Preparamos cinco dicas de pilotagem off road para quem tem baixa estatura. Para isso, contamos com a ajuda da americana Pat Jacques, que é uma referência no assunto. Confira os toques da “lady”

TEXTO E FOTOS: PAT JACQUES
TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: ROSA FREITAG

Como ex-piloto de motocross que se tornou instrutora, eu amo compartilhar minhas experiências de pilotagem em trilhas e em percursos técnicos com motos big trail. Sou uma mulher com 1,65 m de altura e 71 cm de pernas, então levantar o apoio lateral da minha KTM 1190R já é uma aventura. Eu passo tranquilamente por troncos, pedras, raízes e areia, mas manobrar em baixa velocidade em um posto de gasolina é algo que requer uma moto com a ergonomia adequada, além das técnicas de pilotagem que eu desenvolvi e que ensino no curso ADVWoman. Confira as dicas essenciais para o manejo correto de uma estradeira:

1 – Subir na moto: para subir em uma moto alta, vire o guidão, afastando-o antes de subir ou descer da moto. Deixe a motocicleta engatada para ela não se mover. Do lado esquerdo da máquina, vire o guidão para a direita o máximo que conseguir. A moto inclinará para baixo e em direção ao piloto, o que faz uma grande diferença para quem tem baixa estatura. Numa big trail com apoio lateral robusto você pode subir com o apoio abaixado. Para montar em motos off road menores e mais leves é melhor levantar o apoio lateral.

Após subir a bordo, para levantar o apoio lateral você deve deslocar o corpo para o lado direito do banco e firmar o pé direito no chão. Incline a moto um pouco para a direita e empurre o apoio para cima (sempre lubrifique bem o apoio lateral). Traga a moto para uma posição reta usando a força dos braços, empurrando com o pé direito e fazendo contrapeso na pedaleira esquerda. Outra técnica é o método de subir na motocicleta em movimento. Levante o apoio lateral, dê partida, aperte a embreagem, engate a moto, solte a embreagem e caminhe ao lado dela um ou dois passos antes de colocar o pé esquerdo na pedaleira e então levantar e passar a perna direita por cima do banco. Use o processo inverso para descer. Esse método exige coordenação, equilíbrio e bom controle do acelerador e embreagem.

2 – Um pé no chão, equilíbrio com a moto parada: eu ensino todos os pilotos de big trail e motos de trilha a colocar apenas um pé no chão. Movimentar-se rápida e suavemente de um lado para o outro, com um pé no chão, é uma habilidade essencial. Todas as manobras em baixa velocidade precisam ser suaves, controladas e equilibradas. Para aprender a ter equilíbrio, comece com a moto desligada em um ambiente seguro e com alguém para ajudar atrás da moto. Use primeiro o pé esquerdo no chão, adjacente à pedaleira. O quadril direito está todo deslocado para a esquerda do banco. O pé direito está na pedaleira direita. Agora empurre as pernas para pôr o pé direito no chão e o esquerdo na pedaleira. O quadril esquerdo deve apoiar no lado direito do banco. Pratique esse “pulinho” de um lado para o outro para se acostumar com o movimento dinâmico na moto e treinar a memória muscular de transferir de um lado para o outro.

Tente não usar os braços. É tudo focado nas pernas. Essa manobra parece fácil, porém, para os baixinhos, flexionar a perna e o tornozelo para dar o impulso para cima é difícil. Quando você conseguir fazer essa transferência de um lado para o outro de maneira suave, mantendo o equilíbrio, pratique o equilíbrio sentado. Coloque os pés na pedaleira e centralize o corpo no banco enquanto equilibra a moto. Quando perder o equilíbrio, desloque-se rapidamente para pôr um pé no chão. Pratique em ambos os lados, indo do pé no chão para o equilíbrio sentado, até o outro pé no chão. Por fim, pratique ir de um pé no chão para uma posição em pé equilibrada antes de deslocar o corpo e colocar o pé do outro lado. Quando você se cansar, ou ao conseguir dominar esses passos, troque de posição com o seu ajudante.

3 – Equilíbrio em baixa velocidade. Sacudir, rastejar, caminhar: o equilíbrio andando devagar é fundamental, principalmente para os pilotos de baixa estatura. Devagar significa controle da embreagem. Sacudir. Rastejar. Caminhar depende do domínio do controle da embreagem. Pratique com alguém em um piso plano. Sente-se na moto ligada com um pé no chão e aperte a embreagem (experimente usar dois dedos na embreagem). Engate a primeira marcha e não use o acelerador (a maioria das big trails tem torque suficiente para se deslocar de 8 km/h a 15 km/h sem mexer no acelerador). Isso é 100% controle da embreagem. Solte a embreagem até o ponto de ação. Assim que sentir a ação, puxe o manete de volta.

Isso resulta no movimento da motocicleta sem se deslocar para frente. Repita essa ação de soltar e puxar a embreagem e sinta a moto sacudir sob o seu corpo. Tudo precisa ser suave e controlado. Agora faça a moto “rastejar”, soltando a embreagem de modo que a moto se movimente uns 20 cm para a frente antes de puxar o manete de embreagem. Repita essa sequência de “rastejamento” e parada até conseguir movimentar e parar a moto exatamente onde desejar. Não use o acelerador. Não use os freios. Isso tudo é somente no controle da embreagem.

