A partir da capital paulista, roteiro dessa trip passou por cidades como Pardinho, Botucatu e Bofete, todos no interior de São Paulo. As belezas naturais e boa parte do percurso por estradas de terra deram um charme maior ao passeio. Acompanhe!

TEXTO: CELSO RENATO A. DA SILVA
FOTOS: ALEXANDRE RIO

Aventura e cultura! Neste novo roteiro pela região centro-sul do Estado de São Paulo, você poderá desfrutar de estradinhas e trilhas emolduradas por belas montanhas, pastos e fazendas produtoras de eucalipto, com travessia de rios, pedras e areia. Ufa, vai precisar de muita energia! Mas, se tudo isso ainda não foi o suficiente, a região é rica em “cultura caipira”, nos costumes, na música e na culinária. O trecho aventureiro deste trajeto tem início na cidade de Pardinho e, na sequência, passa por Botucatu, finalizando em Bofete, na região da “Cuesta de Botucatu”. O percurso tem 210 km, com 80% de terra.

Pardinho

Capital da música raiz, da cultura caipira da Cuesta, situada na sub-bacia do Rio Paranapanema, com inúmeras nascentes e cachoeiras, Pardinho foi fundada por imigrantes italianos e portugueses, em sua maioria, que buscaram a região por seu clima ameno – subtropical serrano.

Sua localização, de difícil acesso devido à formação da cuesta basáltica, favoreceu um desenvolvimento mais lento, o que lhe proporciona “ares de cidade pequena” até os dias de hoje. Cultivando suas tradições nas festas ligadas à agricultura, os festivais de música de raiz, os desafios afiados de seus famosos Cururueiros (repentistas caipiras), proporcionam uma peculiar cultura caipira da cuesta.

Os inúmeros e místicos “causos” que envolvem os personagens da história da cidade encantam qualquer ouvinte. Essa mesma formação geográfica confere a Pardinho beleza exuberante, já que a cidade está situada na sub-bacia do Paranapanema, na área de recarga do Aquífero Guarani, com inúmeras nascentes e cachoeiras.

Pertencente a APA – Área de Proteção Ambiental – a cidade possui áreas com mata nativa de fauna e flora diversificada devido ao trecho de transição entre a Mata Atlântica e o Cerrado, com a estonteante vista panorâmica do gigante adormecido tendo seu ponto mais alto a 1.032 m de altitude, formando trilhas radicais para os esportes de aventura como ciclo turismo, turismo rural, montain bike, rapel, asa delta, paraglaider, balonismo, e o que mais nos interessa: motociclismo off road. A intensa vida cultural oferece eventos todo fim de semana.

O roteiro

A cidade de Pardinho está localizada a aproximadamente 220 km da capital paulista. Para chegar a ela, pode se utilizar a Rodovia Castelo Branco. Logo após o km 197 saia à direita para o Posto Rodoserv Sorriso. Essa estrada municipal dá início ao trecho aventureiro por terra. Siga até o final, vire à direita na Rodovia Gastão Dal Farra e siga até Botucatu. Nesta cidade nos deslocamos até o Hotel Primar, depois de 40 km a partir da Castelo, local escolhido como base e hospedagem. Recomendamos encerrar o primeiro dia e desfrutar do hotel e da cidade.

No segundo dia comece bem cedo, pois a região possui muitos atrativos e dificuldades. O nosso destino foi a Estrada Vicinal Geraldo Biral, a menos de 5 quilômetros do hotel e início do trecho de terra. Seguimos em direção à Serra da Bocaina pela Estrada Municipal Pará-Piapara, descemos pela serrinha e logo nos deparamos com um desafio: tivemos que cruzar um riacho, que, apesar de estar raso, possui leito pedregoso, exigindo atenção e habilidade. Travessia concluída sem sustos, seguimos pelas estradas de servidão da Fazenda Santa Fé (Eucatex), produtora de eucalipto. Suas estradinhas e trilhas são predominantemente de areia, mais um desafio a ser superado. Algumas quedas e espírito de grupo podem fazer parte da aventura.

Seguimos para o Povoado de Piapara e, na sequência, pegamos a estrada Geraldo Biral até a Rodovia Marechal Rondon (até o momento 100% de terra). Na rodovia subimos a serra sentido Botucatu e, no final dela, chegamos ao primeiro ponto de suporte no posto de gasolina. No percurso, até este momento, não avistamos nenhuma infraestrutura de suporte para aventureiros e viajantes. Após nos hidratarmos e abastecermos as motos, cruzamos a rodovia e pegamos a estrada municipal sentido Pardinho. Seguimos até a estrada de terra à nossa esquerda, onde foi possível seguir as placas amarelas até o nosso destino: o Restaurante Cantina da Figueira (depois de 105 km rodados, onde Dona Neusa, proprietária, nos aguardava com uma deliciosa comida caipira).

Saciados pela excelente refeição e prosa, neste momento cabe mais uma decisão: encerrar o dia ou prosseguir a aventura. Recomendo avaliar o horário e condição física do grupo. Retomando o percurso, prossiga pela Estrada das Três Pedras e desça a serra. Com uma paisagem deslumbrante, serão aproximadamente 20 km por terra até a cidade de Bofete. A partir daí você segue sentindo a Porangaba e depois a Castelo Branco e São Paulo. Até a próxima aventura!

Detalhes

A moto utilizada foi a nova Kawasaki Versys X 300 TR, excelente para viagens, com extremo conforto e também condução em estradas de terra com segurança, permitindo este tipo de aventura com tranquilidade.

Essa rota aventureira possui alguns trechos técnicos, mais adequados para aventureiros experientes. Com piso seco é possível fazer todo o percurso com pneus originais com segurança, com chuva não recomendamos.

Como a navegação é difícil, recomendamos efetuar o roteiro com guia.

Contei com a excelente companhia do fotógrafo e aventureiro Alexandre Rio.

Onde ficar:

Primar Plaza Hotel. Rua José Freire Villas Boas nº 468 – Alto – Vila Rodrigues – Botucatu (SP). Tel. (14) 3815-3177.

www.primarhotel.com.br

Onde comer:

Cantina e Pousada da Figueira. Estrada das Três Pedras – Bofete/ SP. Tel. (14) 9612-0150.

Serviços:

Aventur: (11) 99296-4677 – Fale com Celsinho, que organiza trips on e off road Brasil afora (www.aventur.tur.br).

Apoio:

Kawasaki – Alpinestars – Bell

CONFIRA MAIS SOBRE A VIAGEM NA GALERIA A SEGUIR:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here