Yamaha MT-07: Obra de Arte!

Tivemos o privilégio de pilotar a Yamaha MT-07 especialmente preparada para o piloto Rafael Paschoalin em sua participação no Pikes Peak

TEXTO: LAERTES TORRENS FILHO

FOTOS: GUSTAVO EPIFÂNIO

Fomos convidados pela Yamaha Motor do Brasil para passar um dia inteiro na pista de velocidade do Haras Tuiuti, que fica no interior de São Paulo, para andar na consagradíssima família MT. Lá estavam os modelos MT-03, 07, 09 e a MT-07 que foi preparada para a corrida do piloto oficial da Yamaha, Rafael Paschoalin, que venceu a centenária corrida Pikes Peak Internacional Hill Climb na categoria Middle Weight, trazendo o título inédito para o Brasil.

Antes de entrarmos na pista, conhecemos mais detalhadamente como foi a preparação desta motocicleta. A máquina começou a ser desenvolvida em outubro de 2018 e teve muitas horas de preparação e dedicação de várias empresas nacionais e internacionais, começando pela própria Yamaha do Brasil, que colocou uma grande equipe para o desenvolvimento e processo de exportação e importação da moto.

As empresas brasileiras tiveram um papel determinante para o sucesso do projeto. O escapamento foi exaustivamente testado e projetado pela Jeskap. As pedaleiras foram desenvolvidas com materiais nobres pela Bullet, que ficaram bem recuadas, enquanto o cabeçote foi retrabalhado. As suspensões foram devidamente calibradas, os freios bem acertados, e os pneus escolhidos ficaram por conta do Metzeler Race Tech RR. Uma grande curiosidade foi a inversão da posição do guidão, deixando o piloto com uma posição bem “racing”. Outro detalhe foi a altura do tanque, especialmente preparada para o piloto, que foi testando minuciosamente o quanto seria necessário para uma melhor performance sua e do conjunto.

NA PISTA

Privilégio para poucos, rodar com umaYamaha MT-07 preparada para performance foi muito divertido. Motor ligado, motocicleta no neutro, piloto encaixado, embreagem acionada, primeira marcha engatada (cambio invertido), e lá fui eu! Logo de cara, percebi a força do motor. A primeira volta foi executada lentamente e serviu para adaptação da ergonomia entre o piloto e a máquina, para, depois, sentirmos os freios, suspensões, grip dos pneus e aceleração.

Fui para a segunda volta mais adaptado e percebi que a motocicleta estava bem preparada para limites extremos de frenagem, motor e câmbio. Obviamente, se compararmos esta MT-07 com a original, a de corrida é bem mais “dura” e entrega muita potência quando gira o acelerador ao máximo – e apesar da posição do piloto ficar mais deitada, nota-se que ela é de fácil condução. Depois de algumas voltas na pista, cheguei a uma simples conclusão: pilotar a Yamaha MT-07 vencedora de uma prova tão importante no cenário mundial foi uma experiência única e emocionante. Agradeço à Yamaha do Brasil por me proporcionar este momento inesquecível!

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

You don't have permission to register
%d blogueiros gostam disto: