Rally Rota SC: Inverno quente

Depois do calorão do Deserto do Jalapão, competidores encaram o frio das serras catarinenses no Rally Rota SC

Texto: Doni Castilho
Fotos: Doni Castilho/DFotos, Luciano Santos/DFotos e Gustavo Epifânio/DFotos

Rally Rota SC

Um mês depois de enfrentarem o calor do Deserto do Jalapão, no Tocantins, os competidores tiveram de encarar o frio das serras catarinenses durante o Rally Rota SC. Em um clima e cenários totalmente opostos ao do norte do Tocantins, os pilotos e navegadores mostraram que adaptação é com eles mesmos, e fizeram uma prova de alto nível.

Na cidade de Lages (SC) foi disputado, entre os dias 30 de junho e 2 de julho, o 6º Rally Rota SC. A competição é válida para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country nas categorias Motos, Quadricilos e UTV’s. O percurso deste ano teve aproximadamente 525 quilômetros, entre especiais e deslocamentos. A prova foi válida para a 7ª e a 8ª etapas da temporada 2017.

A expectativa começou já na véspera da prova, com o diretor de prova Carlos Eduardo Sachs (o mesmo do Rally dos Sertões) contando o que os competidores encontrariam pela frente. “Lages, essa região é fantástica. Fiquei impressionado com a prova. São dois dias distintos: no primeiro dia começa com pancadaria, muita pedra, não dá nem para descrever o que tem nessa especial, mas ela é completa, duríssima. Conta com travessia de rios não muito fundos, muita navegação, variação de solos de todo tipo e, além disso, o lugar é lindo, uma beleza natural da Coxilha Rica onde será a especial mais longa. Tenho certeza que todos vão gostar, a planilha está bem medida, foram conferidas as duas etapas”, disse Sachs.

No segundo dia a prova é completamente diferente e mais rápida. “Começa estilo WRC, muita curva de alta, sobe, desce, top. Depois entra em uma região mais travada e, quando sde pensa que está tudo acabando, volta para pedras até o final, com o deslocamento até o Lages Garden Shopping”, completou Sachs.

Para marcar a abertura da 6ª edição do evento, o público pôde acompanhar uma carreata pelas ruas da cidade da Serra Catarinense, que partiu do Lages Garden Shopping até ao Centro Cultural Vidal Ramos – Sesc, no Centro de Lages.C).

Rally Rota SC
Rally Rota SC – Foto: DoniCastilho

Primeiro dia

Considerado o mais técnico desta edição, aconteceu na região da Serra Catarinense, onde a beleza é espetacular. O roteiro adentrou a Coxilha Rica. Foram mais de três horas de prova, com pilotos e navegadores enfrentando obstáculos naturais de diversos tipos estabelecidos pela organização, com muitas pedras, cascalho, erosões, e um dos pontos altos da prova: a travessia de um belíssimo rio ainda no inicio da prova.

Segundo o piloto Tunico Maciel, da Honda/CRF 450X, o Rally Rota SC começou de forma bastante intensa e difícil. “Preocupei-me em não cair porque estava muito liso, mas andei bem, procurei navegar tranquilo. Toda a organização está de parabéns, muito bem fechada e um rali de nível técnico altíssimo”, descreveu Maciel.

Geison Belmont fez o melhor tempo nos quadriciclos. “O trajeto testou a eficiência dos competidores. Foi uma especial bem interessante, técnica e cansativa. No ano passado, competi na região e sofri um acidente em uma ponte, mas hoje consegui um bom resultado”, comentou o piloto de Niterói (RJ).

Nos UTV’s, o piloto paulista Denísio Casarini e o catarinense Luís Felipe Eckel (Can-Am) andaram forte e fecharam com o melhor tempo, seguidos de Lucas Barroso/Breno Rezende e Enrico Amarante/Álvaro Amarante.

Rally Rota SC
Rally Rota SC – Foto: GustavoEpifanio

Segundo dia

Como era esperado, o frio intenso chegou sob a região serrana de Santa Catarina. Na madrugada, os termômetros marcaram 2 graus negativos, o que deixou a disputa do rali ainda mais espetacular. No domingo, o segundo dia de rally contou com uma especial mais rápida. Na primeira parte, muita curva de alta, subidas e descidas, e na parte final, trechos travados com pedras. Bem diferente do primeiro dia de prova, que teve características de piso mais travados, com travessia de rios e riachos, e trilhas sinuosas. Tudo isso tornou o Rota SC um rally dos mais completos da temporada.

