Confira a nota de esclarecimento oficial emitida pelos organizadores do campeonato

POR REDAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Na tarde do último sábado (30 de novembro), a organização do SBK Brasil ficou ciente do comunicado realizado pelo piloto Alex Barros em que declarou que não iria participar das corridas do domingo, válidas pela etapa final da temporada 2019. Barros ocupava a 2° posição geral na categoria principal, SuperBike, com chances de conquistar o título. Ele largaria em 2° lugar na etapa final.

O SBK Brasil reconhece e agradece toda a contribuição de Barros ao esporte e ao evento, entretanto, embora respeite sua decisão, a organização lamenta pelo impacto gerado aos patrocinadores e sobretudo aos inúmeros fãs que se programaram para assistir à decisão e prestigiá-lo nas pistas.

Com relação as declarações realizadas sobre fatos que possam questionar a conduta do campeonato, esclarecemos que o SBK Brasil é um campeonato privado, submisso às regras e condições impostas pela CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo), responsável pelos regulamentos, procedimentos, vistorias e demais práticas desportivas.

A organização esclarece, ainda, os seguintes fatos já noticiados;

• Durante a 7ª etapa, em Goiânia, Barros ingressou com um recurso para que a motocicleta de Eric Granado, da Honda Racing Brasil, tivesse seu motor vistoriado.

• Seguindo os procedimentos, a moto foi confiscada, lacrada e transportada para um órgão independente (SENAI), que performou na presença de todos os envolvidos todas as medições e pesagens. Emitindo um relatório que, por sua vez, amparou a Confederação a publicar a decisão final de total conformidade técnica do motor da moto de Eric Granado em relação aos únicos três itens que são restritos no regulamento 2019 – são eles: pistão, biela e virabrequim.

• Todos os testes e análises foram performados por engenheiros e professores da entidade, confrontados com as especificações e circulares da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), os quais fundamentaram as afirmações.

• Dentro de seus direitos, a equipe protestante não aceitou a decisão da Confederação, e optou por recorrer ao STJD – Superior Tribunal de Justiça Desportiva, onde um júri, composto por no mínimo 5 advogados, todos indicados pela OAB, avaliaram a demanda.

• Na tarde da última sexta, 29 de novembro, após protestante (Barros) e protestado (CBM) protocolarem suas defesas, foi deliberado por unanimidade a confirmação de que o relatório da Confederação estava correto, e sendo assim sua decisão de conformidade da moto de Eric Granado. O campeonato mais uma vez lamenta e reitera que segue as decisões tomadas pelos órgãos competentes.

Veja Também