Kawasaki crava dobradinha em duas corridas na Holanda

Equipe conseguiu grandes resultados com os pilotos Jonathan Rea e Tom Sykes

Texto: Redação
Fotos: Divulgação/Kawasaki EU

 

Mundial de SuperBike

Em uma etapa muito feliz, a Kawasaki Racing Team obteve o melhor resultado possível na rodada da Holanda do Mundial de SuperBike, prova realizada nos dias 28, 29 e 30 de abril, no TT Circuito de Assen. Pela primeira vez na temporada 2017, a escuderia japonesa colocou suas duas Ninjas ZX-10RR nas posições mais altas do pódio nas duas baterias disputadas. Jonathan Rea (#1) venceu as corridas e se consolidou na liderança da competição. O atual campeão Mundial alcançou sua sétima vitória neste ano – dentre as oito corridas realizadas – e comemorou a sua 200ª corrida no campeonato. Seu companheiro de equipe, Tom Sykes (#66), também obteve um bom desempenho em solo holandês. O piloto britânico faturou dois segundos lugares e chegou a brigar pela vitória em uma das provas.

Com os resultados da 4ª etapa do campeonato, Jonathan Rea ampliou para 64 pontos a sua vantagem na liderança e agora soma 195 pontos na tabela classificatória. Já Tom Sykes ocupa a segunda posição com 131 pontos e mantém o domínio da equipe Kawasaki nesta temporada do Mundial.

Performance confirmada

A rodada da Holanda veio para confirmar o excelente desempenho da Kawasaki Ninja ZX-10RR nas pistas esse ano. Ainda nos treinos classificatórios, a equipe japonesa abriu uma ampla margem sobre os times rivais. Rea garantiu a pole position com o tempo de 1m33s505, e Sykes levou a segunda marca no grid com a volta de 1m33s715 – sete décimos mais rápido que os adversários.

Apesar do bom desempenho da Kawasaki, a vitória não foi fácil. Jonathan Rea perdeu a posição ainda na primeira volta e seguiu na vice-liderança ao longo de quase toda a prova. Chaz Davies (#7), da Ducati, tomou a dianteira e manteve a posição por 19 voltas consecutivas. Porém, o piloto inglês acabou enfrentando problemas mecânicos com sua moto e precisou recolher aos boxes restando apenas duas voltas para a bandeirada. Com isso, o caminho ficou aberto para Rea cruzar a linha de chegada em primeiro. Tom Sykes, que manteve a terceira posição ao longo de toda a prova, também se beneficiou da quebra do adversário e assim faturou o segundo lugar no pódio.

Já na segunda corrida, os pilotos da Kawasaki assumiram a dianteira na primeira metade da prova e mantiveram as posições até o final. Rea liderou praticamente de ponta a ponta. Na terceira volta, o atual campeão pulou para a dianteira e imprimiu um ritmo intenso, cravando consecutivas marcas na casa de 1m35s. Sykes seguiu o mesmo caminho e, após algumas ultrapassagens, firmou-se na segunda posição.

Disputa entre amigos

Logo se desenhou a primeira briga entre os dois companheiros da Kawasaki por uma vitória nesta temporada. Enquanto Rea lidava com alguns desajustes em seu equipamento durante a segunda metade da corrida, Sykes mantinha um ritmo forte após encontrar o melhor setup de sua moto neste ano. E essa briga seguiu até os instantes finais. Rea vinha na frente enquanto Sykes diminuía a vantagem do companheiro de equipe e adversário. Na volta final a diferença já estava na casa dos centésimos. Quase que lado a lado, os dois pilotos completaram as últimas curvas e Rea recebeu a bandeirada em primeiro, 25 milésimos à frente de Sykes, que ficou com o segundo lugar.

“Foi um final de prova muito apertado e tenho que agradecer ao público, meus fãs e toda a equipe por serem compreensivos sobre minha condição física. Sábado (29) tivemos uma corrida aceitável, mas domingo (30) nós buscamos o setup ideal da moto até 30 minutos antes da largada. Senti que tínhamos uma configuração muito boa e que podíamos vencer. Só não tive a moto no lugar certo e na hora certa. Por esse motivo não obtivemos a vitória. Mas, considerando onde eu estava no início da semana da corrida, se alguém tivesse me dito que eu teria dois segundos lugares em Assen, provavelmente, eu duvidaria”, declara Sykes.

Já o atual campeão e líder desta temporada, Jonathan Rea, comemorou os resultados alcançados na Holanda. “Este foi um final de semana incrível. Fiquei feliz com a SuperPole, porque a volta que fiz foi talvez a melhor volta que já tenha feito. É claro que as vitórias nas duas corridas foram muito boas para o campeonato. Domingo (30) foi uma prova de duas metades para mim. Na primeira, corri duro até que eu recebi um alerta da moto. Então, na parte seguinte, gerenciei o restante da prova para trazê-la de volta para casa”, comenta Rea.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA