“Difícil, mas muito prazeroso”: Petrobras Rally Team analisa roteiro do Rally dos Sertões – 25 anos

Petrobras Rally Team
Petrobras Rally Team

Guiga Spinelli e Youssef Haddad estão na reta final de preparação para encarar os 3.300,06 quilômetros de percurso entre Goiânia (GO) e Bonito (MS) a partir deste sábado

Texto: Redação
Fotos: Divulgação/Vipcomm

 

Rally dos Sertões

A Petrobras Rally Team acerta os últimos detalhes para iniciar o seu grande desafio na temporada: encarar os 3.300,06 quilômetros de percurso da edição de 25 anos do Rally dos Sertões, entre as cidades de Goiânia (GO) e Bonito (MS), com início no próximo sábado (19). Equipamentos e estrutura mecânica e de logística da equipe já estão a caminho da capital do Goiás, palco do prólogo, que definirá a ordem de largada da primeira etapa.

Por se tratar de uma data especial, a organização da maior competição off-road do Brasil preparou um roteiro desafiador em termos de nível de competitividade. Em sete dias e com quase 2 mil quilômetros de trechos cronometrados, o piloto Guiga Spinelli e o navegador Youssef Haddad esperam encontrar um equilíbrio e uma intensidade diferentes em relação aos anos anteriores.

Logo na primeira etapa, em 20 de agosto, entre Goiânia (GO) e Goianésia (GO), os competidores irão enfrentar 680,48 quilômetros, sendo 306,82 em trecho cronometrado. No dia seguinte, até Santa Terezinha de Goiás (GO), com 326 quilômetros totais, a etapa será Maratona, em que apenas pilotos e navegadores poderão realizar a manutenção dos veículos, sem a ajuda dos mecânicos.

“Já começa com uma especial bem difícil e relativamente longa, com trechos duros de piso abrasivo, com bastante pedra e algumas serras. No dia seguinte, já conta com uma etapa Maratona. Normalmente, as provas começam mais ‘fáceis’ e vão complicando no meio do caminho. Esta edição do Rally dos Sertões terá um nível de dificuldade parecido do início ao fim. Será importante, do primeiro quilômetro até o último, ter muita atenção, ritmo, o carro e a dupla funcionando bem, e sem dúvida nenhuma o trabalho da equipe em todas as manutenções noturnas do veículo. Exigirá bastante do equipamento, do piloto e do navegador”, analisou Spinelli, maior campeão da competição entre os carros, com cinco títulos (2003, 2004, 2010, 2011 e 2014), três deles ao lado de Youssef Haddad.

Com vasta experiência em ralis pelo planeta, Spinelli prevê que, apesar da intensidade, a prova brasileira trará a seus participantes uma combinação de fatores rara de se ver no circuito off-road mundial. “O Rally dos Sertões, comparado a outros que já corri, tem uma dose muito agradável de quantidade de dias, de distância e de quilometragem de especiais. É um rali duro, difícil, mas ao mesmo tempo muito prazeroso. É um dos meus eventos preferidos também pela variedade de estradas e terrenos que o Brasil propicia em todas as suas regiões, sempre com locais prazerosos e desafiadores para carro e dupla”, completa.

“A gente conta com o carro de uma equipe extremamente experiente, não só em provas ao redor do mundo, mas também no Rally dos Sertões. Um carro rápido, seguro e bem testado. Mas, vale sempre ressaltar que o nível de concorrência é altíssimo. Outras equipes e outros veículos estão na mesma condição, então prevejo uma competição em que o equilíbrio de performance será muito grande sempre. Os detalhes irão decidir o campeão”, avaliou Guiga.

VEJA TAMBÉM: Pais e filhos encaram juntos o Rally dos Sertões 25 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA