Piloto está na disputa pelo título do campeonato

POR REDAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Depois de conseguir sua primeira pole na Moto2 no último sábado (dia 19), o piloto italiano Luca Marini, da equipe Sky Racing Team VR46, manteve o bom ritmo da sua vitória no GP da Tailândia, no dia 6 de outubro, e conquistou mais uma vitória no GP do Japão, no último final de semana. Foi uma chegada dramática, após as 22 voltas da corrida. Marini conquistou uma pequena diferença na frente, seguido por Lorenzo Baldassarri, da Flexbox HP40, vencedor de algumas corridas no início da temporada. Enquanto isso, Thomas Luthi, da Dynavolt Intact GP, estava no comando, subindo da sétima posição logo na largada. Já o líder do campeonato, o espanhol Alex Marquez, estava preso na batalha pelo sexto lugar em sua máquina EG 0,0 Marc VDS.

Perto da metade da prova, um impetuoso Luthi ultrapassou Marini e conseguiu uma pequena vantagem, enquanto o pelotão no qual Marquez se encontrava, depois de alguns momentos difíceis, trocava de posições do quarto ao décimo colocados. Nas voltas finais, as batalhas se intensificaram e, faltando apenas três voltas para o final, a luta pela liderança recomeçou entre Luthi e Marini; e pela terceira posição, com Jorge Martin, da Red Bull KTM Ajo, buscando Baldassarri. Com uma sincronicidade quase perfeita, com apenas duas voltas restantes, Marini fez sua jogada para cima de Luthi para conquistar a vitória, enquanto Martin passou Baldassarri para completar o pódio, o seu primeiro com o motor Triumph. Luthi agora ocupa a segunda posição no campeonato e, com Alex Marquez terminando em sexto lugar, caiu a vantagem do espanhol na liderança para 36 pontos. Apenas 14 pontos separam o segundo do quinto lugar, com 75 pontos ainda em disputa.

“Motegi costuma render grandes corridas e esta não foi exceção, uma vez que as batalhas pelos três lugares do pódio foram decididas por apenas décimos de segundo. Parabéns à Luca Marini pelas duas vitórias consecutivas. Foi um fim de semana complicado para os pilotos e as equipes, com um dia de treino classificatório interrompido pelas chuvas no sábado, como pode acontecer nesta região do Japão, mas ainda assim o tempo total de corrida foi o mais rápido da história da Moto2 nas 22 voltas disputadas, de modo que, mesmo com pista seca limitada, podemos ficar muito felizes com o desempenho do nosso motor triplo de 765 cc”, afirmou Steve Sargent, diretor de Produto da Triumph.

A seguir, na categoria Moto2, teremos o GP da Austrália no próximo fim de semana, de 25 a 27 de outubro.

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também