Em artigo, nosso colunista Oswaldo Fernandes Jr., o Ozzy, fala dos novos “tempos”, onde os bens matérias substituem os valores morais, as redes sociais afastam o contato pessoal, e onde o motociclismo se encaixa em meio a tudo isso

TEXTO E FOTOS: OSWALDO FERNANDES JR.

Parece que tudo passa muito rápido e que, a cada dia, ainda mais rápido é. Vivemos um tempo de turbulências, indecisões, desconfianças e incertezas. A vida está mais difícil. Falta dinheiro, falta tempo, faltam expectativas, falta motivação, falta compreensão e entendimento, enfim, falta respeito. Este é o tempo do mundo da era digital, do mundo moderno, mundo rápido e complexo, para muitos, um mundo irracional. Que tempo é esse que trocamos palavras por pequenas e abreviadas sentenças digitais, onde substituímos sentimentos por virtuais emoções, procurando relacionamento por sites de buscas de compatibilidade humana, preferindo curtir que elogiar em optar por apertar um pequeno botão em vez de proporcionar um grande abraço, enfim, realmente deixamos o real pelo virtual.

Que tempo é este que substituímos a união de pessoas pela conectividade de usuários, onde um ídolo deixa de ser reconhecido pelo seu caráter e passa a ser valorizado pelas suas curtidas virtuais. Neste tempo, infelizmente, passamos a valorizar o rótulo e não o conteúdo. Que tempo é esse onde a falta das realizações são substituídas por desculpas. O medo de errar ao fazer diferente é inibido pelo receio de ser inovador e revolucionário. Este tempo está mudando o mundo. Proporcionamos o descartável ao invés do reciclável, nos bens, nas atitudes, nos valores, enfim, nas pessoas. Atingimos longas conexões e por muitas vezes perdemos amigos, perdemos a família, perdemos o trabalho, perdemos nosso tempo e até a vida.

Que tempo é esse onde a admiração em atitudes foi substituída pelo sucesso das aquisições de bens materiais, consumo e ostentação. Tempo de mundo capitalista, seletivo, rico de grifes e pobre de alma, onde ter é melhor que fazer. Que tempo é esse onde falta relacionamento pessoal, falta expressão, falta alegria, falta humanidade, mais que isto, falta vontade de viver a vida, desperdiçando este curto, único e precioso tempo. E assim vai se empurrando o tempo, para quem sabe um dia novos tempos cheguem, sem ao menos entendermos que o tempo está passando, e não há tempo que volte.

Na verdade, entendo que este é o tempo de aprender e viver mais. Tempo de utilizarmos mais informações, novas tecnologias de comunicação, mobilidade, conhecimento, saúde, relacionamento, de proporcionar maior proximidade aos tão distantes. Tempos de conhecer, provar, experimentar e descobrir. Tempo de saber que esse tempo está cada vez mais rápido. É tempo de revermos projetos pessoais, validar valores, planejar ações com foco, estratégia e resultados, de mudar, e se adequar. É tempo de fazer, realizar sonhos e de mais atitude, jamais tempo de aguardar. É tempo de novas ferramentas para novas conquistas e experiências. É tempo de se entender a viver mais. Este é o tempo de poder. Poder realizar. Poder utilizar todos os recursos para transformar ambições em conquistas pessoais.

Poder ser vitorioso na sua própria competição. Poder conquistar, fazer, sentir e sorrir. Poder pedir desculpas sem constrangimento, poder agradecer a ajuda, poder de ajudar sem esperar a compensação, poder fortalecer ideais, poder viver, poder compartilhar, ajudar e se conhecer. Poder de se superar. Neste novo tempo, entender as mudanças não são fáceis, há a necessidade de querer ver a vida de forma diferente, não competindo com outros, mas com você mesmo, conhecendo seus limites, permitindo-se as diferenças, entendendo outras pessoas, se propondo a mudanças, compartilhando sensações e novas experiências. Enfim, se reciclando e aprendendo.

Mudar o tempo será ledo engano, nós precisamos mudar, buscarmos propostas diferentes, onde seja permitido entender-se e propor novas sensações e limites. Sempre de cabeça erguida, sem constrangimento de errar, atento a se levantar e recomeçar, pronto a mudanças de valores, culturas e ideais. Enfim, desejar sair da zona de conforto rumo a sua própria experiência de vida.

Uma das ferramentas que conheci para alcançar meus objetivos foi o motociclismo. A moto exige técnica, equilíbrio, razão à frente da emoção, poder de superação, desafio e respeito ao medo. O motociclismo é para minha vida a fonte de inspiração, as novas estradas deste novo tempo, conquistar grandes vitórias em uma viagem contínua de aprendizagem. O motociclismo proporciona novos amigos, mais alegria, muita superação e grandes emoções. O motociclismo permite descobrir, compartilhar e respeitar.

Percorri o mundo, revi o passado, percebi a vontade de estar vivo ao presente e, principalmente, de estar pronto para o futuro. Mas, até onde será este futuro? Até a estrada acabar, sendo assim, com mais cautela e com mais segurança, faço a minha viagem, cada segundo em meu precioso tempo, pedindo que o tempo seja longo e que a estrada continue maravilhosa. Este é o meu tempo para poder agradecer e dizer que, neste tempo, eu posso dizer de cabeça erguida: obrigado pelo meu curto tempo neste grande mundo.

É isso aí, nos encontramos pelas estradas, e aquele moto-abraço!

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here