Com mudanças importantes, o Rally Jalapão só não alterou sua característica principal: foi uma prova que exigiu muito dos competidores

TEXTO: DONI CASTILHO

FOTOS: GUSTAVO EPIFÂNIO/DFOTOS, LUCIANO SANTOS/DFOTOS, DONI CASTILHO/DFOTOS E ALE MOREIRA/DFOTOS

A grande novidade do Rally Jalapão, este ano, foi a chancela da Dunas, para torná-lo uma das etapas do Sertões Series – uma forma de integrar algumas das principais provas do país ao Rally dos Sertões, nos mesmos moldes que a ASO mantém o Dakar Series, com provas menores e organizadas por outras empresas, mas que levam o “espírito” do Dakar.

A cidade base da prova também mudou: depois de quatro anos tendo Palmas, capital do Tocantins, como local de largada e chegada, este ano a base foi em Luiz Eduardo Magalhães – que, apesar de ficar na Bahia, é mais próxima do deserto do Jalapão. Isso facilitou o acesso às trilhas por parte das equipes. Além dessas importantes mudanças, o Rally Jalapão aumentou em 2019: foram quatro dias, um de prólogo e mais três etapas, marcando pontos para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country. A edição deste ano, quinta em sua história, ofereceu aos competidores um traçado 90% inédito, que explorou bem a região do Jalapão, no estado do Tocantins.

Com mais de 90 veículos inscritos, a movimentação da caravana começou na quarta-feira, dia 5 de junho, com a abertura da secretaria de provas e vistorias dos veículos, na Praça dos Três Poderes, em Luís Eduardo Magalhães (BA). Na quinta-feira (06), foi disputado o prólogo, às 13h, e a largada promocional, às 20h. No dia 07, às 8h, foi dada a largada da primeira etapa com destino à Dianópolis (TO). com um total de 253,70 km percorridos. No dia seguinte, a prova fez o trajeto de Dianópolis até a cidade de São Félix (TO) percorrendo 459 km. Já a terceira e última etapa foi o retorno à Luís Eduardo Magalhães (BA), depois de mais 516 km!

Com trechos rápidos e piso predominante de areia, o Rally Jalapão/Sertões Series fez jus ao desafio proposto pela organização do evento. “Realmente essa prova foi digna de um verdadeiro Cross Country raiz, me surpreendeu bastante. Entendemos os desafios e conseguimos transpor com saldo positivo. Há dois anos estive aqui nas motos e venci na categoria Marathon e, agora, conseguimos realizar mais uma vitória. Estou feliz da vida! Quem não veio deve vir no próximo”, comemora Marcos Baumgart.

Após os quatro dias e 1.228 km percorridos a bordo da moto CRF 450RX, o mineiro Tunico Maciel (Honda Racing) conquistou a taça inédita com 5min51seg de vantagem sobre o segundo colocado, Tulio Borges Malta, com uma Yamaha WR 450F, da equipe 02BH Yamaha, e tirou a hegemonia de títulos do catarinense Ricardo Martins, que pilotou uma YZ450, da Yamaha Rally Team, tricampeão da prova, e que este ano ficou na terceira colocação.

“O Rally Jalapão / Sertões Series resume um pouco do que vamos encontrar no Sertões. É resultado de um trabalho muito duro, tenho participado desde 2016 dessa competição. É uma prova de renome nacional. A maioria dos meus concorrentes sabem a dificuldade que é andar aqui e todos querem ganhar. Estava faltando esse título, havia passado próximo com vitória na categoria. Enfim, o título na geral veio, foram três vitórias, e é difícil explicar a felicidade e satisfação que estou sentindo”, contou, emocionado, o piloto Tunico Maciel, que agradeceu à equipe pelo empenho conjunto.

Entre os UTVs, Gabriel Varela / Eduardo Shiga, com um Can-Am Maverick X3 XRS, garantiram o título. “O objetivo foi cumprido. A evolução veio. Em todos os dias, o carro esteve equilibrado, o conjunto piloto e navegador foi sincronizado e tivemos um ritmo muito bom, preservando o equipamento. A conquista nos incentiva para as próximas provas, como o Sertões”, festeja o piloto de Barueri (SP).

O campeão na categoria quadriciclo foi o maranhense Marcelo Medeiros, que pilotou um Yamaha 700 Raptor: “A organização novamente conseguiu trechos inéditos e uma prova perfeita. Para nós, foi um treino importante, tanto para a equipe como para o quadriciclo, e serviu de preparação para o Sertões”, finaliza o piloto.

CLASSIFICAÇÃO GERAL:

MOTO

1) 5 Tunico Maciel, CRF 450RX, Honda Racing, (1) PDA, 9h19min28s

2) 4 Tulio Borges Malta, Yamaha WR 450F, 02BH Yamaha, (2) PDA, 9h25min19s

3) 2 Ricardo Martins, YZ450, YamahaRally Team, (1) SPD, 9h26min58s

4) 3 Jean Azevedo, Honda, Honda Racing Rally, (2) SPD, 9h38min30s

5) 26 Thiago Procópio, KTM 450, (1) MAR, 9h51min45s

QUADRICICLO

1) 46 Marcelo Medeiros, Yamaha 700 Raptor, Taguatur Racing, 29h06min23s

UTV

1) 102 Gabriel Varela / Eduardo Shiga, Can-AmMaverick X3 Xrs, Varela Rally Team, (1) UTVE, 9h041min14s

2) 101 Denisio do Nascimento / IdaliBosse, Maverick X3 2019, Bompack Racing, (2) UTVE, 9h49min37s

3) 110 Edu Piano / Solon Mendes, (1) UTOP, 9h50min59s

4) 127 Cristian Mai Domecg / Joao Luís Stal, Can-Am X3, Casarini Racing, (1) UTVP, 9h54min20s

5) 119 Augusto Montani / Flávio Bisi, Can-AmMaverick X3, Território Motorsport, (1)UTVS, 9h56min22s

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

Veja Também