Turismo: aproveite a temporada 2017/2018 das estações de esqui de Park City

Ação traz hotéis repaginados, novos restaurantes e a chegada de uma frota de ônibus que circula pela cidade sem emitir poluentes

Texto: Redação
Fotos: Divulgação

Park City

Não é exagero usar superlativos como “maior” e “melhor” para se referir à região de Park City, cidade norte-americana no Estado de Utah cujo entorno reúne duas estações de esqui, Park City Mountain Resort e Deer Valley Resort que, com a proximidade da chegada do inverno ao Hemisfério Norte, já se agitam para a temporada 2017/2018.

O complexo Park City Mountain Resort, que abre as portas em 17 de novembro e segue em atividade até 8 de abril, é dono da maior área esquiável da terra do Tio Sam, em que 2.954 hectares de terreno montanhoso estão forrados de pistas de esqui e snowboard de todos os níveis. Já a estação de Deer Valley Resort, voltada apenas a esquiadores (ou seja, é vetada a praticantes de snowboard) e cuja temporada vai de 2 de dezembro a 8 de abril, frequentemente ocupa o topo de diversos rankings turísticos nos Estados Unidos, como os que medem a excelência do serviço prestado aos visitantes e a qualidade dos restaurantes.

Não bastassem esses chamarizes que tanto impressionam quando se está procurando um destino de neve em solo ianque, Park City oferece mais. À parte ser o destino de montanha de mais fácil acesso na América do Norte, localizado a apenas 35 minutos do aeroporto de Salt Lake City, capital do Estado de Utah, a cidade se esmera cada vez mais para ser visitada sem que o turista precise alugar um carro. Há shuttles frequentes partindo do aeroporto de Salt Lake para lá, e é possível explorar a adorável cidade com sua frota de ônibus e trolleys gratuitos, bem como com o transporte providenciado pelos hotéis, sistemas como Uber e Lyft e, claro, os táxis convencionais.

Mais opões de transporte

Outra boa notícia é que, em junho de 2017, seis ônibus que rodam sem emitir poluentes foram integrados ao transporte público local, operando uma rota non-stop entre Kimball Junction e Old Town, onde fica a graciosa Main Street, a rua mais famosa de Park City, repleta de bares, restaurantes e lojas e para onde todo mundo vai depois de um dia de diversão na neve. Com isso, a cidade tornou-se o primeiro destino de montanha da América do Norte a contar com uma frota de ônibus amigos do meio ambiente.

As novidades não param por aí. Famosa pelos meios de hospedagem no estilo ski-in/ski-out, que dão acesso direto às pistas – não é necessário caminhar nem usar meios de elevação ou transporte para chegar até elas – Park City entra em mais uma temporada apresentando empreendimentos desse gênero repaginados ou novos em folha, com destaque para o segmento de luxo. O residencial One Empire, o qual propicia acesso imediato às encostas de Empire Pass, no complexo Deer Valley Resort, estreia neste inverno exibindo apartamentos espaçosos e decorados de maneira clean e contemporânea, com destaque para as amplas janelas que permitem a entrada de luz natural e, claro, descortinam altos visuais das montanhas.

Entre as pérolas da hotelaria local, o Grand Summit, em Canyons Village, passou por uma revitalização que consumiu US$ 15 milhões, enquanto o Waldorf Astoria Park City construiu um novo salão e transferiu sua academia para uma área anexa à grande piscina externa. O icônico lodge de estilo europeu Goldener Hirsh ganhou uma ala residencial, mesmo caso do emblemático Stein Eriksen, cujas Residences of Stein Eriksen Lodge também oferecerão a experiência de ski-in/ski-out aos ocupantes. Além dessas caras propriedades, é possível encontrar nos dois complexos invernais de Park City toda sorte de meios de hospedagem, de simpáticos bed & breakfast e apartamentos de temporada a hotéis para todos os estilos e bolsos, que totalizam cerca de 10 mil acomodações. Para pesquisar as opções disponíveis, consulte o link.

Gastronomia de primeira

A oferta gastronômica de Park City também é democrática, reunindo cerca de 150 restaurantes e bares que refletem variados estilos e influências culinárias, onde dá para provar dos típicos burgers e steaks à autêntica comida da montanha, passando pelas gastronomias mexicana, italiana, japonesa, francesa, indiana… Muitos estabelecimentos bacanas ficam na Main Street. É o caso do Chimayo, cujo cardápio buscou inspiração no México e oferece drinques caprichados, e do Riverhorse on Main, que tem distinção máxima em diversos guias de gastronomia. Já para saborear fondues e outras delícias que combinam muito bem com o frio, o premiado Goldener Hirsch Restaurant é uma das melhores pedidas. Entre as novidades, destaque para o APEX Steak, que está abrindo as portas no hotel Montage Deer Valley. Especializado em carne, o restô fica no alto da montanha Empire Pass e, além do ambiente lindo, revela vistas arrebatadoras de Deer Valley Resort.

Para algo mais descontraído e realmente com estilo de après-ski – tradicional maneira de celebrar o dia de atividades na neve -, boas dicas são a High West Distillery & Saloon, famosa pela produção de uísques e vodca; a Wasatch Brew Pub, que fabrica cerveja artesanal; e o lendário bar No Name Saloon and Grill. Informações completas sobre esses e todos os bares e restaurantes locais estão no link.

Com algo em torno de 8 mil moradores fixos, não é por ser pequena que Park City é um “mero” refúgio para esquiar, relaxar e comer bem. Ao longo do ano, a cidade sedia uma série de eventos de todo tipo, sendo o mais conhecido o Festival de Cinema de Sundance, que, organizado pelo ator Robert Redford, ocorre anualmente em janeiro e exibe cerca de 200 filmes independentes. Outro ponto alto são as inúmeras galerias de arte – fotografia, escultura, pintura, antiguidades… –, as quais podem ser melhor conhecidas na última sexta-feira de cada mês, quando membros da Park City Gallery Association realizam um evento especial para destacar artistas e exposições que estão rolando por lá.

Passear, passear, passear…

E é claro que, nos Estados Unidos, passear rima, e muito bem, com comprar. À parte as muitas lojas voltadas à venda de roupas e acessórios de inverno e de equipamentos para a prática de esportes de neve, em Park City se encontra de tudo um pouco, de livros e móveis artesanais a objetos de arte e antiguidades – mais uma vez, é a Main Street o point das lojas mais interessantes do município, que também garante boas pechinchas no Tanger Outlet Center. Esse centro de compras low cost reúne mais de 65 marcas, muitas das quais são queridinhas dos brasileiros, como Nike, Michael Kors, Abercrombie & Fitch, Calvin Klein e Polo Ralph Lauren.

Para deixar completa sua passagem pela região, o turista precisa conhecer um último símbolo de Park City: o Utah Olympic Park, que recebeu diversas competições durantes as Olimpíadas de Inverno de 2002, sediada em Salt Lake City. As instalações do complexo podem ser visitadas em tours guiados e também há dois museus no pedaço, mas a atividade mais bacana por ali é a descida no “carrinho” de bobsled, um dos esportes mais populares e representativos dos Jogos Olímpicos de Inverno.

Para mais informações, acesse o site.

VEJA TAMBÉM: Viagem de moto pelo EUA: No ritmo do Blues.

DEIXE UMA RESPOSTA