Ducati à venda: Grandes marcas se apresentam para comprar a fabricante italiana

Harley

Norte-americana Harley-Davidson entrou no negócio e fez proposta para adquirir a empresa

Texto: Cláudia Terra
Fotos: Divulgação

Harley-Davidson

A fabricante norte-americana de motocicletas Harley-Davidson (HOG.N) está na disputa pela compra da italiana Ducati e fez uma oferta pública, potencialmente reunindo dois dos nomes mais famosos da motociclismo em um negócio que poderá valer até 1,5 bilhão de euros (US$ 1,67 bilhão). Um acordo com a Harley-Davidson reuniria fabricantes de moto turismo, como a Electra Glide, que simboliza como uma das principais empresas europeias do ramo, cujas motos de alto desempenho possuem uma herança de corrida distinta ao longo da história.

Uma fonte familiar com o assunto afirmou que a HD, com sede em Milwaukee, contratou a Goldman Sachs para trabalhar no acordo, acrescentando propostas esperadas para julho.

A Volkswagen, cuja divisão da Audi controla a Ducati, está trabalhando com a Evercore, uma produtora de investimentos que irá ajudá-la a financiar uma revisão estratégica. Com base na cidade de Bolonha, no norte da Itália, a Ducati estava na lista de fundos de capital privado KKR (KKR.N), Bain Capital e Permira, que estão trabalhando no acordo.

Harley-Davidson - Ducati
Harley-Davidson – Ducati

Um pouco de história

A Ducati foi lançada em 1926. Sua fábrica de Bolonha permaneceu aberta na Segunda Guerra Mundial, apesar de ter sido alvo de vários bombardeios. Os pilotos da marca italiana ganharam o campeonato mundial de Superbike 14 vezes, com Carl Fogarty e Troy Bayliss, seus pilotos mais bem-sucedidos.

A Harley-Davidson, que comanda cerca de metade do mercado americano de motocicletas de alto desempenho, foi fundada em Milwaukee, Wisconsin, no início do século passado, em 1903, e foi um dos dois principais fabricantes de motocicletas americanos a sobreviver durante a grande depressão americana. A HD nunca teve a produção paralisada, mas sofreu uma mudança de comando uma vez, por menos de uma década (período de 1.970)   quando passou mais da metade  do controle  para a AMF, empresa que fabricava diversos produtos, porém, dera pouca atenção à qualidade na construção de motos, levando a marca quase  ao fracasso. A retomada pela família dos fundadores deu um novo vigor à marca e a fez chegar aonde ela está agora. Em 2017, a Harley celebra 115 anos de existência ativa e continua sendo objeto de desejo para muitos em centenas de países. A icônica marca ainda domina o sonho de muitos pelo planeta.

VEJA TAMBÉM: Panigale 959: O “xodó” da Ducati.

Mercado de olho

Mas, a HD não está sozinha e a demanda por motocicletas da marca tem se dividido entre os rivais do grupo baby boom, como a fabricante Indian, as japonesas Honda e Suzuki, que oferecem melhores descontos aos clientes nos modelos de alto desempenho.

Os poderosos sindicatos da Volkswagen, que controlam a metade dos assentos no conselho de supervisão de 20 fabricantes de automóveis, ratificaram sua oposição à venda do fabricante italiano de motocicletas. “A Ducati é uma jóia, cuja venda não é apoiada pelos representantes trabalhistas no conselho de supervisão da Volkswagen”, disse a assessoria do conselho de empresas do grupo VW.

A Evercore enviou pacotes de informações para vários pretendentes potenciais, incluindo o proprietário anterior da Ducati Investindustrial. A Investindustrial comprou uma participação na Ducati antes da crise financeira, assumindo o controle da empresa antes de vendê-la à Audi, em 2012.

Agora, o grupo procura competir com as empresas de capital privado de peso e os grandes players da indústria para recuperar o controle. Volkswagen, Audi, Harley-Davidson, KKR e Bain Capital se recusaram a comentar. Bajaj, Investindustrial e Permira não estavam imediatamente disponíveis.

VEJA TAMBÉM: Harley-Davidson V-Rod Muscle customizada.

Harley-Davidson - Ducati
Harley-Davidson – Ducati

Portfólio Volkswagen

A Volkswagen disse, em junho, que analisaria seu portfólio de ativos e marcas, reavivando a especulação entre os analistas de que as empresas “não essenciais” poderiam ser colocadas à venda. A marca espera ainda aumentar entre 1,4 bilhões e 1,5 bilhão de euros da venda da Ducati, avaliado em 14 a 15 vezes o lucro ante aos juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) de cerca de 100 milhões de euros, disseram as fontes.

O fabricante de automóveis alemão quer uma avaliação que reflita os múltiplos de troca de ativos similares na indústria automotiva, como o fabricante de automóveis italiano Ferrari (RACE.MI) que comercializa quase 30 vezes seus ganhos.

No entanto, talvez seja necessário comprometer o preço, uma vez que alguns dos concorrentes teriam dificuldade em pagar até 1,5 bilhão de euros para a Ducati. As expectativas de preços já se mostraram desafiadoras para alguns jogadores da indústria, que recentemente decidiram contra a licitação.

A Indian, Hero MotoCorp (HROM.NS) e sua rival TVS Motor Company (TVSM.NS) inicialmente manifestaram interesse na Ducati, mas foram adiadas pelo preço e decidiram se afastar. O mesmo fizeram a BMW (BMWG.DE) e os fabricantes de motocicletas japonesas Honda (7267.T) e Suzuki (7269.T), que  também decidiram contra a licitação para a Ducati, disseram fontes próximas à agencia Reuters.  A assessoria da BMW confirmou que a empresa alemã não estava interessada na Ducati, enquanto a Indian e TVS não estavam disponíveis para comentar.

Outra fonte próxima à Volkswagen disse que a venda da Ducati pode não ser finalizada antes do salão anual da motocicleta, EICMA, em Milão, que acontece em meados de novembro, já que a Volkswagen quer encontrar o comprador certo e o processo de vendas pode demorar.

Indian na parada

A Indian é outro clássico americano. Centenária, a marca está de volta após muitas paradas e trocas de comando na fabricação, atualmente sob a tutela da Polaris, que resgatou a marca do esquecimento utilizando muita tecnologia e estilo. Originalmente, a Indian foi produzida de 1901 a 1953, em Springfield, Massachusetts, nos Estados Unidos. Hendee Manufacturing Company produziu inicialmente as motocicletas, mas o nome foi alterado para a Indian Motocycle Manufacturing Company em 1.928.

Em 2011, a Polaris Industries comprou a Indian Motorcycles e mudou as operações da Carolina do Norte, e as fundiu em suas instalações existentes em Minnesota e Iowa . Em agosto de 2.013, a Polaris colocou de volta no mercado várias motocicletas Indians modernas, que refletem o estilo tradicional da marca.

A história da venda da Ducati esta só começando.

Confira o Link da matéria original.

*Tradução e adaptação: Claudia Terra  #cmdterra

VEJA TAMBÉM: Amigos da estrada: Tennessee Highway Harley-Davidson.

VEJA TAMBÉM: Viagem de moto pelo EUA: No ritmo do Blues.

VEJA TAMBÉM: On The Road – Pilotando pelos EUA: Cenas de um casamento.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA