Rally Rota Sul: Praias, dunas e muita velocidade!

O Rally Rota Sul, última etapa do Brasileiro de Rally 2019 (de volta ao mapa off-road após 15 anos), foi tudo o que se esperava dele. Uma prova rápida, com paisagens incríveis e desafios de navegação

TEXTO: DONI CASTILHO

FOTOS: GUSTAVO EPIFANIO/DFOTOS, NEY EVANGLISTA/DFOTOS E DONI CASTILHO/DFOTOS

Sabe aquele clichê “Fechar com chave de ouro”? Pois bem, é uma frase comum, mas serve perfeitamente para definir o que foi o Rota Sul e seu significado, nesse momento que o rally brasileiro respira novos ares, que vieram para reaquecer o esporte. O Campeonato Brasileiro de Rally percorreu o país do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, passando por lugares incríveis, como o Deserto do Jalapão, o Seridó, as Serras Catarinenses e muitas outras paisagens de tirar o fôlego.

E para encerrar o certame, a cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul, foi a anfitriã do Rally Rota Sul. A prova ainda passou por Santa Vitória do Palmar, Rio Grande, São José do Norte, Tavares, Mostardas, Capivari do Sul, Palmares do Sul e teve sua chegada em Porto Alegre, depois de 1.100 km de percurso, sendo 725 km de trechos cronometrados entre os dias 05 e 07 de dezembro.

A Honda se apresentou no Rota Sul com força máxima. Trouxe o bicampeão do Sertões, Tunico Maciel, o multicampeão Jean Azevedo, piloto de maior sucesso na história do cross-country brasileiro, além de Gregório Caselani e Júlio Zavatti, o Bissinho. O grid de Motos trouxe também o gaúcho Rami Sfredo, piloto que recebeu um prêmio especial de herói do Sertões depois de completar a prova com uma fratura no pulso. A Yamaha veio com dois de seus principais pilotos: Ricardo Martins e Bruno Leles.Já Luciano Gomes optou por não largar devido ainda se recuperar de uma lesão sofrida no Rally dos Sertões deste ano.

Nos UTVs, a expectativa ficou por conta do duelo entre os campeões do Sertões, Denísio e Idali, e os dois representantes da família Varela, o pai Reinaldo, bicampeão mundial, e o filho Gabriel. Vale lembrar que a disputa nos UTVs é sempre a mais equilibrada de todas.

1º DIA: SEGUNDOS PRECIOSOS

O Rota Sul honrou as melhores expectativas! A primeira especial passou por lugares lindos. A largada, com os concorrentes alinhados, lado a lado, em grupo, cinco motos e quatro carros, na praia do Cassino, uma novidade que os pilotos adoraram, produziu uma disputa inédita. “Andei 157 km antes de fazer a primeira curva”, disse o vencedor dos UTVs Gabriel Varela. E a proximidade dos líderes ao final do dia mostrou um equilíbrio surpreendente para provas de longa duração. No “retão” da praia do Cassino, a maior do mundo em extensão, os pilotos tiveram o prazer de aproveitar a velocidade máxima dos carros disputando lado a lado uma melhor posição. Na maioria das provas de cross-country, como o Rota Sul, os pilotos costumam largar “em linha”, um após o outro, em geral com intervalos de um minuto. Correm sozinhos na maior parte do tempo.

Segundos separaram os pilotos das motos, que teve vitória de Tunico Maciel, e de Gabriel Varela/ Eduardo Shiga nos UTVs, na primeira etapa do Rally Rota Sul Sertões Series, com largada e chegada em Pelotas e um percurso de 576 km.

O bicampeão do Sertões, piloto da equipe Honda, passou a maior parte da prova, 157 km de reta na praia do Cassino, perseguindo Ricardo Martins, da Yamaha, e só conseguiu se impor nos quilômetros finais, quando os pilotos enfrentaram um trecho travado, cheio de curvas. Maciel completou a especial com o tempo de 5h46min10s, enquanto Martins fechou o dia com 5h46min24s. Os dois passaram cinco horas e mais de 500 km disputado uma diferença que, ao final, foi de 14s. Em terceiro ficou Jean Azevedo, o maior campeão da história do Sertões, que cravou 5h46min29s. Os três primeiros ficaram a uma diferença de 19s. Há 15 anos não acontecia o Rota Sul e, certamente, há mais tempo não se via uma prova tão disputada.

