De moto pelos Alpes: mais de 7 mil quilômetros na Europa

Dois casais aventureiros percorrem mais de 7 mil quilômetros na Europa, passando pelos Alpes franceses, italianos e suíços, a bordo de suas máquinas. Confira essa aventura!

Texto e fotos: Jaider Martins

Alpes

Os amigos Jaider Martins, com sua esposa, Juliana Pereira Cardoso, e José Edson da Silva, que também levou sua mulher, Claudete Oliveira, na garupa, fizeram um belo passeio de moto pela Europa. Os casais foram a bordo de duas Honda NC 750 X 2017, em uma viagem considerada de baixo custo. Saiba, nas palavras do próprio Jaider, como foi a saga.

Planejamento

“A ideia da viagem começou com a vontade da minha esposa, Juliana, de visitar a prima dela, que reside em Portugal, na cidade de Fafe, a 60 quilômetros do Porto. A partir disso, começamos a pesquisar o que poderia ser incluído na viagem, alugando uma moto e conhecendo algumas das belezas da Europa.

Fomos verificar, inicialmente, as estradas magníficas que cortam os Alpes franceses, italianos e suíços. Ficamos fascinados com tantas belezas, assistindo a vídeos e vendo fotos na internet. E fomos adicionando pontos turísticos pelo caminho. Tivemos um total de 20 dias com a moto alugada na cidade do Porto.

Passo Rombo (Timmelsjoch)

A viagem

Depois de passar dois dias com a prima da minha esposa conhecendo um pouco de Lisboa, Guimarães e Fafe, fomos a Porto buscar as motocicletas e começar a viagem. A primeira estrada que nos deixou de boca aberta foi o caminho que vai da Espanha para Andorra. A estrada é fantástica, com paredões enormes com rios e lagos ao lado. E essa estrada foi a que mais nos surpreendeu, já que não tínhamos lido nada sobre Andorra antes da partida.

Resolvemos mudar um pouco os planos, então. Passaríamos rapidamente por Barcelona, na Espanha, mas recebemos umas dicas legais para passar por Andorra, e valeu a pena!

O segundo dos pontos principais da viagem foi a Rota Moyenne Corniche, que liga Nice, na França, a Menton. Estrada exuberante, com vista privilegiada de Mônaco e lindas paisagens da Costa Azul, na França. Ficamos impressionados com as belezas da Costa Azul, principalmente em Nice, que conta com praias belíssimas, com água de um tom de azul espetacular.

Próximo a divisa Espanha, Andorra

Roma

Seguimos para a Itália e o primeiro ponto turístico que visitamos foi o Coliseu e Fórum Romano. Demais! Conhecer aquela gigantesca obra feita pelos romanos que fascina até hoje o mundo todo foi incrível. Passamos rapidamente pelo Vaticano, conhecemos a Basílica de São Pedro, o que foi muito emocionante. Ver de perto toda aquela riqueza de detalhes de várias obras de arte presentes na Basílica é uma sensação indescritível. O trânsito em Roma é agitado, muitos carros e motos passando a todo momento. Por isso, evitamos cidades grandes no nosso roteiro.

Veneza

Seguimos então para Veneza, nossa próxima parada. Ficamos hospedados no Camping Fusina, na cidade de Fusina, de onde se chega a Veneza de barco. A hospedagem nesse local ficou mais econômica e muito mais cômoda do que em Veneza, e é uma experiência interessante. Ficamos hospedados junto com os trailers, em uma casa móvel com dois quartos, um banheiro e uma cozinha completa.

Coliseu

Strada Della Forra e Lago Di Garda

A partir de Veneza foi onde o passeio começou a ficar realmente interessante, pois estradas de tirar o fôlego foram se apresentando. A Strada Della Forra e o lago Di Gardanos surpreenderam bastante devido a sua beleza. Essa estrada italiana atravessa a montanha no barranco formado por um rio. Ela é muito estreita, sinuosa, e com bastante trânsito de motocicletas, e está localizada na província de Brescia, ligando Tremosine com Pieve e Vesio. Há pontos nessa estrada em que só passa um veículo por vez, sendo controlada por semáforo.

Dolomitas

No mesmo dia que conhecemos a Strada Della Forra, seguimos para região das Dolomitas, um dos principais pontos da viagem. As Dolomitas são uma cadeia montanhosa nos Alpes Orientais, no norte da Itália. Começamos cruzando o passo Gardena, a 2.121 metros acima do nível do mar. Simplesmente fantástico! Curvas e mais curvas subindo as montanhas com um visual incrível. Algumas dessas montanhas eram muito altas, outras eram pontiagudas, com um pouco de neve no topo. Foi demais! Pernoitamos em uma cidade no meio das Dolomitas e, no dia seguinte, cruzamos o passo Falzarego e Giau, a 2.236 metros acima do mar, também fascinante. Passamos, também por alguns lagos incríveis, como o Lago Misurina e o Di Braies.

Dolomitas (Passo Gardena)

Passo Rombo/Timmelsjoch

Após passarmos pelo segundo dia nas Dolomitas ainda nos sobrou a metade de um dia para conhecermos o Passo Rombo, divisa entre Itália e Áustria. Então começamos a subir e, próximo do topo (2.509 m), o frio começou a aumentar. Corremos para nos equipar, pois, nessas horas, proteção é tudo. Ao atingirmos o topo, começou a nevar. Foi emocionante, uma paisagem linda e um sonho se realizando. Ver neve caindo, e ainda mais pilotando uma moto, foi uma experiência inesquecível. Parecíamos crianças brincando na neve, até passou o frio.

Nesse dia, voltamos pelo mesmo caminho e pernoitamos na Itália, pois ficamos com medo de gelo na estrada no lado austríaco.

Passo Stelvio

Partimos então para o Stelvio que, na minha opinião, foi o principal ponto da viagem. A partir da cidade de Prato Allo Stelvio começou a esfriar novamente, e um pouco antes de chegarmos ao topo, começou a nevar bastante. O amigo José Edson nos parou e disse que sua mão estava congelando, então apelamos para os equipamentos de novo. Chegando ao topo, Edson foi esquentar suas mãos e comprar luvas mais quentes. A temperatura marcava 4º C negativos. Alguns pedaços de gelos se apresentaram na pista e ficamos preocupados em escorregar com as motocicletas, mas, felizmente, foi tudo bem na descida. Por estar nevando, não deu para ver toda beleza do Passo Stelvio. Entretanto, o pouco que vimos foi muito lindo.

Passo Stelvio

Suíça

Passamos quatro dias conhecendo um pouco da Suíça, começamos visitando Interlaken, cidade encantadora, no meio de dois lagos lindos, o Brienzersee e o Thunersee, e aos pés da linda montanha Jungfrau. Conhecemos, também Lauterbrunnen, uma cidadezinha muito charmosa, com uma bela cachoeira no centro. Dizem que por lá existem mais de 70 cachoeiras glaciares que brotam das montanhas. Em Lauterbrunnen, fizemos o passeio Trummelbach Falls, que é uma cachoeira subterrânea, completamente dentro de pedras. A caminhada por lá foi linda!

Passos Susten, Grimsel e Furka

Não poderiam faltar os passeios de moto nos Alpes suíços. Começamos pelo Sustenpass. Fantástico! Curvas e mais curvas com paisagens cênicas dos Alpes. A altitude passa dos 2.200 metros acima do nível do mar. No último dia pela Suíça, percorremos o passo Furka e Grinsel. Não foi por acaso que o Furkapass foi a estrada escolhida para filmagem de algumas cenas do filmes de James Bond “The Goldfinger”, no ano de 1964.

Do alto de seus 2.431 metros, esse passeio foi encantador. Paisagens que já não tenho palavras para descrever. Muitas motocicletas percorrendo o Furka, o que tornou aquele momento ainda mais legal. Antes de ir embora, passamos pela Ponte do Diabo (Teufelsbrucke), uma ponte histórica, construída sob condições desafiadoras, onde muitos operários morreram. Muito alta e muito bonita, e embaixo passa um rio de uma cor sensacional”.

Furkapass

As companheiras de viagem

Para essa aventura, foram alugadas duas Honda NC 750 X 2017. As motocicletas tinham baú traseiro e dois laterais. Elas se comportaram perfeitamente durante o trajeto e tiveram um consumo entre 25 a 30 km/l. Moto excelente nas curvas, e foram muitas.

O casal Jaider e Juliana, além dessa viagem, já percorreu o Sul do Brasil, Uruguai, Buenos Aires, na Argentina, e o Deserto do Atacama de motocicleta.

VEJA TAMBÉM: Volta ao mundo em 300 dias.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA