Roteiro para aventureiros experientes no Vale do Ribeira, em São Paulo, exige técnica, experiência e companheirismo. Mas vale a pena!

TEXTO: CELSO RENATO A. DA SILVA
FOTOS: ALEXANDRE RIO

Um roteiro radical para aventureiros experientes. Desta vez fomos fundo na aventura, com início na cidade de São Lourenço da Serra, no Vale do Ribeira, entre São Paulo e Paraná. Trata-se de uma região serrana com Mata Atlântica abundante e, logicamente, umidade e atoleiros aos montes, o que exige muita técnica, energia e companheirismo, passando por dois parques estaduais, Jurupará e Alto Cotia. Apesar do trecho de terra ser de apenas 55 km em laço, inicie bem cedo a aventura, pois será necessário bastante tempo para superar todos os desafios

São Lourenço da Serra

Nos dias de hoje, a maioria das pessoas tem uma vida corrida. Tem um emprego, os estudos, precisa cuidar da casa, entre outras tarefas. Muitas vezes, para essas pessoas, ter um recanto, um lugar no qual elas possam diminuir o ritmo e desfrutar do que a natureza tem a oferecer é um privilégio. A cidade de São Lourenço da Serra é um desses paraísos e está a 52 km da capital paulista, com acesso pela Rodovia Régis Bittencourt. Uma típica cidade do interior onde a vida passa devagar e pode ser mais aproveitada.

Na cidade você encontra cadeiras nas calçadas em um final de tarde, crianças brincando nas ruas, seresteiros no coreto da praça, bandos de tucanos e revoadas de maritacas. A natureza está presente em toda a região, que se encontra inserida em área de proteção a mananciais. São Lourenço da Serra é a porta de entrada para o Vale do Ribeira, a partir do Planalto Paulistano, e presenteia o turista com lindas cachoeiras e cursos de água cristalina, com uma das melhores águas minerais do Brasil. A região abriga a maior porção contínua remanescente de Mata Atlântica do Estado.

O turismo de aventura é tradicional na região, com ofertas de trilhas na mata para jipeiros, motociclistas, ciclistas e caminhantes. O turismo religioso também é fixo na cidade, com procissões que contam com ampla participação popular, como a cavalgada dos romeiros a São Sebastião, no município vizinho de Ibiúna, a moto-romaria à cidade de Aparecida, as comemorações do dia do padroeiro da cidade e o dia de Corpus Christi.

O céu de uma cidade do interior é admirável, pois, sem os prédios e a poluição que normalmente estão presentes nos grandes centros, torna-se possível admirar o espetáculo do pôr do sol e as noites de céu estrelado em toda sua plenitude. Na praça da cidade, duas vezes por mês, é realizada a concentração dos artesãos para expor e comercializar seus trabalhos. Às quintas-feiras, o município tem a Feira Livre Noturna, onde artesãos, feirantes e produtores comercializam seus artigos. Mesmo que você não seja um aventureiro radical, atividades não vão faltar para aproveitar ao máximo essa região.

O roteiro

Para chegar a São Lourenço venha pela Rodovia Régis Bittencourt (BR 116), que liga São Paulo ao Paraná. Pegue a saída 307, siga pela principal até a Estrada das Carolinas, à sua esquerda. Aproximadamente a 1,5 km da entrada da cidade siga pela estrada, inicialmente de asfalto e, na sequência, de terra. Depois de aproximadamente 13 km rodados, a partir da entrada da cidade, fique atento a uma saída à direita. Esse acesso tem como referência um poste com setas e indicação de trilhas em vermelho.

A partir desse ponto a coisa fica séria: você vai entrar em trechos dentro do Parque Estadual Jurupará, morros cercados por vasta vegetação e trechos de poças e atoleiros constantes, mesmo na ausência de chuvas. Mas o esforço é recompensado por paisagens deslumbrantes, além da satisfação obtida com a superação. Mas novamente alertamos: só pilotos experientes devem fazer esse roteiro, com pneus adequados para off road e, de preferência, com guia, e somente em períodos de estiagem.

Nesse trecho a orientação é fácil. É só seguir pela trilha principal, mas nos atoleiros e poças tenha tranquilidade para definir a trajetória, pois a escolha errada pode resultar em problemas. Ao final desse trecho, saindo do parque, você chegará a um vilarejo rural em Ibiúna chamado de Bairro das Cigarras. Aproveite para fazer uma parada para descanso, hidratação e um lanche. No vilarejo tem um mercadinho (Santa Cruz), para nossa alegria!

Após recarregar as baterias retorne pelo mesmo caminho e, na bifurcação, siga à esquerda pela Rua Big Vale, e novamente você chegará a trecho de trilhas similares às que já foram percorridas. Mas agora você vai entrar no Parque Estadual Alto Cotia, e a quantidade de “enroscos” aumenta significativamente. Novamente as escolhas de trajetórias para superar os atoleiros farão toda a diferença. Ao final do trecho do parque começam a surgir propriedades rurais que demarcam o final do sufoco. Siga sempre pela principal e chegará ao asfalto, e depois ao centrinho, fechando o laço do roteiro.

Ficha técnica:

A moto utilizada neste roteiro foi a novíssima Kawasaki Versys-X 300 TR, excelente para viagens com extremo conforto e muito eficiente nesta aventura radical. Sua leveza e torque garantiram a superação de todos os obstáculos, permitindo realizar esse tipo de desafio com tranquilidade.

Essa rota aventureira e bem seletiva possui trechos bastante técnicos, adequados para pilotos experientes. Foi possível fazer todo o percurso com pneus originais, mas recomendamos o uso de pneus off road, pois os atoleiros fazem parte do passeio mesmo em períodos de estiagem. Com chuva, nem pensar em encarar este roteiro. Como a navegação é difícil, recomendamos efetuar o roteiro com guia.

Contei com a excelente companhia do fotógrafo e aventureiro Alexandre Rio.

Onde comer:

Skina Pães: Rua Ana Emília Mendes nº 120 – Centro – São Lourenço da Serra (SP).

Serviços:

Aventur: (11) 99296 4677 – Fale com Celsinho, que organiza trips on e off road Brasil afora (www.aventur.tur.br).

Apoio: 

Kawasaki – Alpinestars – Bell

CONFIRA A GALERIA DE IMAGENS:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here