Por fim, faça a moto “caminhar” soltando a embreagem o suficiente para permitir que ela se mova por cerca de 2 metros e puxe o manete de novo até a moto parar. Repita o processo de fazer a motocicleta “caminhar” usando somente a embreagem. Durante todo o exercício de “Sacudir, rastejar, caminhar”, as mãos do piloto estão sempre prontas para acionar a embreagem, de maneira suave e controlada, mas sem liberar totalmente. O movimento da máquina é totalmente controlado somente com a embreagem. O domínio desta habilidade é essencial para pilotar em baixa velocidade. “Suave” é o segredo. Qualquer sacudida ou desequilíbrio tornará as manobras em baixa velocidade praticamente impossíveis.

4 – Agachamento da moto: quando você entender como deve soltar e puxar o manete da embreagem para controlar a moto, estará pronto para praticar a pilotagem em baixa velocidade nas posições sentada e em pé. Durante as manobras em baixa, eu ensino aos pilotos a frenagem com o freio traseiro em vez do dianteiro, por vários motivos. Primeiro: alicatar o freio dianteiro faz a moto afundar à frente, desequilibrando-a, enquanto que acionar o freio traseiro faz a motocicleta se assentar. Eu também percebo que os novatos se confundem com a combinação de aceleração e freio dianteiro. Como estamos focando no equilíbrio, eu simplifico o exercício para otimizar essa atitude. Eu gosto de desafiar os pilotos experientes a fazerem um exercício de “agachar a moto” no estilo Trial, que é especialmente útil para os pilotos de baixa estatura. É uma ótima maneira de manter a moto equilibrada, quase estacionária, e movimentar bem devagar em linha reta e em curvas.

Pilote lentamente em primeira marcha, a partir de uma posição em pé na moto. Com o acelerador levemente acionado e constante, puxe a embreagem enquanto aciona suavemente o freio traseiro. Solte e puxe a embreagem conforme necessário. A tensão entre a energia do motor impulsionando para frente e o freio traseiro fará com que a moto se “agache” e se firme no solo. O centro de gravidade mais baixo e a maior aderência ajudam a equilibrar a motocicleta. Lembre-se de que a aceleração é constante e a embreagem e o freio traseiro são acionados com suavidade. Quando os pilotos aperfeiçoam isso, podem acrescentar a compressão da suspensão e soltar a embreagem ao sair da posição quase estacionária para tirar peso ou levantar a roda dianteira. Essa técnica é muito útil em trechos técnicos complicados, onde os pilotos com pernas compridas podem simplesmente apoiar aqui e ali para passar.

  1. “A curva Jacques”: eu já derrubei bastante a moto ao fazer curvas com a moto em baixa velocidade. Como a maioria das pessoas, eu estava acostumada a “virar em torno do pé interno”. O dilema é que quando eu, de pernas curtas, coloco o pé interno no chão, todo o meu peso se desloca para dentro, e fica impossível fazer o contrapeso. Além disso, quando ponho esse pé interno no chão, meu corpo fica virado para frente, e não para dentro da direção que quero ir. Para conseguir que os pés, joelhos, quadris, ombros e cabeça se orientem na direção da curva, eu desenvolvi um método muito eficaz para curvas em baixa velocidade que praticamente elimina esses tombos quando viramos a moto devagar.

Minha equipe de instrutores apelidou isso de “A Curva Jacques”. “Nós ensinamos o piloto a treinar novamente a memória muscular explicando os quatro passos desse processo. Com a prática, esse novo método se tornará natural. Passo 1: pé interno na pedaleira. Passo 2: desloque o quadril interno para fora do banco. Passo 3: tire o pé externo da pedaleira externa e aponte o dedão do pé para a direção da curva. Passo 4: vire o guidão no sentido da curva. Seus pés, joelhos, quadris, ombros e cabeça agora estão voltados para dentro da curva, enquanto a motocicleta está reta e o guidão está todo voltado para a curva. A próxima fase requer o bom controle da embreagem, conforme ensinado em “Sacudir, rastejar, caminhar”. Você pode simplesmente “fazer a moto caminhar” em uma curva de fim do batente do guidão. Isso simula fazer um retorno ou manobrar em um estacionamento. Aumentar um pouco a velocidade da curva permite equilibrar a moto conforme você põe o pé externo na pedaleira externa. Como o peso do corpo está na parte externa, agora você está posicionado naturalmente para fazer o contrapeso na motocicleta. Isso permite a transição suave para a posição em pé fazendo peso na pedaleira externa.

Pilotos de todos os portes físicos podem enfrentar qualquer desafio na trilha. Escolha a melhor moto para a sua estatura, modifique-a para se adequar ao seu corpo e pratique as técnicas citadas para se divertir na pilotagem.

Assista aos vídeos de “Sacudir. Rastejar. Caminhar” e “O Giro Jaques” em:

ADVWoman.com/video-library

Perfil

Pat Jacques é uma mulher pioneira, que competiu profissionalmente no motocross masculino. Aposentada das corridas, ela ainda gosta de pilotar em trilhas e fazer passeios off road de big trail. Sua paixão é “empoderar” as mulheres e estimular todos os membros da família a pilotarem juntos. Como fundadora do ADVWoman, Jacques organiza um evento anual de treinamento off road em Granby, CO (EUA). O ADVWoman Rendezvous, que acontece de 19 a 22 de julho, é ministrado por mulheres, para mulheres e suas famílias. Jaques e as instrutoras também guiam passeios BDR (Backcountry Discovery Routes) e em 2019 iniciarão o Zero to Hero, um programa de treinamento completo para pilotos novatos.

ADVWoman.com

MAIS IMAGENS NA GALERIA ABAIXO:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here