Nos UTVs, a categoria mais equilibrada dos ralis Cross-Country, a diferença que separou o primeiro do segundo colocado foi pouco mais de três minutos, mas a disputa aconteceu na mesma família. Gabriel Varela e Eduardo Shiga foram os primeiros, com o tempo de 5h54min59s. Reinaldo Varela e Gustavo Bortolanza terminaram em 5h58min27s. Reinaldo é pai de Gabriel e nem por isso alivia nas corridas contra os filhos. Em terceiro lugar chegaram Cristian Domecg e João Luís Stal, com a marca de 5h59min37s. Vale lembrar que os UTVs correm com um limitador de velocidade. Não ultrapassam 140 km/h, o que é fatal em uma prova de alta velocidade como o Rota Sul. Basta ver como os UTVs foram mais lentos do que as motos no primeiro dia.

2º DIA: O PEGA CONTINUA!

Os primeiros pilotos de moto saíram de Pelotas, às 4h30! Todos os competidores atravessaram a balsa para a cidade de Rio Grande, com primeira motocicleta largando às 7h. Uma especial que começou com trechos arenosos entre eucaliptos, passou por praias e trechos de mata para, nos 20 km finais, encarar um belíssimo trecho de dunas, com navegação apenas por GPS. Uma especial incrível e longa, foram 525 km percorridos nas mais diversas condições de terreno.

O gaúcho Caselani, da equipe Honda, novamente travou uma disputa intensa com Ricardo Martins, além dos companheiros de equipe Jean Azevedo e Tunico Maciel. “Estou muito feliz com essa vitória. O dia foi mais prazeroso que o anterior e no final consegui forçar um pouco mais o ritmo. É a primeira prova que corri em casa e foi perfeita para fechar bem o ano”, conta Caselani, campeão brasileiro antecipado da categoria Super Production. Ele acelerou a moto Honda CRF 450RX e foi recebido na rampa de chegada pela esposa e as duas filhas.

Entre os UTV, a “briga familiar” terminou com a vitória de Gabriel Varela e Eduardo Shiga, que deixou o pai para trás por quatro minutos e ainda abriu nove minutos do terceiro colocado, a dupla campeã do Sertões: Deni Nascimento/ Idali Bossi. Mas a dupla Deni/Idali tinha muito o comemorar, afinal, com esse resultado, eles se sagraram Campeões Brasileiro de Rally Cross Country, entre os UTVs. “Agora podemos soltar o grito de campeões brasileiros da temporada 2019”, comemora Nascimento. “A temporada marcou a nossa história, tivemos resultados incríveis. Para isso, contamos com o empenho máximo da nossa equipe, que é formada por amigos. O time foi preciso durante todo o ano, todos trabalharam, suaram e se dedicaram muito para que os títulos viessem. Tivemos o apoio fundamental dos patrocinadores e o desempenho formidável do Can-Am Maverick X3. Tudo foi muito importante para conseguir esse ano maravilhoso, dedico as vitórias a todos que fizeram parte disso”.

RESULTADOS RALLY ROTA SUL – GERAL

Motos

1.Gregorio Caselani CRF 450RX SPD (Honda Racing Team), 9h44m04

2.Ricardo Martins, Yamaha WR 450F SPD (Yamaha Rally Team) a 14s

3.Jean Azevedo, Honda CRF 450RX SPD (Honda Racing Team) a 55s

4.Tunico Maciel, Honda CRF 450RX Production Aberta, (Honda Racing Team ), a 4m55

5.Rami Sfredo, KTM450EXC, Marathon, (Mult Racing), a 17m03

UTVs

1.Gabriel Varela/Eduardo Shiga, CanAmMaverick X3 PRO Elite, (Varela Rally Team), 9h55m10

2.Reinaldo Varela/Gustavo Bortolanza, CanAmMaverick X3 Over PRO (Varela Rally Team), a 4m158

3.Denisio Nascimento/IdaliBosse, CAnAmMaverick X3 PRO Elite (Bompack Racing), a 9m20

4.Rodrigo Luppi/Maykel Justo, CanAmMaverick X3 Over Pro (Território Motorsport), a 17m33

5.Cristian Domecg/João Stal, CanAmMaverick X3 PRO (Casarini Racing), a 17m51

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS:

You don't have permission to register