JAN TERWAK

FOTOS: CARLA GOMES

Quando a Yamaha MT-07 chegou ao Brasil, a Revista Moto Adventure cobriu o evento de lançamento e teve a oportunidade de avaliá-la. Na mesma semana, pudemos passar alguns dias acelerando a máquina. Tive o privilégio de passar o feriado de 12 de outubro a bordo da moto. Minha programação já previa curtir aquele período em Caraguatatuba (SP) – o que fazer, então? A resposta era óbvia: viajar com a MT-07 e rodar o máximo possível para me familiarizar com cada aspecto do veículo, enquanto apreciava as belas paisagens que o Litoral Norte proporciona.

Quinta-feira à noite, de malas prontas e vestindo o equipamento, era hora que colocar a Yamaha MT-07 na estrada. O tempo não estava muito bom para viagens noturnas, porém, seguimos firmes no propósito de chegarmos à praia naquela noite. A saída de Mogi das Cruzes (SP) já foi feita sob água: uma chuvinha leve nos acompanhou por boa parte do tempo. Na ocasião, a moto já mostrou o primeiro aspecto positivo: o conjunto óptico iluminou bem o caminho à frente, independentemente das intempéries.

O motor bicilíndrico em linha, de 696cc se revelou muito elástico: tem potência de sobra, com 74,8 cv a 9.000 rpm e um torque brutal de 6,9 kgf.m a 6.500 rpm – não é à toa que seu nome é “Master of Torque”. É um motor que vibra incrivelmente pouco. O fato do torque máximo ser atingido a 6.500 rpm faz com que o motor seja fácil de acelerar, tanto na estrada quanto na cidade, onde as trocas de marcha são constantes. O câmbio é bem escalonado, preciso e macio, bem como o acionamento da embreagem.

NA ROTA

A viagem de Mogi das Cruzes (SP) até Caraguatatuba (SP) não é longa: 145 km separam as duas cidades. O caminho escolhido para encarar o trecho foi o mais conhecido: sair de Mogi, encarar a Rodovia Ayrton Senna e, em seguida, a Rodovia Governador Carvalho Pinto e acessar a Rodovia dos Tamoios e Serra de Caraguatatuba. Minha vontade era descer por Bertioga, seguir no sentido de São Sebastião e curtir o caminho com o visual das lindas praias, até chegar à Caraguatatuba. Porém, como chovia e já era noite, isto não foi possível – essa aventura ficará como pauta para uma próxima viagem.

Existe, ainda, uma terceira opção para quem quer descer para o Litoral Norte: trata-se da estrada conhecida como Alfredo Rolim de Moura – chamada de Estrada de Pitas pelos moradores locais –, que faz o trajeto em 109 km por um caminho cheio de curvas (muito bacana para acelerar). Se sua a vontade é ir pela terra, há a Estrada da Petrobras, um percurso de terra que liga Salesópolis até a praia.

DETALHES

A Yamaha MT-07 não é uma moto indicada para viagens longas: é uma Naked que roda muito bem no dia-a-dia e encara estradas com maestria – porém, não oferece muito conforto em trajetos mais demorados. Nada que uma parada para esticar as pernas não resolva – e assim fizemos!

Ao passarmos pelo último pedágio, nos deparamos com uma chuva torrencial. O aguaceiro era tão forte que nos obrigou a reduzir drasticamente a velocidade, assim como todos os outros veículos. A descida da Serra foi feita em aceleração baixíssima. Chuva e neblina são fatores que alteram a segurança, então, os cuidados foram redobrados. A chegada a Caraguatatuba foi tranquila e, apesar da chuva forte, passamos a noite por lá e aguardamos ansiosamente a chegada do dia para acelerarmos ainda mais a “motoca”.

Com cerca de 120 mil habitantes, a cidade de Caraguatatuba fica na região do Vale do Paraíba e tem um clima considerado tropical úmido. A vegetação predominante é a mata atlântica. Próximo à região existem diversas cidades que valem o passeio de moto: Ubatuba, São Sebastião (capital do Surfe Brasileiro) e Ilhabela, conhecida pela preservação ambiental e lindas praias.

Em Caraguá, fizemos um tour pelas praias mais bacanas. Passamos pela Praia da Freira (na qual há uma trilha que deve ser feita a pé para acessar a areia) e Pedra do Jacaré (onde há uma pedra conhecida por lançar os mais aventureiros para o mar). A Martin de Sá é outro ponto muito visitado na cidade, sendo mais afastada do centro – porém, é bonita e bem frequentada. A Praia do Camaroeiro tem mirantes onde é possível contemplar a bela vista do Litoral (se estiver próximo do pôr do sol, a vista fica ainda melhor). O Mirante da Orla também merece uma visita!

Em minha opinião, um dos pontos mais bacanas de Caraguatatuba é o Morro do Santo Antônio. A estátua que homenageia o padroeiro da cidade é visível de praticamente toda a orla, basta olhar para o alto e procurá-la. Isto só é possível por ela estar localizado a 340 metros de altura. De cima do Morro do Santo Antônio conseguimos ver a enseada, além de um pedaço de Ilhabela. A paisagem é espetacular. É possível passar horas lá em cima somente admirando e contemplando o panorama!

A subida é fácil, pois o caminho é asfaltado. Porém, tome cuidado no primeiro trecho da subida: a mata fechada deixa o solo sempre úmido e, com isso, escorregadio. Decidimos voltar para Mogi das Cruzes pelo mesmo caminho de ida, pois o trânsito era intenso e esse percurso é mais tranquilo.

A Yamaha MT-07 foi uma baita companheira de viagem! A ciclística bem acertada proporcionou momentos de prazer nas curvas fechadas. O motor elástico e convidativo me instigou a acelerar cada vez mais. Os freios são bem dimensionados e param a moto com eficiência e segurança. O design impressionante também chamou a atenção da maioria das pessoas ao redor. Até a próxima viagem!

ONDE COMER

Garage Bar
Telefone: (12) 3881-2413
Endereço: Praça Diógenes Ribeiro de Lima nº 699 – Caraguatatuba (SP)

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here