Pilote pela tríplice fronteira – MG, RJ e SP

Na divisa dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, surge a tríplice fronteira, um local perfeito para o moto-turismo

Texto: Thales Monteiro
Fotos: Thales Monteiro e Susana Monteiro

Tríplice fronteira

O eixo Rio-São Paulo tem uma infinidade de lugares e destinos perfeitos para um fim de semana tranquilo. Estradas para todos os tipos de moto, clima de montanha e paisagens de tirar o fôlego. Exatamente na fronteira entre estes dois estados e de Minas Gerais fica o Parque Nacional mais antigo do Brasil. Esta unidade de conservação – criada em 1937 por Getúlio Vargas – é dividida em partes Alta e Baixa e recebe o nome de Itatiaia. O nome vem do Tupi-Guarani e quer dizer “pedra pontuda”. Pilote pela tríplice fronteira.

A Parte Baixa do parque apresenta trilhas, mirantes e cachoeiras envoltas pela imponente Mata Atlântica. Já na Parte Alta, os atrativos estão nos chamados campos de altitude. Ali se encontra o famoso Pico das Agulhas Negras – com 2.888m de altitude. Para escalar, basta contratar um guia local e ter muita disposição.

Em meio a essas maravilhas naturais, há hotéis e pousadas confortáveis e românticas, prontas para receber os motociclistas.

FÁCIL DE CHEGAR

Para passarmos um fim de semana curtindo a Suzuki Boulevard M 1500R, escolhemos um roteiro no qual o asfalto é quem manda. Nos 550 km que fizemos (de ida para Itatiaia e de volta para São Paulo) pegamos apenas 2 km de estrada de chão boa (o que não tirou o conforto da “Suzucona”).

Foram 255 km de asfalto pela Rodovia Presidente Dutra até Itatiaia; depois, mais 5 km até a entrada do parque. Da portaria, pilotamos mais 5 km até acabar o asfalto e, de lá, mais 900m de terra boa até o hotel. A volta: pela Dutra até Taubaté e Carvalho Pinto até São Paulo.

O QUE VER?

Na Parte Baixa do parque, os atrativos são: as cachoeiras do Complexo do Maromba, cachoeira do Poranga, Lago Azul e a trilha dos Três Picos. Do Hotel Donati é possível fazer uma trilha até o inativo Hotel Simon e, deste ponto, outra trilha leva até o Complexo do Maromba. Saindo cedo, é possível ir até as cachoeiras do Maromba e voltar a tempo de almoçar. Na Parte Alta, o ideal é contratar um guia. Os atrativos locais são: Pico das Agulhas Negras, Pedra do Altar e Prateleiras.

ONDE FICAR

Com cabanas charmosas, lareira, ótimos vinhos e atendimento de primeira, o Hotel Donati é ótima opção para o viajante, oferecendo bastante conforto dentro do Parque Nacional do Itatiaia. Fica no Km 9,5 da estrada do parque e mais informações podem ser obtidas pelo site.

DICAS

Para visitar a Parte Baixa do parque, o ideal é reservar duas noites. Na Parte Alta, reserve um dia para cada passeio, leve bastante água e não esqueça do protetor solar. Passando a portaria, ande com cautela, por conta dos animais que constantemente cruzam a pista. No trecho de terra, diminua algumas libras no pneu. Contudo, não se esqueça de calibrar novamente ao pegar o asfalto. Boa viagem!

GRANDE, BONITA E ÁGIL

Ao subir na grandalhona Suzuki Boulevard de 1500cc e 328 kg, achei que teria dificuldades nas curvas e manobras. Eu estava errado. Pouco a pouco, fui ganhando confiança e as curvas e mudanças de direção se tornavam suaves e empolgantes. Adorei o guidão reto e a quantidade de cromados da moto. Na estrada, a suspensão cumpria seu papel de copiar o asfalto e, com um banco confortável, o único cuidado era ficar dentro dos limites de velocidade. Em curvas mais fechadas, como em toda Custom, a velocidade tinha que ser baixa. O consumo de combustível ficou na casa dos 19 km/l e a autonomia foi de 300 km, antes de piscar a luz da reserva – isto, com mala e garupa. Eis aí uma Custom bacana de pilotar!

VEJA TAMBÉM: Pilotando até Aiuruoca, sul de Minas Gerais.

DEIXE UMA RESPOSTA