Triumph Bonneville T120: Retrô e moderninha

Triumph Bonneville T120 carrega estilo britânico original, mas chega totalmente renovada, com motor que privilegia o torque em baixa rotação

Texto: Pablo Berardi
Fotos: Ricardo Kruppa

Test Drive

Quem não sabe o lastro que o nome Bonneville carrega já se encanta com essa “inglesinha” de 1200 cilindradas! Agora, se você conhecer toda a história por trás desse nome, a paixão fica ainda maior. Curioso é pensar que, desde o renascimento da fábrica de Hincley, no início dos anos 1990, a Triumph não lançava uma retrô 100% renovada com o estilo britânico original.

Triumph Bonneville T120

Naquela época, a Triumph queria se distanciar dos remanescentes da indústria britânica de motocicletas e seus produtos, muitas vezes não confiáveis. Vinte e cinco anos depois, a Triumph está prosperando com uma reputação de engenharia de alta qualidade, e sua família Bonneville de motores bicilíndricos de estilo tradicional, que remete aos modelos de 2001, recebeu uma grande atualização.

A Bonneville T120 fica no meio da família que foi apresentada no Brasil em 2016. Está situada acima da Street Triple 900 e abaixo da autêntica cafe racer, a Thruxton 1200R. Na verdade, em proposta, a Street Twin é bem similar, mas custa menos e tem menos equipamentos. Uma escolha mais racional. Já a Thruxton é o oposto. Esportiva, com equipamentos nobres e uma pimentinha a mais no motor e no bolso.
Voltando à tradição, o nome T120 surgiu após a sua “avó”, em 1959, atingir a velocidade de 120 milhas por hora. Quase 60 anos depois, o nome e o estilo permanecem!

VEJA TAMBÉM: Triumph lança Street Cup no mercado brasileiro.

Ronco característico

O motor de 1.200 cc, apesar de bem moderno, ainda traz o ronco e a característica desse segmento, com bastante torque e suavidade. Bicilíndrico, nessa nova geração lançada em 2016, possui injeção eletrônica, duplo comando de válvulas, acelerador eletrônico e um acabamento arrebatador. Com 80 cv e 10,7 kgf.m de torque, ele ainda conta com dois modos de pilotagem, “road” (estrada) e “rain” (chuva). Ao contrário da busca por mais potência, os engenheiros da Triumph concentraram-se em fornecer torque em baixa rotação e aprimorar o design com aletas de cilindro usinadas, unidades de injeção de combustível disfarçadas como carburadores e tubos de escape que se curvam mais elegantemente do que os modelos antigos.

Cabe destacar que, em alguns mercados, a T100 foi relançada com a motorização da Street Twin, mas com o mesmo visual de antes. Essa versão não virá ao Brasil.

Triumph Bonneville T120

Fonte de prazer

A ciclística da Bonneville é bastante acertada. Em estradas vicinais, que é o seu verdadeiro habitat, ela vai bem, com boa estabilidade. Além disso, conta com controle de tração e freios com ABS, itens que nas T120 de 1959 não existiam nem em sonho.

Fazer um passeio com ela é puro prazer. Macia, sempre à mão e confortável. Econômica, ela pode ser usada todos os dias e mostrou-se uma excelente opção para a cidade. Suas seis marchas tornam o convívio em rodovias melhor que na Twin que só conta com cinco velocidades. Ela vai bem desde as mais baixas rotações até o corte da injeção. Como itens de requinte, a T120 possui uma bela luz diurna de LED, punhos aquecidos e até tomada USB para carregar equipamentos. Talvez lhe falte um “extra” de esportividade do original motor de 650 cilindradas da T120 do passado, mas garantimos que não falta desempenho para a proposta da moto. Se quiser mais, dê uma olhada na Thruxton 1200R.

Vale destacar que existe outra opção mais “fora da lei”. Trata-se da Bonneville T120 Black. Ela não é nada diferente em questões mecânicas, mas as cores grafite-fosco e preto-fosco… Bom desfile!

FICHA TÉCNICA:

– ABS

– Acelerador eletrônico

– Switchable traction control

– Modos de pilotagem

– DRL headlights

– Manoplas aquecidas

– Cavalete Central

– Imobilizador

– Preço sugerido: R$ 42.500,00

VEJA TAMBÉM: Viagem pelo Leste Europeu com a Triumph Tiger 1050 – Parte 1.

DEIXE UMA RESPOSTA