Tunico Maciel foi o grande vencedor na categoria Motos e fez o melhor tempo no primeiro dia, ficando em segundo na especial do domingo. “Em geral foi um ótimo rali, que exigiu muita técnica dos pilotos, um bom equipamento e uma atenção na planilha. Estou muito feliz com o meu desempenho e não me arrisquei em momento algum”, comemorou o piloto, que esteve no comando da Honda/CRF 450X, com o tempo de 05h16min09seg.

O multicampeão Jean Azevedo fez sua estreia no Rally Rota SC. “A organização fez um excelente rali, foi uma surpresa boa, o fechamento bem feito, respeitando os horários. Com certeza, essa prova do circuito tem tudo do puro Cross Country e é uma das melhores do país. Estou contente com o resultado que conquistei, marcando pontos nos dois dias para o campeonato. Ano que vem espero que possamos participar novamente!”, enfatizou o piloto da Honda.

Denisio Casarini/Luís Felipe Eckel (Can-Am) foram os grandes campeões entre os UTV’s e da categoria Pro Turbo, com o tempo de 05h02min13. “Uma prova muito técnica, muito prazerosa. Com certeza, esse tipo de competição é onde o piloto gosta de andar”, comentou o piloto paulista.

Nos quadriciclos quem comemorou foi Geison Belmont. Ele venceu os dois dias da competição com o Can-Am Renegade 1000, seguido de perto por Milton Martens, de São Bento do Sul/SC (Can-Am). A diferença foi de apenas 1s11.

Rally Rota SC
Rally Rota SC – Foto: DoniCastilho

Erick Lyn Nevels, observador da Federação Internacional de Motociclismo Latino Americana – FIM-LA, esteve em Lages (SC) para conhecer o Rally Rota SC. “Estou muito contente. Quero agradecer a organização e ao André Alcântara que me deu a possibilidade de visitar e observar o evento. Foi uma grande surpresa em poder ver as belezas da região, além de verificar que os competidores gostaram das especiais, e é o melhor que um evento pode querer, que é agradar os seus inscritos. A organização preparou um excelente percurso e com muita segurança”, declarou.

Organizador do evento, André Alcântara se mostrou satisfeito com a conclusão da edição. “Estamos felizes por ter conseguido realizar uma prova técnica e receber o elogio dos competidores, parceiros e patrocinadores, pois foi uma prova bastante difícil. Tínhamos tudo pronto há quase 60 dias, levantamento e autorizações, como também uma quilometragem maior, mas tivemos que refazer do zero devido uma sequência de chuvas que assolaram a região, derrubando várias pontes e modificando o trajeto”, contou.

A 6ª edição do Rally Rota Santa Catarina é uma realização da ASCPE – Associação em Prol do Esporte. O patrocínio é da American Oil, Queijo & Cia, Pereira Publicidade Visual, JZago Center, Supermercado Martendal, JA Posto de Ensaio, Kaka Auto Show, Abreu & Garcia Vinhos de Altitude e Zanoello.

Resultado Final:

Motos

1) #3 Tunico Maciel, Production Aberta, Honda, 05h16min09

2) #1 Gregório Azevedo, Super Production, Honda, 05h19min19

3) #17 Tulio Malta, Brasil, Honda, 05h22min23

4) #2 Jean Azevedo, Super Production, Honda, 05h24min27

5) #7 Eduardo Tadashi Shiga, Production Aberta, Honda, 05h28min15

Quadriciclos

1) #40 Geison Pinheiro Belmont, Can-Am, 05h56min51

2) #41 Milton Martens, Can-Am, 05h56min52

3) #42 Marcio Freitas de Almeida, Can-Am, 11h42min44

UTV

1) #105 Denísio Casarini/Luís Felipe Eckel, Can-Am, Pro Turbo, 05h02min13    
2) #106 Denisio Nascimento/Idali Bosse, Pró Turbo, Can-Am, 05h06min53

3) #101 Enrico Amarante / Álvaro Amarante, Can-Am, Pro Turbo, 05h19min04

4) #102 Leandro Torres / Lourival Roldan, Polaris, Pro Aspirado, 05h37min35

5) #123 Marco Della Giustina/Anderson Costa, Super Production, Can-Am, 05h41min14

VEJA TAMBÉM: Viagem de moto pela Carretera Austral: Carretera Chilena.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA