honda-super-cub-suspensão-a-ar

Pequena clássica da marca japonesa passa por um amplo processo de customização que a transforma por completo.

A Honda Super Cub é uma moto que representa um importante capítulo na história, não somente da marca, mas também do motociclismo mundial. Foi com ela que Soichiro Honda desbravou o mercado norte-americano em meados dos Anos 50, dando início ao processo de internacionalização da sua companhia, o que abriu as portas ao mundo para as motos japonesas.

honda-super-cub
Desde os Anos 50, Super Cub já vendeu mais de 100 milhões de unidades

Desde então, a motinho continua na ativa até hoje em alguns países, já tendo vendido mais de 100 milhões (!) de unidades.

Não é de estranhar, com isso, que hajam espalhados pelo planeta legiões de fãs que não apenas a veneram, como também, estão empenhados em transformá-las em verdadeiras raridades exclusivas.

Preciosidade

Dando uma garimpada pela internet, localizamos esta verdadeira obra de arte. Desenvolvida por fanáticos tailandeses, a motinho conta com uma série de itens especiais, que a transformaram totalmente, onde boa parte dos itens foi feita manualmente e sob medida para ela. Outros itens, como rodas, guidão, painel, escapamento, foram adquiridos no mercado de reposição (after parts). Um detalhe curioso são os piscas e as lanternas, que foram alojados dentro de tubos que lembram saídas de escape.

honda-super-cub-suspensão-a-ar

O assento é revestido em couro, enquanto que o motor também parece ter recebido incrementos (como o filtro de ar esportivo denota), enquanto que sua aparência também ganhou um upgrade com a pintura de várias peças externas.

A ar

E para coroar todo este capricho, a rapaziada tratou de dotar esta Super Cub com um set de suspensões a ar iradíssimo. Devido ao seu preço e complexidade, este tipo de sistema costuma somente ser encontrado em raras motos customizadas de grande porte, mas a rapaziada da Tailândia decidiu quebrar o porquinho e investir neste sistema iradíssimo.

honda-super-cub-suspensão-a-ar

Depois de terem substituído a suspa dianteira e de terem dado um grua na traseira, eles precisavam encontrar um lugar para alojar o cilindro de ar e eles conseguiram colocá-lo lateralmente, de modo que este se integrasse ao sua visual, sem deixá-lo esquisito; muito pelo contrário, acrescenta um ar retrô, em contraste com seu viés tecnológico.

Curta o vídeo que mostra mais detalhes sobre esta incrível motinho!

Deixe uma resposta