Com vasta experiência no universo duas rodas, o piloto vem conquistando resultados positivos nas provas que disputa

POR REDAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Mamute, esse é o apelido do piloto de motovelocidade Edson Luiz. O catarinense, que atualmente mora em Florianópolis, tem mais de 25 anos de experiência no motociclismo, entre trilhas, estradas, track days e competições. Ele está competindo em nível nacional desde 2012 e acumula inúmeros troféus em sua coleção, porém, nenhum tem tanta relevância quanto o que foi conquistado em Daytona, nos Estados Unidos, no dia 17 de março de 2019.

Em 2017, Mamute decidiu que queria andar em pistas diferentes e participar de competições internacionais. Foi então que ele conheceu a Reded Racing, equipe de brasileiros que fica sediada em New Jersey, próximo à Nova York, e as coisas foram acontecendo. No mês de março de 2018 teve sua primeira participação no CCS/ASRA, no Daytona Internacional Speedway, o mesmo autódromo onde os carros da Fórmula Indy e Nascar andam em um paredão de mais de 15 metros de altura, com inclinação de até 37 graus. Porém, naquela oportunidade, o piloto apenas acumulou experiência, mas manteve-se sempre entre os 10 mais rápidos de sua categoria.

FOCO TOTAL

Agora em 2019, mais preparado para encarar a pista mais insana que já acelerou, o piloto trouxe o caneco de primeiro lugar na categoria SUPERSTOCK1000 e mais um prêmio em dólares numa corrida que foi de “tirar o fôlego”. Como se não bastasse o desafio que já é correr de moto em Daytona, minutos antes da largada caiu uma chuva para tornar tudo ainda mais complicado. A equipe formada com o brasileiro Thyarley, “Magrão”, e o português Ricardo “ Portuga” contou com o reforço de um dos mais renomados preparadores de motos para motovelocidade no Brasil: José Carlos de Moraes, o Pitico, chefe de equipe da PRT – Pitico Race Team.

REFORÇO DE PESO

Com os ajustes de suspensão feitos para pista molhada pelo Pitico, ficou fácil para Mamute pular já na primeira volta para a ponta e se manter lá até a bandeirada final. “Trazer este troféu para o Brasil é motivo de muito orgulho e com certeza abrirá as portas para mais pilotos daqui irem fazer bonito em competições lá na terra do ‘Tio Sam’. O nível de lá é altíssimo e aprendi muito nas corridas que já participei. Este ano ainda pretendo retornar e disputar outras etapas em terras americanas”, diz Mamute.

Edson ainda disputa o Superbike Brasil na Categoria Superbike Evo, andando de BMW S1000RR, e tem o apoio das marcas 2MT Motorsports, Shiro Capacetes, Jeskap, Shed Bar e BMW Grand Brasil.

Na etapa de abertura, o piloto ficou com a terceira posição, atrás apenas de Bruno Corano, atual campeão da categoria, e Marcelo Skaf.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here